sexta-feira, janeiro 07, 2011

"A gente não quer só comida..."

Um assunto recorrente nos fóruns auperianos - ainda que raramente discutido a fundo - é a alimentação nos Estados Unidos. É só falar da viagem para algum parente, ainda no Brasil, que vc com certeza vai ouvir "Menina, cuidado pra não engordar, lá eles só comem pizza e hamburger com coca-cola, e só tem gordo lá, já reparou? (sic)"

Pois bem, o intuito desse post é desvendar os mistérios da culinária do "país dos gordos". A troco de curiosidade, para nossas mães, e de interesse, para as futuras Isauras au pairs. As primeiras geralmente querem saber o que comemos, se engordamos, se estamos passando fome... Já as segundas, além dessas preocupações básicas, também querem saber sobre a rotina alimentar das crianças. Então, como diria Chico Picadinho (há!), vamos por partes:

Considerando o tempo que as au pairs passam em casa trabalhando, boa parte da alimentação está diretamente ligada aos hábitos da host family. Coisa que a candidata deve perguntar antes de fechar o contrato, claro. Se uma das crianças tem alguma alergia, se eles são judeus e mantêm tudo kosher, se eles são vegetarianos, se são super carnívoros, se comem só congelados, se nunca comem em casa...são muitas e muitas possiblidades!

Além disso, quando pensamos nos hábitos alimentares da família, estamos pensando em vários fatores:
1. Quem faz as compras da casa?
2. Que tipo de comida é comprada?
3. Como é a hora da refeição?

Atenção candidatas, a única pergunta a ser incluída na entrevista é a terceira! 


Pode parecer bobagem, mas tudo isso influencia o que vc come dentro de casa.

1. Algumas famílias dão dinheiro e pedem para a au pair fazer as compras do mês. Nesse caso, você tem a chance de ver os produtos, saber quanto cada coisa custa e comprar a sua parte da lista, dependendo do que foi combinado com a família. Em outros casos, a família vai anotando numa lista o que está faltando, e pede para a au pair anotar as coisas que ela gostaria de comer. E em outras famílias - como na minha - não tem lista e a família só vai pro mercado quando a geladeira tá sugando, e te pergunta cinco minutos antes de sair de casa se tem alguma coisa que vc queira. E claro, vc não vai lembrar de nada na hora rs

2. Ao contrário do que muita gente pensa, nem só de pizza vivem os americanos. Algumas famílias são doidas por healthy food, só compram em mercados orgânicos e ai da au pair se tentar botar um chocolate dentro de casa. Outras são mais tranquilas, mas uma coisa é fato: é bom vc se adaptar ao que a família compra, é mais difícil eles se adaptarem à você...

Aqui em casa o healthy food parece que saiu de um filme. Cenoura? Só baby carrot. Tomate? Quase sempre na versão cereja. Legumes? Congelados, com um gostinho especial de plástico. Menos abobrinha e pepino. Verduras? Bem, as folhas de salada vêm cortadas, em embalagens plásticas, acompanhadas de condimentos, croutons, essas coisas. Uma ou duas vezes apareceu um pé de alface hidropônico.  Arroz? De saquinho, semi pronto. O arroz normal é preparado na "panela de arroz", sem nenhum tempero. Juro. Carne? Não sei, só me lembro que ela existe quando a refeição principal tem carne e não tem, digamos, mais nada pra comer (Y).

3. Cada casa tem uma rotina alimentar diferente. Depende da profissão dos pais, depende da idade das crianças. Algumas famílias fazem questão de sentar todo mundo na mesa na hora do jantar, que é a refeição mais importante do dia por aqui. Outras comem em horários diferentes, e o jantar da au pair se encaixa em um dos turnos. E algumas famílias nem chamam a au pair pra jantar rs. Aqui, as crianças jantam mais cedo, vão pra cama, e só depois os pais comem. Às vezes ele se sentam à mesa pra comer, às vezes comem em frente à TV, às vezes me chamam, às vezes não, depende do que tiver pra jantar.

Ainda que cada família seja muito diferente, a alimentação das crianças é praticamente a mesma em todas as casas. Com exceção de alguns casos raros, criança come "comida de criança", e a au pair logo se familiariza com os nomes mac and cheese, peanut butter and jelly, cheerios, gold fish, apple sauce, string cheese, etc. Aqui em casa as crianças quase nunca comem a mesma comida que os pais. A ideia da comida pros pequenos é que seja algo rápido, fácil, prático, que a criança goste e - se é que já não ficou claro - que não dê trabalho nenhum.

Um ótimo exemplo são as papinhas dos bebês. Eu não sei vocês, mas eu cresci vendo minha mãe, vó e tias cozinhando e congelando mil potes de papinha, e raspando fruta fresca pra dar de sobremesa (e ninguém morreu por causa disso hein). Não sei explicar exatamente o porquê, mas isso simplesmente não encaixa na cultura americana. Papinha de bebê é um negócio ridículo de barato, ainda mais se considerarmos o trabalho do processo caseiro. Sem contar que os sabores são uma experiência à parte, faço questão de escrever os mais bizarros:

Spring vegetables with brown rice;
Maccaroni&Cheese with vegetables;
Butternut Squash & Harvet Apple with Mixed Grains (wtf?)
Organic Sweet Pea Turkey Wild Rice
Vanilla Custard Pudding with Bananas
Vegetables Risotto with Cheese
(lembrando que os de cheese são tão fedidos...)

