quinta-feira, janeiro 13, 2011

Decidi ser au pair... e agora?


Oi meninas e meninos, a partir de hoje, eu ficarei responsável por trazer comentários ou sugestões úteis nos próximos dias 13. Antes de partir para o post, uma breve apresentação: me chamo Isabelle [mas vocês podem chamar de 'belle'], tenho 21 anos e sou formada em Ciências Sociais.
Namorava com o programa au pair há muuito tempo, mas nunca tive coragem pra trancar a faculdade e ir, mas no penúltimo semestre do curso, minha mãe me mandou tentar porque eu precisava dar um break e lá fui eu, com o incentivo que antes me faltava.



Concordo com o post anterior, ser au pais não é sonho de ninguém [ou quase ninguém, afinal, o mundo está cheio de gente doida excêntrica], mas é realmente o meio mais viável financeiramente pra meninas que acabaram de sair do colegial ou estão no meio da faculdade.
Tenho um irmão de seis anos e sempre ajudei um pouco com ele, mas não me senti confiante em me inscrever no programa apenas com essa experiência. Fiz uma busca de agências, simpatizei mais com uma e seguindo a sugestão da moça de lá, encontrei uma creche-escola bilíngue na minha cidade para me voluntariar. Se eu sobrevivesse à experiência de cuidar de crianças que eu não tinha nenhum tipo de ligação, aí eu entraria no programa.

Alguns meses depois, apaixonada por quase todos os menininhos de lá e lidando bem com as principais situações de banho, sono, comida, birra, achei que poderia tentar o programa. Pra respaldar meu julgamento, acabei sendo até contratada temporária da escola [devo ter feito algo certo mesmo!].

Ops, terminei fazendo uma loonga apresentação sobre o caminhar do meu processo, mas acho que também toquei em um assunto que considero bem importante: a experiência com as crianças. Acompanho muitos blogs e comunidades no orkut sobre o assunto au pair, vejo muitas meninas interessadas e considero válido que elas queiram viajar, aprender uma outra língua, viver por contra própria sem ajuda de pai ou mãe, mas muitas delas esquecem que além do bônus das viagens, roupas e todo o american way of live existe o principal motivo que te levou até os US: as kids. Elas não serão um detalhe, mas um terço do seu dia e sua principal responsabilidade lá por isso é realmente importante ter jeito ou, ao menos, saber que vão ter que lidar da melhor forma com elas.

É comum ver meninas desistindo e voltando pra casa ao perceber que "não era bem isso", mas isso decorre muito do sonho dourado que se faz ao ingressar no programa. Claro que a gente pode se iludir, está cheio de blogs por aí mostrando viagens feitas, baladas frequentadas e milhões de coisas compradas a preço de banana, afinal, quem vai ficar escrevendo direto sobre todos os dramas que se passa em casa com kids e host family? E quem vai ficar lendo?
Mas isso vai do bom senso de cada um. Se nem nas nossas próprias casas, as coisas não são maravilhosas 24h por dia, por que seria com a sua HF?

E não tem isso de melhor agência. Sempre tem alguém perguntando "qual a melhor agência para ser au pair?" e acho que é consenso de que não há uma resposta exata pra isso. Vai da sua pesquisa e do quanto você se sente à vontade e confiante com aquele grupo. Não adianta te dizer que agência X é boa, quando na sua cidade pode ser que o suporte nem seja essas coisas todas e agência Y te faça sentir muito mais confortável. Internet tá aí pra ajudar, mas você também tem que sair de casa e procurar.

Procurem, procurem, procurem e leiam tudo que encontrar. Claro que deve haver um bom julgamento das informações obtidas, mas está cheio de meninas disponibilizando email/MSN pra dar dicas e conversar. Façam amizades pois isso certamente vai ser o que te salvará quando você começar a cogitar desistir de tudo isso. E ousem ir mais longe, por mais complicado que seja, acho que no fim vai valer a pena.

Até o mês que vem! ;*


2 comentários :

  1. Olá Belle ! que bom que você vai postar pra gente agora..
    E em pensar que tem au pairs que fingem ter experiencia com kids... cheiro de coisa que nao vai dar certo...
    bom post... bjs !

    ResponderExcluir
  2. Outra vez estava lendo, não sei onde, que uma menina fingiu ter experiencia com kids.

    Qnd chegou lá.... Foi colocar uma fralda, colocou ao contrario... rsrsrs

    Enfim, ótimo post, vc demostra bem a escolha q fez, q acho q a minha tb, "Sei a realidade do dia-a-dia au pair, mas tem um mundo lá fora, quero conhecer"

    ^^

    ResponderExcluir