sábado, fevereiro 12, 2011

A vida após o programa de au pair

Há exatos 4 anos eu coloquei os meus pés aqui na Terra do Tio Sam e há exatos 2 anos eu saí da casa da minha segunda host family, com malas e caixas abarrotadas com as coisas que acumulei durante os meus dois primeiros anos na América. No coração havia um misto de sentimentos muito grandes. Alegria e alívio por ter terminado o programa e também muita ansiedade e medo das incertezas do futuro.

Em algum ponto você terá que tomar a decisão que vai tirar-lhe o sono durante alguns dias ou até mesmo semanas: que rumo tomar após o termino do programa? Devo retornar para o Brasil, devo permanecer nos Estados Unidos? Caso, compro uma bicicleta, faço mochilão, termino a faculdade, começo faculdade, O QUE EU FAÇO AGORAAA? ? ?

Bom, voltar para o Brasil nunca tinha sido uma opção para mim. Na minha cabeça havia um complexo e bem elaborado plano desde que decidi ser au pair: ficar 2 anos nos Estados Unidos para adquirir experiência e fluência no inglês e daqui mesmo arrumar toda a documentação e ir embora para o Canadá ser caregiver. O motivo é óbvio: depois de 2 anos como caregiver (já que você é um empregado que tem direitos e deveres, paga impostos e tal) você pode pedir a sua residência permanente no país, o que jamais aconteceria aqui nos Estados Unidos. Então eu moraria no Canadá para o resto da minha vida, feliz e contente. Este pelo menos era o plano que EU tinha em mente.

Porém, a vida tinha outros planos para mim. Bem no começo do segundo ano como au pair conheci o amor da minha vida. E quando as coisas começaram a ficar sérias entre nós, os planos começaram a mudar. Precisava encontrar um jeito legal de ficar aqui, pois sabia que se eu retornasse para o Brasil, o único visto que poderia conseguir seria o de turista. Depois de muito chorar, orar, pesquisar decidi trocar o meu visto para o de estudante. E assim, lá no meio do meu ano como au pair, antes mesmo dos papéis do retorno para o Brasil chegarem eu comecei a arrumar documentação, escola, etc. Foi difícil viver com a espera da resposta da imigração, mas ela veio 1 dia antes do meu visto J1 expirar. A partir daquele momento a minha vida mudou completamente.

A vida pós au pair na América não é fácil (a não ser que você tenha casado com um americano milionário, o que não é o meu caso). É preciso muitas vezes conciliar trabalho com estudos, e apesar de ter feito isto durante 5 anos no Brasil, aqui é muito diferente. Em primeiro lugar, se você não estudar, você não passa nas matérias e consequentemente irá jogar dinheiro fora. Em segundo lugar, na maioria das vezes é preciso trabalhar duro cuidando de crianças, como garçonete, limpando casa, entregando pizza, jornal, etc,etc,etc... os tipos de trabalho que você jamais imaginaria que faria para pagar as pilhas de contas que vai chegar mensalmente na sua casa, além da escola. Quando somos au pairs a nossa maior preocupação na maioria das vezes é o que vamos comprar ou para onde vamos ir. Contas não é algo que faz parte da nossa realidade.

Os Estados Unidos é um lugar maravilhoso para se morar, com conforto, segurança, comodidade, mas há um preço a se pagar para sobreviver nesta terra. Um preço muito alto eu diria.

Infelizmente já vi pessoas perderem identidade, famílias, valores e caráter para conseguir “fazer dinheiro” (como eu odeio esta expressão!!) e continuar aqui. Aqui também é a terra da solidão, já que as pessoas estão muito ocupadas com suas vidas. Sem contar, é claro a distância da família do Brasil, que não há tecnologia do mundo que faça a saudade diminuir. Amizades verdadeiras aqui é coisa rara, a maior parte das pessoas estarão ao seu redor nos momentos bons, nos momentos em que você pode oferecer algo para eles. Já perdi a conta das decepções que tive aqui com amizades que supostamente durariam para a vida inteira... Sempre digo que se não tivesse o meu marido aqui, já teria embora daqui a muito tempo, provavelmente colocando em prática o plano inicial de ir para o Canadá.

