terça-feira, março 26, 2013

One minute it's love and suddenly it's like a battlefield


Hi folks,

Meu nome é Belle e eu sou a nova responsável pelos posts do dia 26 de cada mês. Eu estava começando a escrever uma apresentação, mas... ôpa, eu já fiz isso antes. Há pouco mais de dois anos atrás eu fazia parte desse blog, com um dia diferente, assim como em um tempo completamente distinto, e agora que completei dois anos de USA, acabei sendo convidada a retornar por pura coincidência.

Reli os meus primeiros três posts aqui e fiquei me perguntando o que mudou nesses 24 meses. Não mudei muito meu jeito de avaliar as coisas, nem meu senso de moral, tive a cabeça aberta para entender muito do mundo diferente que vim vivenciar, mas se teve algo gritante que mudou drasticamente na menina tímida que deixou Fortaleza e tudo mais que lhe era conhecido para viver na casa dos outros quase que "de favor", sem entender muito da dinâmica dos anfitriões ou algo além do básico na comunicação, foi que hoje eu consigo me impor pelo que quero.

Parece simples, parece óbvio e natural, mas para mim nunca foi. E acredito que mesmo para as meninas que eram mais espontâneas e extrovertidas, a barreira de viver numa terra estrangeira as acuou no cantinho do quarto delas por meses.
Porém, durante essa jornada em que caminhamos praticamente sozinhas, se mostra tambem natural que aprendamos a nos defender e dizer o que queremos ou não. E posso dizer com certeza que isso foi um divisor de águas na minha vida no exterior, nas minhas escolhas, na minha performance como au pair e no entendimento de quem eu realmente sou.

Quebrando a vibe meio densa do último parágrafo, acho que vai ser interessante e divertido compartilhar com vocês as lições que aprendi nesses dois anos de programa vivendo com uma host family bacana e com defeitos, como qualquer outra, que mesmo me tendo como a oitava au pair, me fez sentir em casa e acolhida como eu nunca pensei que poderia ser. Claro que eles tiveram seus momentos absurdamente irritantes, como a maioria das host families, e foi aí que eu amadureci e aprendi a "pick my battles". Porque só reclamar, chorar e pensar em rematch não resolve nada, e uma hora a gente entende que o jeito é ser gente grande e escolher o que realmente vale a pena brigar por ou então vamos todas ficar loucas.

Mas favor não confundir o conselho anterior com "brigue por tudo, marque território" porque definitivamente não é isso. Como num jogo de batalha naval, é mais importante escolher bem onde mirar e ser eficiente nos alvos do que atirar em tudo que aparecer pela frente, caso contrário o navio afundado é o seu. Cada um sabe que estratégia é a melhor a seguir, assim como o que funcionou para a minha experiência pode não servir para a de vocês, mas o bacana é dividir, discutir, chegar a um consenso ou nem chegar a lugar nenhum, mas se sentir um pouco menos sozinho nessa excitante etapa das nossas vidas.

3 comentários:

  1. Belle e as sua palavras sábias! Sou e sempre serei eternamente grata por ter te conhecido e ter se tornado sua amiga! Sei que suas dicas ainda são super essenciais para mim!

    Adorei o post! =)

    ResponderExcluir
  2. Anônimo27/3/13

    Oi Belle tudo bom? Querida estou como au pair in Holland yayyyyy. Achei seu post muito bom, mas não tenho blog :( este blog está lindo parabéns.
    Sei que temos o compromisso de ficarmos somente um ano e a familia não pode renovar :( mas se eu quiser ficar na holandinha depois que o visto acabar o que faço? Estou in love com o país. O que preciso fazer?

    Bjos bjos
    Louise

    ResponderExcluir
  3. Belle, adorei o post muito bom mesmo!
    Bom saber que tem alguem madura e com tanta experiencia na bagagem aqui no blog!!

    Sucesso! :)

    ResponderExcluir