sexta-feira, setembro 10, 2010

A Casa - Sandra N

" Era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada..."

Eu nunca tinha saído de casa, até o dia que eu sai de casa. E não só sai de casa, como sai também da cidade, do estado, do país.

Muitas das pessoas que decidem ser au pairs também nunca sairam de casa enquanto outras já passaram por muitas casas antes de se aventurar como au pair.

Eu tive muitas casas, depois que eu sai de casa. Vivi e morei na casa de 2 host families, mas em nenhum dos casos eu me sentia em casa. O destino me levou para essas casas com uma familia dentro - marido, mulher, filhos, cachorros - mas me levou pra longe de um lar.

Eu passei por casas de outras au pairs que também não se sentiam em casa mas eu as vezes me sentia em casa, na casa dessas outras au pairs. Confuso não?

E eu não soube o que era estar em casa enquanto eu fui au pair. Ou talvez eu aprendi o que estar na casa - dos outros. A casa estava lá : quintal, salas, cozinha, banheiro , o quarto, ah o quarto. Mas eu não estava.


O quarto de uma au pair é o universo pessoal dessa au pair. Para lá é que ela transporta tudo que é de casa. No meu quarto eu tive lava lamp, relógios, meus travesseiros, sem contar nos doces escondidos e até no meu mini fridge para minhas bebidinhas pessoais. Mas meu quarto muitas vezes me sufocou, enquanto eu ouvia os sons da casa la fora, numa outra dimensao que era muito diferente da minha, eu sentia como se além do meu quarto aquele espaço era também minha casa e minha jaula. Uma vez fora do quarto eu estava fora de casa e fora da jaula as pessoas te tratam como um bixinho - as vezes amavel, as vezes perigoso - e é quando você sai da jaula, que é alimentado. Risos- é meio triste, mas na real, é a real.

"Já morei em tanta casa que nem me lembro mais...."

Hoje eu tenho a minha casa, mas mesmo assim eu ainda sinto saudades da minha casa. E quando eu estive na minha casa, no Brasil, não sei be explicar, mas parecia que eu não pertencia mais aquela casa, aquela realidade. E ainda hoje quando eu deito na minha cama, da minha casa, eu sinto que metade de mim esta aqui na minha casa e a outra metade está lá em casa. 

Acho que descobri que casa é apenas uma construção sólida feita de tijolos e ou madeira. Lar é onde o coração está e o coração apenas pode estar onde se encontra o amor.

Tenham todos um ótimo Setembro e que seja  bem vinda a nova estação, seja ela qual for pra você

"Nem desistir nem tentar agora tanto faz, estamos indo de volta pra casa ..."

Bjs
Sandra Newman

9 comentários:

  1. Lindo texto, entendi perfeitamente, mesmo não tendo sentido o que é ter uma casa e não te-la ao mesmo tempo, no momento eu tenho a minha casa, já já não a terei mais, mas isso é bom, temos que passar por isso na vida.

    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Sandra, adorei o post!

    Eu que já passei por muitas casas acho que consigo te entender. Na realidade não consigo sentir que pertencia a nenhum lugar em que morei até agora e lá vou eu experimentar mais um...
    Tem uma música do Arnaldo Antunes que se chama: "A nossa casa". Não sei se você gosta dele, mas enfim, a letra vale a pena, eu adooooro!

    Que tenha muito amor nessa sua casa, seja ela onde for!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Q texto poético.
    Adorei!!!
    Me sinto extamente como vc descreveu, só espero q qdo voltar pra minha casa do Brasil, o meu lar, eu me sinta bem lá, embora eu tenha mudado mto por aqui, espero q meu cantinho continue me servindo perfeitamente como sempre me serviu!

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto!
    Adoro os seus posts Sandra, parabéns mesmo !

    ResponderExcluir
  5. amei amei amei! a house is not a home and a chair is still a chais even when there´s no one sitting there...

    ResponderExcluir
  6. Que legal o post... é tudo tão realista....

    ResponderExcluir
  7. Você escreveu uma frase que eu sempre usei para definir onde era o meu lar... onde o meu coração está. E o meu coração está agora aqui, com o meu marido e nada melhor do que um dia estressante e em que muitas coisas não dão certo, eu pego a chave e abro a porta da minha casa, do meu lar... mas ainda falo no Brasil como "voltar para casa".
    Coisa mais importante é você estar em paz, sabendo que está exatamente no lugar onde você deveria estar...

    ResponderExcluir
  8. Nossa estou surpeendida com a profundidade e a leveza do seu texto. Me fez sentir em casa, sem casa!

    ResponderExcluir