Apesar de não ter retornado para o Brasil, eu vi todas as minhas amigas retornando para a nossa terra amada e posso dizer por experiência de conselheira e consoladora que não é fácil, principalmente se o retorno não era algo planejado.

O tempo de readaptação de cada uma foi variado, mas todas passaram pelo choque cultural ao contrário, já que estavam acostumadas com a vida e a segurança daqui. Muitas reclamaram da falta de paciência e compreensão dos entes queridos, principalmente quando o desejo era permanecer nos Estados Unidos e a falta de opção fez com que se retornassem para casa.

Aquelas que voltaram para alguma coisa ou alguém ou que tinham um objetivo em mente ao colocar os pés na Pátria Amada tiveram maior facilidade na readaptação e em lidar com o misto de emoções do retorno. E posso dizer que hoje, todas elas estão super felizes com a vida que estão levando por lá e são unânimes em dizer que a experiência que elas adquiriram durante o ano fora do país as ajudaram a lidar com problemas pessoais e profissionais.

Independente do lugar onde se escolher morar após o término do programa, sem dúvida nenhuma você encontrará desafios, lutas e também recompensas. Não gosto de ouvir pessoas dizendo que aqui é o paraíso (porque não é!), e que retornar para o Brasil é sinônimo de derrota (porque não é). Uma das grandes lições que aprendi durante este tempo é que onde quer que eu estiver, há inúmeras pessoas torcendo por mim, que me amam e oram para que eu seja muito feliz, e que eu sou inteiramente responsável pela minha própria felicidade.

Quando o programa de au pair terminar, guarde com carinho as recordações, as aventuras, reveja as fotos, mantenha contato com os amigos que encontrou durante a sua jornada, extraia as coisas boas desta experiência e seguia o seu caminho com a mente e o coração abertos, porém jamais mantenha o seu foco no passado.

E como diria a música Unwritten da Natasha Bedingfield ( também conhecida como o tema official das au pairs): Today is where you book begins, the rest is still unwritten”.

8 comentários :

  1. Nossa , faz muito tempo nao entro aqui, e quando entro me deparo com este post tao bem escrito e emocionante... Amei cada palavra... Bjusss

    ResponderExcluir
  2. ótimo post.. é mesmo muito difícil figure out o que fazer depois disso, eu to decidida mas ainda fico deprezinha desejando que seja a coisa certa rs
    aponta pra fé e rema hehhe
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oiii
    Adorei o email que vc me mandou :)
    E adorei seu post tb. Pior eh quando vc ta de volta no Brasil e tem vontade de voltar mas nao tem certeza se eh a coisa certa a fazer :/
    Essa indecisao me consome hauahauhau

    ResponderExcluir
  4. Excelente post. Eu diria que o meu lema como au pair é "se ficar o bicho pega, se correr o bicho come"...mas né, por enquanto vamos tentando ficar e ver no que dá ;)

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do seu post. Realmente eh muito importante ter em mente o que se vai fazer da vida, pra depois falar com clareza e experiencia do que sabe....
    Parabens.

    ResponderExcluir
  6. Thamiris8/1/13

    Amei!!!!

    ResponderExcluir
  7. Adorei seu post! Principalmente pq eu pretendo fazer o programa ano q vem e n quero voltar! Haha n sabia sobre o q vc disse sobre o Canadá! Vou procurar saber! Já fiz intercâmbio lá e amei!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Como conseguiu o trabalho como au pair? Estou fazendo cadastro em sites de agências mas com interesse na Espanha ou Portugal. De que maneira posso ingressar nisso?

    ResponderExcluir