sexta-feira, março 22, 2013

Application - Tutorial - Parte III

Bom dia queridos leitores.
Sei que ainda não é dia 16, mas eu voltei mais cedo pra quebrar um galho pra nossa linda escritora Vanessa, que infelizmente, por motivos pessoais, não pode aparecer por aqui hoje.
Mas não se desesperem, mês que vem ela está de volta. =)

Então vamos ao que interessa.
Como dia 16 eu freacked out e resolvi fazer um desabafo, hoje eu voltei com mais um episódio da nossa série sobre o temido APP. Aviso desde logo que o post será um pouco maior que o normal, mas quanto mais informação, melhor preparada você fica, certo!?

Hoje vamos falar sobre a principal parte do intercâmbio.
É, é justamente isto que você está  pensando, as viagens, os cursos, os lindos americanos que você vai conhecer e as baladas nas quais você vai se jogar, a experiência com crianças.

Sejamos realistas. O programa de au pair, apesar de ser uma ótima oportunidade de realizarmos nosso sonho de morar fora a um razoável custo financeiro, é, acima de tudo, um trabalho.
Então, se tem uma coisa que realmente importa, é a experiência que você tem trabalhando com crianças e a quantidade de horas.

Para poder se inscrever no programa você tem que ter no mínimo 200 horas comprovadas de experiência profissional com crianças, independente da idade.

Ah, eu tomei conta do meu primo durante anos. Isso conta Carol?
Claro que conta! Mas como segunda experiência. O governo americano e as agências exigem pelo menos uma experiência comprovada com alguém not related, ou seja, que não seja seu parente de alguma forma.
Mas você ainda assim aproveita as milhares de horas que você passou cuidando dos seus primos, irmãos e etc, como segunda (ou terceira, quarta, etc.) experiência, e dá pra dar aquele up na quantidade de horas né. 

E como colocar isso no application?
Quando você se inscreve, junto com os demais documentos que você recebe, como eu falei anteriormente, você recebe um formulário de comprovação de experiência profissional.
No meu caso, eu recebi uma cópia em português e uma em inglês, mas já vi algumas meninas dizendo que tiveram que traduzir elas mesmas. Obrigada CI. <3

Você entrega ele pra seu empregador/tia/tio/prima/amiga enfim, pra pessoa responsável pela criança que você tomava conta, e ela responde e assina. Depois você traduz o que ela escreveu pro inglês no outro formulário.
Importante ressaltar que os dois formulários devem estar assinados por quem te deu a referência!

É esse aqui óh.

Pra cada experiência que você tiver pra comprovar, deve ser preenchido um formulário em português e um em inglês, do contrário as horas não serão aceitas, mesmo se for com familiares.
Depois de tudo preenchido, você envia pra sua agente com o resto dos docs, e aguarda a liberação do app online.

Nele você vai ter um local especial pra registrar cada uma das suas experiências.
Mas detalhe: tudo que você registrar lá tem que ser comprovado por meio dos formulários escritos, então eu sugiro que você guarde uma cópia de todos eles pra facilitar sua vida nessa hora.
Você vai encontrar as seguintes opções:


Obs: a diferença entre nanny e babysitting é o caráter profissional da relação.
Geralmente uma babysitting é aquela menina mais nova que mora no bairro e toma conta da criança enquanto os pais saem pra jantar na sexta a noite. Já a nanny é uma babá profissional, que é contratada para tomar conta das crianças por um determinado período de tempo e com um salário fixo e bem maior.

Após escolher uma das opções, você vai ser direcionado para um formulário onde colocará as informações básicas de cada experiência. É bem semelhante ao formulário escrito, pergunta nome do empregador, nome da criança, suas atribuições, quantidade de horas por semana e de semanas por mês e tal. Ele próprio já faz os cálculos de quantas horas de trabalho você tem com cada experiência cadastrada, dá pra ter uma noção, mas não conte com este número ainda, por a agência precisa aprovar as referências antes de aceitar a quantidade de horas que você declarou, e em grande parte das vezes eles diminuem um pouco suas horas. Cadê a cláusula da justiça no contrato ein??

Lembre-se também que a agência pode ou não ligar para confirmar suas referências.

Além de cadastrar as experiências pra computar a quantidade de horas trabalhadas, você deve fornecer informações gerais sobre suas habilidades com crianças, o que inclui as diferentes idades com as quais você já lidou, que tipo de atividade você era responsável por fazer com as crianças, se você já cuidou de crianças com necessidades especiais, se você tem treinamento como salva vidas, enfermeira ou primeiros socorros, se sabe cozinhar, e algumas outras coisas mais.

É nesse formulário também qu você vai informar a faixa etária das crianças que você se sente confortável tomando conta quando for au pair.
Importante não fazer muitas restrições, mas também respeitar seu limite de experiência e paciência.


Trabalhoso, mas tranquilo, né!?

Agora que já ficou tudo explicado, me resta dar uma dica a você, lindo ou linda que ainda não desistiu de ler esse post enorme. Thanks for that. :D

Quando a gente se inscreve e vê o requisito de 200 horas a gente pensa: nossa, só isso? Vai ser fácil!
Mas não é bem assim que a coisa acontece.
Vamos ao choque de realidade, que eu também tive.

Já havia lido sobre isso nos grupos no facebook, mas nunca tinha dado tanta importância, já que a agência só exige 200 horas. 

Mas depois que eu fiquei online.. Yeeah! Estou online galeraaa! =D Eu vi que é raro uma menina com menos de, pelo menos, 2.000 horas de experiência. E eu já cheguei a ver garotas com mais de 16.000. Isso mesmo, você não leu errado, 16 MIL horas. Major competition!
Desesperador, hã?

Mas não adianta arrancar os cabelos e desistir. Como qualquer outro emprego, tem gente muito bem qualificada disponível no mercado pra concorrer com você.
A única saída é arregaçar as mangas e ir atrás de experiência, honey. Incrementar seu app.
Vale pedir referência pra aquele parente que sempre deixa o filho com você, ou a amiga que você ajuda a olhar o baby, ou ainda pra aquela comadre que leva seu afilhado pra ficar com  voê no final de semana. E melhor, vale fazer trabalho voluntário naquela creche que tem mais crianças que funcionários ou mesmo arrumar um emprego temporário num lugar semelhante.

O segredo é nunca perfer a fé!
Seja com 200, 2.000 ou 16.000 horas de experiência, uma hora aparece aqueela família que você vai adorar e eles também e aí você já conhece o final da história né?

Bom, chega de falar por hoje né?
Agora é a vez de vocês. O que estão fazendo pra incrementar as horas do app?
Comentem, perguntem, contem sua história. Estamos doidas para ouvi-las também!

Até a próxima.

Beijinhos

2 comentários:

  1. É verdade um dos fatores essenciais e que fazem com que as famílias levem muito em conta é a experiencia que a menina tem.... eu tive mais de 16.000 hrs pq trabalhei a minha vida toda com escola entao usei isso para o meu app tb.... isso fez com que os meus hosts se interessassem por mim tb.... e na boa nao tentem mentir pq o programa de au pair não é brincadeira.... é extremamente importante ter experiência... procurem adquirir experiencia com todas as idades, sejam voluntarias em creche, passem horas com primos, sobrinhos, vizinhos.... quanto mais melhor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo Vanise! Em se tratando de responsabilidade com a vida de alguém, quanto mais experiência melhor!

      Excluir