sexta-feira, novembro 12, 2010

E o inglês??

Uma das nossas maiores preocupações quando iniciamos o processo de au pair é sobre o inglês. Será que é bom o suficiente? Será que irei ficar fluente? Será que irá melhorar durante o meu ano como au pair? Coloquei em tópicos alguns comentários e dicas a respeito deste assunto que me ajudaram muito a lidar com esta preocupação.

- SIM, NÓS APRENDEMOS INGLÊS NO BRASIL.

Muitas pessoas dizem que a gente não aprende inglês “de verdade” no Brasil, mas nós aprendemos mais gramática e escrita do que muitos americanos. Eles, assim como nós fazemos com o português, encurtam e inventam palavras, assassinam a gramática, usam muitas gírias. É mais fácil desaprender o inglês formal aqui, do que aprender. Para se acostumar com o jeito que eles pronunciam as palavras, algo que foi muito útil e divertido foi assistir filmes em inglês com legendas em inglês também, já que muitas vezes as palavras não são pronunciadas da mesma forma que são escritas.

- NÃO DIGA OK QUANDO NÃO ENTENDEU O QUE LHE FOI DITO!!

Quantas e quantas au pairs eu já vi entrarem em enrascada porque ouviram uma instrução da hostfamily e disseram ok sem ter entendido absolutamente nada! Pergunte quantas vezes forem necessárias, até você ter a certeza absoluta de que entendeu a informação que lhe foi passada. Muitas vezes as meninas ficam com medo da hostfamily acharem ruim ou perceberem que o inglês não é tão bom e correr o risco de cair em rematch, mas você fazer algo errado porque disse que entendeu e não entendeu tem a chance muito maior do rematch acontecer. A sua família já conversou com você e acredite ou não, sabe das suas limitações com o idioma e eles como hostparents devem ter a paciência de lhe explicar as coisas quantas vezes forem necessárias. Algo que me ajudou muito no começo foi pedir para deixar instruções escritas e eu tinha um dicionário inglês-português na cozinha e um na sala de estar. Quando eu não entendia de jeito nenhum uma palavra ou precisava dizer algo para eles e não sabia como recorria ao dicionário.

- NO COMEÇO É DIFFÍCIL, MAS VOCÊ VAI SUPERAR A BARREIRA DO IDIOMA

Lembro que as 2 primeiras semanas eu acordava e dormia com uma dor-de-cabeça enorme! Isto porque o meu cérebro estava tentando processar todas as informações, o idioma, acostumar com fuso horário tudo ao mesmo tempo. Geralmente nas primeiras semanas a sua hostfamily vai falar mais devagar com você, e as crianças geralmente vão repetir palavras para que você entenda e você vai aprender palavras novas todos os dias. Tente não ficar presa a uma palavra, preste atenção no contexto da conversa que geralmente você vai acabar entendendo o que a palavra desconhecida significa e se você não souber, pergunte o significado da mesma, afinal, você está aqui para aprender!

- APRENDA A APRENDER...

A assimilação de palavras novas acontece normalmente, mas o que fazer quando você está contando uma história e esquece de uma palavra importante? A dica que a minha professora de inglês me deu no Brasil e que eu uso até hoje é: se esqueceu uma palavra importante, explique o que você quer dizer, ou explique que quer dizer com outras palavras... um exemplo bem bobo, você quer tomar café mas quer colocar adoçante ao invés de açúcar, mas você não sabe a palavra adoçante em inglês, então explique o que você quer: falso açúcar, pó ou líquido para adoçar que não é açúcar, pessoa diabética usa no lugar do açúcar, usado ao invés do açúcar quando quer emagrecer... acaba meio que virando um jogo de advinhação, mas eu te garanto que você nunca mais vai esquecer que adoçante em inglês é sweetener .

- NÃO TENHA VERGONHA DE DIZER: “Could you repeat please?”, “ I did not understand”, “Could you speak slowly, please?”, “ What does that mean?”

Como eu disse lá em cima, algo que me ajudou imensamente a melhorar a pronúncia e acostumar o ouvido foi assistir muitos filmes e TV quando cheguei nos EUA. E eu assistia de tudo: esportes, notícias, novela, desenhos animados, filmes que já tinha visto no Brasil, os shows da MTV (que não são da melhor qualidade, mas que me ajudou a entender muitos comportamentos dos jovens americanos e de quebra aprendi muuuuitas gírias). A maioria dos canais de TV tem os shows para serem assistidos online, então quando tiver tempo livre, escolha seu programa favorito!