Sem muitas delongas sobre o quão nutritiva ou não é a almentação dos pequenos americanos, o fato é que se a host family disser que vc vai ter que cozinhar/ alimentar as crianças, não se desespere. O processo (pelo menos o meu) é mais ou menos assim:

*Considerando a rotina da minha host family e considerando o gosto alimentar bem restrito do host kid de 3 anos.

Café da manhã: Geralmente é meio corrido e tumultuado, mas suspeito que isso acontece pq a cafeína demora pra atingir meu cérebro e me transformar num ser humano de novo...

Eles: O menino come cereal ou waffle, e toma muuuuito leite (coisa de 3 copos de uma vez). A bebê toma uma mamadeira (fórmula) e um pote de papinha.
Eu: Uma caneca huge de café, cereal ou iogurte.

Almoço: Ao contrário do padrão brasileiro, aqui o almoço é uma refeição menor, pra qual ninguém dá muita bola. Come-se menos do que no jantar.

Eles: O menino geralmente come um prato com pequenas porções de coisas diferentes. Um iogurte, um queijo, um pouco de broccoli e uns biscoitos é um bom exemplo da "montagem" que eu faço pra ele. E sim, eles chamam isso de almoço. Pra bebê, mais papinha e um cereal tipo mucilon, que a gente chama de cardboard (papelão) por causa da cor e do gosto, mas que ela adora.
Eu: Eu costumava almoçar bem no Brasil. Aqui tem que ser uma combinação: o que tem pra comer + a minha agilidade de preparar o que quer que seja enquanto dou colheradas de papinha, sirvo o almoço do kid e ainda mantenho a cozinha mais ou menos arrumada. Tem dias que como salada, ou esquento um veggie burger(!), ou faço um macarrão, ou arroz com vegetais...enfim, dá pra viver, mas tem dia que dá uma saudade monstro de comer comida de verdade!

Jantar: Eu janto no turno dos adultos, já que o das crianças é muito cedo. Se o host estiver em casa, ele cozinha e é ai que eu como melhor, porque ele manda muito no fogão. Se ele trabalha até tarde, ou se ninguém tá no pique de cozinhar, às vezes eles pedem pizza (sempre com carne, pra constar), às vezes comem leftovers, às vezes um congelado, por ai vai.

Por último, vale lembrar que nem só de trabalho é feita essa vida, e que a au pair vai sair pelo menos de vez em quando pra comer fora. E o que vc come fora de casa, claro, é você quem decide :D
Muita au pair reclama que engorda por conta dos fast foods, e não é pra menos: com o dóllar menu, é possível comer um hamburger, tomar um refri e comer batata frita em qualquer fast food por 3 dólares. Ao contrário do que temos no Brasil, aqui fast food é muito, mas muuuito barato! Claro que vc sempre pode optar por comer em outro lugar, mas se o preço falar mais alto, já era.

Como uma pseudo vegetariana, nunca tem nada que eu goste em lugar nenhum, então meu top USA de comida fora de casa é o  Panera Bread. É a versão mais próxima de uma padaria. Café bom, sopas, pães, saladas, e do lado da minha casa!  Também vale citar o Taylor, que tem sanduíches tipo o Subway, mas em versão gourmet e num preço que compensa, e o Maoz, um vegetariano meio árabe. No mais, eu adoro sair pra comer comida oriental, que vai muito, mas muito além do rodízio de sushi, coisa que eles nem tem. E se apertar a vontade de comida brasileira, aqui em DC area tem a ByBrazil, uma loja cheia de comidas e guloseimas trazidas diretamente da terrinha.

Espero ter conseguido dar um panorama razoável da alimentação americana, do ponto de vista de uma au pair. Me empolguei com o assunto por conta do blog Comer para Crescer, e pretendo voltar a falar sobre comida nos próximos posts, então deixem perguntas e sugestões ;)

Beijos,
Mari

6 comentários :

  1. eu já engordando antes de ir magina quando eu tiver lá!

    ResponderExcluir
  2. Mari, eu adorei o seu post!!! É uma análise completa do que acontece por aqui. Depois dá uma passada no Comer para Crescer para ver o que as pessoas estão comentando. Está sendo uma discussão muito legal. E, como falei lá, deixo uma pergunta aqui para você. A resposta pode até virar outro post - aliás, vou sugerir para a Pati para publicar seu post na íntegra. Minha pergunta é a seguinte: essas comidas todas que você citou não são cheias de sódio, estabilizantes, corantes e outros antes? Os pais não tem medo das crianças comerem tantas comidas industrializadas?
    beijos e parabéns pelo post
    Mônica (sócia da Pati no Comer para Crescer)

    ResponderExcluir
  3. Mari,
    Tinha escrito um recado monstro que o blog não aceitou!!!! M.. Então, deixo aqui o início: adorei o post e vou publicá-lo na íntegra como disse a Mônica. E vamos atrás das informações sobre a papinha daí.
    beijos saudosos,
    Patricia

    ResponderExcluir
  4. Amei, amei seu post!! :D

    ResponderExcluir
  5. A Mari manda muito bem, gente.

    ResponderExcluir
  6. POst muito bom! Minha bb come a maioria dos citados e so pode comer comida organica... Mas a casa é suja... Mas a suejeira é organica!!! Hahaha!

    Um bjo Mari! Adoro os seus posts!

    ResponderExcluir