quarta-feira, janeiro 12, 2011

O sonho de ser au pair...

Ser au pair não é sonho de ninguém. Vamos falar a verdade... ninguém desde menininha sonhou um dia aprender inglês e ir para um país estranho, morar com gente estranha, numa cultura diferente da sua par a ser babá de crianças que tem criação totalmente diferente da sua e receber em troca casa, comida (o post da Mari do dia 6 dá um ótimo exemplo sobre este item) e 200 dólares por semana.

Todas as meninas que entraram no programa au pair (digo todas porque se você se encaixar na descrição acima por favor deixe um comentário eu TENHO que te conhecer!!!) tinham um sonho maior: conhecer uma outra cultura, ficar fluente no inglês, andar pelas ruas de NY, sair do Brasil, viajar pelo mundo e encontrou no programa au pair um meio viável financeiramente e que oferece certo conforto e segurança para realizar estes sonhos.

E o que acontece muitas vezes é a chegada de novas au pairs cheia de sonhos pessoais e despreparadas para a realidade do árduo dia-a-dia de trabalho, as dificuldades do idioma, a nem sempre calorosa recepção das crianças (e até mesmos dos fofos e lindos hostparents), o isolamento pela falta de transporte ou de au pairs receptivas na área onde mora, a diferença dos hábitos alimentares, da cultura, da saudade de casa, dos amigos, dos amores e a realidade de que a adaptação a tudo isto pode ser um caminho muito difícil e solitário, já que não importa o quanto seus queridos deixados no Brasil te amem, eles nunca irão entender o que você está passando e garanto que quando a lista de queixas começar a chegar aos ouvidos deles, a primeira coisa que eles irão fazer é pedir para você retornar para casa, para a sua zona de conforto, para o seu país querido.

E só então você realmente percebe em qual barco entrou. E aí os sonhos começam a se misturar com a saudade, a solidão, o orgulho de ter chegado até esta etapa e ao mesmo tempo medo do desconhecido. A fase mais difícil, a adaptação, pode durar dias, semanas, meses e nesta fase é preciso ter em mente o que te trouxe para os EUA. Relembre dos velhos sonhos, desejos e tenha-os em mente. Relembre dos amigos, famílias e amores com carinho e saiba que é amada, muito amada e que onde quer que você esteja no mundo sempre haverá alguém orando por você, torcendo pela sua felicidade, dando apoio e estendendo a mão.

O ser humano tem uma incrível capacidade de adaptação para sobreviver e vai ser nesta fase tão difícil que você vai começar a descobrir quem verdadeiramente você é, a sua força de vontade, paciência, o que você realmente quer para a sua vida. E aos poucos as coisas começam a se encaixar, os amigos vêm, as boas experiências, viagens, alegrias, descobertas, amores, sabores, enfim, tudo aquilo que você quis começa a se tornar realidade, mesmo você não tendo uma vida fácil como au pair.

É a mistura da realidade de au pair com a realização de sonhos pessoais que torna esta experiência tão enriquecedora, pois todas que entraram no programa terão obstáculos pessoais a superar em diferentes aspectos da vida e irão saborear o doce gosto de tornar um sonho realidade, seja o tamanho que for.

Porém, existem também aquelas que simplesmente não conseguem passar por esta fase, ou simplesmente percebem que ser au pair não é o que se quer para os próximos 365 dias da sua vida, seja por qual for o motivo e decidem jogar a toalha, ou tem a toalha jogada na cara (nos casos em que por N motivos de forças maiores precisam desistir ou deixar o programa). Para estas existe a carga maior da frustração, os julgamentos consigo mesma e dos outros, a revolta, a tristeza, a decepção. Não é uma decisão fácil, mas digo que não é a decisão certa ou errada. O programa de au pair não foi feito para todas as sonhadoras entre 18 e 26 anos, que falam inglês e querem conhecer o mundo, por isto não deixe o sentimento de derrota invadir a sua vida, sendo que você batalhou e tentou. Embora seja o caminho financeiramente mais viável, não é o mais fácil e talvez este não seja o SEU caminho para conseguir atingir os seus sonhos e objetivos.

Algo de bom sem dúvida a experiência de ser uma au pair trouxe e trará para a sua vida, talvez alguma certeza em relação a sentimentos, pessoas, carreira, descoberta de quem você realmente é e o que você quer para a sua vida e por estes motivos, coloque um sorriso no rosto e saiba que valeu a pena e jamais deixe de sonhar e batalhar para transformá-los realidade porque é isto que faz a nossa vida ter sentido.

Lia =)

10 comentários:

  1. e assim eu vou sobreviviendo a essa inferno que é minha vida aki...

    ResponderExcluir
  2. vou colar na porta do banheiro, beijos.
    Um bom post (bem escrito e sem cara de "de novo esse assunto") pras futuras Sandys, I mean, sonhadoras de plantão, pq a vida nazamérica é doce, mas não é mole não.

    ResponderExcluir
  3. nossa... gostei mto do seu texto Lia. Disse tudo!!

    e assim eu vou sobreviviendo a esse inferno que é minha vida aki [2]

    ResponderExcluir
  4. Amei seu texto!
    É com esse pensamento que pretendo pisar no avião que me levará pros States...

    Espero que daqui a 1 ano eu possa olhar pra trás e ver que TUDO, todos ao choros, todas as tristezas e desesperos, todas as alegrias tenham valido a pena!!

    Bjos a todos!

    ResponderExcluir
  5. adoreiii muito! e acho que vou desistir de ser au pair... mas não pq acho que não eh para mim, mas pq estou 1 mes e meio On e não tive a oportunidade de falar com nenhuma familia.. não tive nenhum contato.. e não posso mais esperar... =//.. estou muito tristee! eu queria chegar até ai! beijos!

    ResponderExcluir
  6. Post perfeito! Falou TUDO!

    ResponderExcluir
  7. Post perfeito! Falou TUDO! [2]

    ResponderExcluir
  8. Jeh, eu fiquei 6, e minha amiga ficou um ano.
    Relaxa a pipoquinha ai ...

    ResponderExcluir
  9. what a nice post!
    creio q é mto válido pra au pair em qq fase do processo, das q estão pensando em preencher dossie às q estào perdidas por aqui. parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Oii! Amei o teu post, posso te dizer que estou muito triste de voltar pra casa, mas ao mesmo tempo feliz por saber que tentei, e dei o maximo que eu podia dar de mim mesma. Nao tive muitas experiencias boas aqui, mas encaro a volta nao como um Adeus,mas sim um Volto logo, pois sei que ainda nao cumpri tudo o que queria aqui :)

    ResponderExcluir