Não tenha vergonha do seu sotaque, de pronunciar as palavras erradas. CONVERSE!! Garanto que haverá mais pessoas admiradas com a sua coragem e determinação de aprender um novo idioma do que alguém que dê risada de você porque você não fala inglês corretamente. Não fique chateada ou constrangida se alguém corrigí-la enquanto estiver falando (mesmo que seja um menino de 3 anos de idade), você não está aqui para aprender?

- AMIGAS BRASILEIRAS E CRIANÇAS MUITO PEQUENAS PREJUDICAM O APRENDIZADO DO INGLÊS

Eu não concordo totalmente com esta afirmação. O meu primeiro ano como au pair eu cuidei de uma recém-nascida e a minha melhor amiga era brasileira, no entanto, eu havia outros meios de praticar o inglês como conversando com hostparents, lendo livros, vendo filmes, conversando com gente na rua, com au pairs de outros países, e o meu inglês melhorou imensamente! Tudo depende de você! Mesmo porque quando você tem kids maiores, eles não vão ficar batendo papo contigo e geralmente as conversas irão girar em torno dos mesmos assuntos. Infelizmente há casos de meninas que passam o tempo inteiro com brasileiras e quando viaja ou saem juntas, depende daquela que “fala melhor do que eu” para ser a intérprete e assim perde oportunidade de praticar.

- NO FINAL DO PROGRAMA TEREI INGLÊS FLUENTE?

Já entrei em várias discussões sobre este assunto, tanto no Brasil quanto aqui. Isto porque eu não concordo com o conceito de que ser fluente em inglês é falar como um americano. Sabe porque eu não concordo com este conceito? Porque um irlandês, escocês, australiano ou sul-africano tem como o inglês a lingua nativa e eles nunca irão falar como um americano. Isto quer dizer que eles não são fluentes?

Pra mim ser fluente é ser capaz de comunicar-se utilizando vocabulário adequado, gramática e pronunciando as palavras corretamente, mas isto não significa que estarei conversando como uma americana.

Agora, se a sua idéia de fluência é falar como um americano, existem cursos de redução de sotaque e técnicas para pronunciamento de palavras em muitas faculdades ou escolas para estrangeiros, porém nada adianta fazer curso para reduzir sotaque se você não praticar, portanto se a sua intenção é aprender inglês e adquirir fluência você deve durante todos os estágios do programa de au pair: ESTUDAR, DEDICAR-SE, PRATICAR. Afinal, ainda não inventaram o chip para implantarmos no nosso cérebro com tecla SAP para aprendizado instantâneo de idioma. =)

7 comentários:

  1. Nossa Eliana!!! Muito boa as dicas, valeu muito a pena mesmo ter lido esse post!
    Vou entregar meu application amanhã (13/11), e a preocupação que começa aparecer é sobre a idade das kids que vou preferir, se isso vai interferir no aprendizado do idioma...

    Você escreveu o que eu já vinha pensando!
    Adoro crianças de 1-3 anos! Acho até que com essa faixa etária você tem que estimular a fala da criança, e pra estimular você precisa falar com ela... ou seja, você irá aprender inglês!!!

    E também concordo com a questão da fluência!!
    Muito bom o post, com certeza irei lembrar dele quando estiver escolhendo minha família ou quando eu ká estiver por lá!!!
    Muito obrigada!




    ps: sem contar que fiquei mais relaxada quanto ao meu nível de conhecimento da língua inglesa.

    ResponderExcluir
  2. simplesmente adorei o post
    vlw mesmo
    kisses

    ResponderExcluir
  3. Amei o seu post,

    O MELHORRRRRRRRRRRRRRR KKKK

    Ke legal as dicas adorei !!!!

    ResponderExcluir
  4. Ameiii essse post.. paa mim, um dos melhores!!
    =]
    Parabens!!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  5. Realmente em.. quando eu falo muito Inglês a minha cabeça doi um pouquinho... kk.. é até engraçado.. mas realmente.. ai esta nosso.. pelo menos o meu.. maior medo.. Será q vou voltar com um Inglês melhor?? mas a resposta é justamente esse q vc coloco.. Depende de nós mesmos!!

    Beijoo flor!!

    Adorei o post!!

    ResponderExcluir
  6. Arrasou no post!! Fikei até com vergonha do meu humilde post sobre ingles :p Mas ajudou mtu! Bjoo

    ResponderExcluir
  7. Concordo com vc, ser fluente em uma lingua não é falar como um nativo - msm pq alguns nativos nem falam o proprio idioma direito - mas sim saber se comunicar corretamente em diversas situações, com pessoas de diferentes "tribos"

    ResponderExcluir