quinta-feira, maio 13, 2010

Aeroporto, Orientação, Homesick e First Meeting!!!

Cheguei no aeroporto com os meus pais, parecendo que tava indo levar outra pessoa, parecia que não era comigo aquilo! Encontrei uma amiga na fila do Check-in, fiz o check-in, tudo muito rápido.

Fiquei muito tempo enrolando no aeroporto, até que as meninas começaram a se despedir, se descabelar, se acabar em choro. Pensei comigo, que bando de doidas, jamais vou fazer uma cena dessas.

Queria ter feito, até chorei um pouco, mas pela falta dos meus pais que estou sentindo agora, queria mesmo ter feito uma cena e dito a eles o quanto eu os amo.

Mas depois que você entra, parece que aquilo nem aconteceu, você está ali com mais de 20 meninas festejando!

Daí vem o avião, aquela coisa apertada por 10 horas. Aquele filme dublado muito mal por 10 horas! Do seu lado, meninas que você nunca viu, mas que dividem com você a ansiedade do momento.

Chegamos em Dallas/TX, pra conexão de 4 horas. A gente já chega no aeroporto comendo a porcaria maravilhosa que eles tem aqui. Geeeente, nunca comi bacon tão gostoso assim na vida!

As panelinhas das meninas já vai se formandoe vamos de novo pro avião, mais umas 4 horinhas.

Chegamos no aeroporto de Newark/NJ morrendo, mas não podíamos perder a oportunidade de conhecer o shopping!!!! E JC Penney, Victoria’s Secret, Macy’s, Abercrombie, etc. Ai, é tudo lindo!

É sim, tudo lindo até você voltar pro seu quarto no hotel e dar de cara com uma mini pessoa da República Tcheca com cara de psicopata e a luz apagada! Quase morro...

Nossa, nunca dormi tão bem na vida, estava muito cansada. Nem vi a outra roommate, da Malásia, chegar.

De manhã orientação. Ai gente, a tal da Tracye nem é tão ruim assim quanto alguns disseram, foi até bem simpática. Achei tudo meio repetitivo, mas levantaram uns pontos bem interessantes durante os três dias.

Se não me engano eram 114 meninas (Opss! Tinham 3 meninos também!!), os países: Brasil(!!!), Alemanha, França, África do Sul, Colômbia, Paraguai, México, República Tcheca, Sérvia, Bósnia, Guatemala, Nova Zelândia, Suíça, Suécia, Ucrânia, Reino Unido, Tailândia, China, Japão, Polônia, Turquia, El Salvador, Eslováquia, Macêdonia e Malásia. As brasileiras em maior número, claro.

A comida da orientação é ótima! Muita salada no primeiro dia, no segundo dia pratos quentes e comida especial porque era um feriado mexicano, no terceiro dia massas! Pra mim e algumas outras meninas tudo VIP, já que ganhamos uma das atividades propostas na orientação.

Teve tour em NY, que eu não recomendo. Foram 40 doletas jogadas fora, não deu tempo de fazer nada. Passamos mais tempo no trânsito do que em algum lugar interessante.

A orientação valeu muito a pena por ter conhecido tantas pessoas diferentes e que irão morar perto, ou nem tanto.

O terceiro dia de orientação foi só de manhã e a partir do meio dia, começaram a embarcar para o aeroporto novamente, nos olhos de cada um o medo do que iriam encontrar pela frente.

Para aqueles que o vôo estava agendado para mais tarde, o lugar começou a se tornar tenso. Algumas host families iriam buscar as au pairs no hotel, e nós ficamos só espiando o encontro.

Teve alguns que só deram as mãos, teve muitos abraços, teve até buquê de flor! E a tensão aumentando...

Finalmente eu, um alemão e minhas roommates fomos levados ao aeroporto com destino à Seattle.

Tive que comprar outra mala no shooping, porque pra pegar vôo doméstico o peso não podia passar de 24kg.

Eles todos falantes, eu quieta, assustada. O que me espera?

Depois de mais 6 horas de vôo, desço as escadas rolantes e dou de cara com a minha host e a menina mais velha. Elas abriram os braços e me abraçaram, naquele momento percebi que ia dar tudo certo!

Posso dizer que minha família é ótima, as crianças são uns amores (tirando algumas crises de adolescentes). Eles me dão apoio, me convidam pra tudo que vão fazer, estão sempre dispostos a me ajudar. O trabalho é sossegado por enquanto que ainda não comecei o curso, ainda nem escolhi.

Não vou mentir, eu choro. Quase todos os dias, aliás. Já pensei em voltar.

Mas depois que comprei meu note e vi meus pais do outro lado da telinha me dando a maior força, acho que vou conseguir!

Enfim, me desejem sorte... E desculpem a demora pra postar, é que tenho 4 horas de fuso, ainda são 20:19 aqui.

10 comentários :

  1. Nossa mari, eu supeer te entendo!

    ResponderExcluir
  2. Nossa Mari, vc ta em seattle? q lugar??? Tb to, vamos marcar de sair qlqr dia!!! Bjuss

    ResponderExcluir
  3. oi, mari!!

    Ai, q bom q por enquanto está tudo dando certo! Essa coisa de chorar e se sentir mal de vez em qdo é normal, né? Quem me ajudou mto nessas horas foi uma au pair brasileira q morava na casa da frente! E a gente tem q ser racional e lembrar q isso passa! É só questao de esperar algumas semanas e, até lá, viver tudo de novo e bom q se pode viver!!!

    Bjos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  4. o comeco eh dificil mesmo. segura as pontas ai!

    ResponderExcluir
  5. JK, estou em Graham, 1 hora de Seattle. Mas a gente pode marcar de se encontrar sim!

    ResponderExcluir
  6. kkk eu vou ser uma dessas que se descabela toda....

    ResponderExcluir
  7. Não sei o que é melhor/ pior...essa galera toda ansiosa, ou eu, que vou fazer treinamento sozinha O.o

    E eu sempre fiquei curiosa quanto ao treinamento dos meninos, é a mesma coisa pra todo mundo?

    =D

    ResponderExcluir
  8. É sim, a mesma coisa pros meninos... Só é diferente pra quem faz o infant, não é bem diferente, mas eles ficam separados do resto.
    Porque vai fazer sozinha?
    Tinha bastante meninas brasileiras no mesmo dia que eu que nem sabiam que tinha comunidade no orkut, foram sem conhecer ninguém.

    ResponderExcluir
  9. Me deu um frio na barriga só de ler seu depoimento... fui para Orlando/Flória em dezembro de 2009 e voltei em fevereiro de 2010. Eu me apaixonei por esse país, quero muito ser au pair também, apesar do medo, ansiedade... boa sorte pra você!

    ResponderExcluir