segunda-feira, outubro 11, 2010

Lidando com bipolaridade (a sua e a alheia)

Antes de mais nada peço desculpas por não ter postado dia 11. Estava na viagem mais louca da minha vida em Vegas e sem conexão com o mundo digital mas isso eu conto daqui a pouco.

Enfim...esse post é pra falar um pouquinho dos sentimentos auperianos. Que não é fácil morar onde trabalha e trabalhar onde vive todo mundo já sabe, que esse é um programa de TRABALHO e ESTUDO e não de ESTUDO e TRABALHO todo mundo também já sabe. Mas e quando isso começa afetar sua sanidade, seu estado de espírito e os sinais de depressão começam a aparecer?

Primeiro vamos com calma. Identificar o problema é o primeiro passo. É saudade de casa? Amigos, família, namorado, comida and such? Se for isso tem cura. Não to dizendo que é rápido e indolor mas ninguém passa os 12 meses com homesick. O problema é sua família aqui? É, não é sempre divertido lidar com choros, wining, bunda suja e vomito. Acordar no sábado as 8 com o barulho dos anjinhos irrita por demais. Porém, tem que por na balança. Os prós vencem os contras? There you go! Então vale a pena...Nenhuma família é perfeita por mais perfeita que seja. Não é fácil pra eles terem alguém em casa também e todo mundo tem seu dia de cão. Realmente ser au pair emburrece se você se isolar, eu me isolei os 2 primeiros meses ficando 100% do tempo com a minha family e agora que quero sumir quando to off já não tenho essa liberdade, ou pior eles tem a liberdade que eu dei no começo.

Sentimentos são sempre difíceis de lidar, principalmente quando agente tá sozinha. E sim, nós estamos sozinhas aqui. E falar com a galera do Brasil nem sempre é a melhor idéia, me diga se isso nunca aconteceu com você. Você liga pra casa fala com mãe, pai, cachorro e melhor amigo, se sente sozinha e diz que quer voltar que aqui é um mundo gelado, que o ar engorda e você não entende porra nenhuma. Aí sua família fica preocupada, seu pai diz que te apoia em tudo e aí e então aí? Você dorme, acorda e tem um dia excelente e se questiona sobre extension...Pois é agente se torna bipolar nesse mundo, aprende a se conhecer e aprende a lidar com os próprios impulsos.

Mas no final e somente no final você vê que valeu sim a pena e ninguém vai te entender melhor do que você mesma.

-------------------------------------------------------
Las Vegas e 5 meses de américa.

Pra quem foi sabe do que eu to falando, pra quem não foi VÀ! E prepare-se, ninguém sai ileso de lá.

A cidade respira balada, álcool e putaria. Mulher não paga nas baladas e nem pra beber.

O que eu fiz de extraordinário? Bom o que acontece em Vegas fica em Vegas e muuuita acontece por lá. Mas destaco o pulo de paraquedas e a viagem de 945 km pro Grand Canyon. Vá com alguém que você confie e determine pelo menos um responsável por noite. E aí depois agente conversa pra ver se to mentindo.

Eu! Eu to aqui em CT ainda, não sei se fico ou se vou. Conheci amigas pra uma vida toda, possíveis amores, to congelando no outono e lidando muito com a minha bipolaridade e a da loca da minha HM...só isso mesmo!

Bjos de CT com folhas coloridas caindo.

Um comentário :

  1. Que lindooo!!!!! Nossa que lindo! rsrs é muito bom ver a vida acontecer !
    Bom caminho ai e aproveita tudo de bom e de ruim, pois sem algum dois dois nada faz sentido.
    Eu sou nova aqui, mas estou tão encantada com tudo que sugo toda e qualquer informação, e isto está sendo ótimo pra mim, ver o que acontece com quem tá vivendo na pele!!!!
    Ansiosa para o proximo post!!
    beijos,

    ResponderExcluir