quarta-feira, outubro 10, 2012

Give up? Overcome is the word!


Well, well, well... (A Indomada feelings)

Lá estava eu, fazendo as anotações do post de hoje, à caminho da casa do meu tio, que seria sobre trabalho voluntário. Eis que chego lá e, no meio da conversa, outro assunto resolve entrar em trabalho de parto, na minha cabeça: o impacto social que uma amiga exerce em minha vida. **Sim, minhas ideias tem um período de gestação. Anyway...
... Cá estamos nós, em mais um dia 10, para mais uma conversa. Pra começar, o filme Front of the Class conta a história de Brad Cohen, que tem Síndrome de Tourette desde os 06 anos, e que sempre lutou pelos seus sonhos e hoje é professor de uma escola elementar na Georgia, palestrante motivacional, e já foi eleito o melhor professor do ano pelo estado de Atlanta!

- Tá, Marysila.... E o kiko? Eu só quero ser Au Pair....

Então, gente, a questão aqui é que eu, assim como muita gente, tem uma dificuldade a ser superada. Tem gente que tem depressão, que é diabética, que passou por um mau bocado e não consegue esquecer.... Mas eu costumo dizer que não tenho dificuldade, mas sim uma característica a ser compreendida pelas pessoas: a gagueira.
Afinal de contas, você também é diferente
e eu não fico reparando!
Minha amiga Gagueira.... eu a tenho comigo desde que me lembro por gente, é de família (mãe, 2 tios, avôs, vários primos, vários tios-avós, 1 sobrinha... etc) e, ao contrário do que muita gente acha, não é voluntário e não tem cura (e nem graça, só pra constar). Mas, por mais incrível que possa parecer, não, ela nunca me incomodou. Sendo bem honesta, sempre foi normal, para mim, gaguejar; eu simplesmente não me vejo falando "normalmente".
O grande problema da minha coleguinha é, como eu falei no começo, o impacto social que ela provoca. Porque o que é normal para mim, para as outras pessoas é uma aberração. E daí coisas simples como pedir uma informação na rua, comprar um lanche no Mc Donald's ou pedir uma pizza pelo telefone se tornam verdadeiras provações.
Mas não, eu não vim chorar as pitangas da minha gagueira e de como as pessoas reagem a ela (até porque eu não ligo). Eu vim dizer que todos temos defeitos, e que nenhum deles é justificativa para desistir. Se o cara lá com Tourette chegou onde chegou, eu com a minha gagueira também posso, você com o seu pé de chumbo também pode, você que está desempregada há séculos também, você que acha que "pano de chão" é aquele tapete vintage que tem no hall.... também.
Simples assim!
Acreditem, o mais difícil em superar nossas dificuldades é superar nossa auto rejeição.  O resto, minha gente, é o resto. Só não entre nesse programa - ou em qualquer outro projeto que você tenha - achando que não será aceito, ou "o quê as pessoas vão fazer quando souberem de tal coisa?"; não comece nada com pensamento derrotista, não desista antes de começar! Aliás, NÃO DESISTA!
Não se permitam levar pela depressão que os cola na cama, pela falta de apoio dos que te cercam, pelos montes de maus tratos que você recebe, pela maré de azar que você se encontra, pelo desemprego, pela "patricisse".... Enfim, não se permitam abater. Muitas das vezes achamos que estamos sós por estarmos de olhos fechados.

O negócio aqui é sacudir a poeira, ajeitar a peruca e voltar pro palco linda, loira e japonesa (alguém me explica essa expressão???)!

Antes do meu beijo, quero dizer que quem está fora do país e tem título de eleitor domiciliado aqui no Brasil, têm que justificar o voto! Vocês podem fazer isso em até 60 dias após a eleição (cada turno é uma eleição, viu!) ou em até 30 dias após o retorno ao país. Tem tudo explicado no site do TSE. Ah, pra quem pretende ficar aí indefinidamente, existe a possibilidade de transferir o título para o exterior e aí votar nas eleições para governador e presidente.

Agora sim! Beijo pra quem fica e até o mês que vem!


Curta nossa página! O Blog das 30 Au Pairs
Siga-nos! @30AuPairsBlog

6 comentários :

  1. Bom demaaaaaais o post! Super verdade. E serve até pra quem não tem um obstáculo assim porque a gente não da valor. O filme é ótimo e sempre me inspira quando preciso de força pra continuar lutando por um mundo melhor, recomendo SEM-PRE!
    Parabens e força!

    ResponderExcluir
  2. Eliana ex au pair10/10/12

    Ótima mensagem e continue com este pensamento positivo e acreditando em você que você vai longe!!!

    Só corrigindo, quando se transfere o título de eleitor para o exterior votamos apenas para presidente.

    ResponderExcluir
  3. Sabia que não tinha entendido de votar fora muito bem...

    ResponderExcluir
  4. A intenção foi mesmo atingir quem fica procurando sarna pra se coçar, arranjando desculpa pras coisas não acontecerem. Sobre o post, eu coloquei no ar querendo que fosse algo melhor... Mas que ótimo que vc gostou, pq eu estou ansiosa pelo seu dia!

    ResponderExcluir
  5. Achei muito bom o tema mas acho que vc poderia ter estendido o post um pouco mais, com mais pesquisa e mais historias de outras pessoas. Vc escreve muito bem.

    ResponderExcluir
  6. Então, Thays, eu fiquei com medo de estender e ficar mimimi demais, mas estou pensando tocar nesse tema novamente quando meu processo andar. Fazer um post a lá Rock Balboa no topo da escadaria, sabe como?! Anyway, que bom que você gostou e não terei medo no mês que vem!

    ResponderExcluir