terça-feira, junho 29, 2010

Quando chega a hora - por Suellen

Uma das frases que mais ouvimos durante todo o processo é que as coisas acontecem no tempo certo e que se a família ideal não veio ainda ou se aquela família que tanto gostamos não deu em match é porque ainda não era o momento.

O difícil é entender isso quando você espera meses e meses e vê seu precioso tempo correndo enquanto você continua na mesma, sem ideia de quando essa situação se acertará. A impressão é de estar andando no mesmo lugar enquanto outras pessoas estão fazendo coisas mais concretas na vida.

Quem acompanha meu blog sabe bem o que é esperar, se bem que conheço gente que esperou por mais tempo ainda. Mas o problema é quando na verdade não existe problema e seu caso se torna algo intrigante até mesmo pra agência. No meu caso não tinha nada que explicasse minhas 45 famílias até o match a não ser o fator sorte.

Em partes até entendo por que as coisas não se desenrolaram quando eu planejei (embarque final de março). A vida aqui estava terrivelmente conturbada e a minha presença em casa era fundamental para ajudar a manter a ordem das coisas. Na época eu também não tinha a menor condição emocional de ir.

Sempre quis ir sem deixar nada pendente. Não estou deixando faculdade sem terminar pra trás, nem namorado, nem emprego, nem dívidas, enfim, nada que me force a voltar antes da hora ou me impeça de estender o segundo ano caso seja conveniente. Só estou deixando o mais importante que é minha família, mas essa eu tenho a mais absoluta certeza que estará me esperando de braços abertos dure o tempo que for. E meus pets, claro, que amo muito e vão fazer muita falta...

Enfim, embarco dia 8 de agosto com apenas uma certeza; de estar fazendo a melhor escolha, esperando sempre o melhor e com a cabeça e braços abertos para as mudanças e aprendizado. Filtrando sempre aquilo que é útil e descartando pensamentos e coisas ruins sem deixar de levá-las em consideração, claro.

E, no final das contas, depois de olhar pra trás e lembrar de tudo, a gente consegue entender o porquê da demora. Durante esse tempo conheci muita gente e ampliei muito minha rede de contatos. Apesar de não conhecer pessoalmente, já tenho a quem recorrer lá caso precise (e espero que não precise), e isso acaba sendo muito válido, é uma segurança a mais que se não tivesse esperado tanto tempo e se as circunstâncias não tivessem me forçado a me mexer para fazer as coisas acontecerem, eu não teria conhecido.

Pra quem está esperando: não deixe que o "conforto" de estar por uma agência te impeça de mexer os pauzinhos. Procure contatos, gente que possa te ajudar. No caminho você vai encontrar muita gente que não está nem aí, mas também vai encontrar gente disposta e com vontade. Como diria aquele ditado, o importante não é saber, mas conhecer quem sabe.

Boa sorte ;)

Próximo post diretamente de Brattleboro, VT

2 comentários :

  1. Ae Su!!

    Sou sua fã já!
    Parabéns de novo nunca é pouco neah?!
    Felicidades com a vida nova!!!

    Beijos!
    xoxox

    ResponderExcluir
  2. Amiga Su!!
    amei o post!! Até porque eu fui uma das que te disse tanto que tua hora ia chegar!! orgulhosa de você como sua amiga: de sua garra, de ter acreditado, de ter recusado famílias ruins sem pressa e de tá tendo essa maturidade pré-embarque que muitas voltam sem!

    Sou da sua torcida, sempre!

    :*

    ResponderExcluir