segunda-feira, maio 13, 2013

SAGA Au Pair - parte 2 (estúpidos pré-conceitos)



E ai que eu fui para os Estados Unidos. Oi? "Comassim Jani, você já não falou que só ia quando terminasse a facul?". Pois é, fui de férias para agarrar o Mickey e tirar foto com a Minnie e lá eu encontrei uma ex-au pair, que mora lá há cinco anos e que me contou todas as regras do jogo.



Eu sendo fofa de Minnie :)


Pois bem, em uma das minhas andanças por Orlando, encontrei uma brasileira (beijo, Ana), que foi Au Pair cinco anos atrás e ela acabou me contando dois fatos que aconteceram com ela, que realmente me deixaram chocada. 

Primeiro, esse post não é para desanimar ninguém, afinal de contas em uma programa de intercâmbio, sendo ele qual for, precisamos lidar com a sorte e segundo, essa é a história dela e claro que eu pedi permissão para compartilhá-la. 

Quando decidi fazer meu primeiro intercâmbio eu tinha uma ideia clara: Não quero ir para os Estados Unidos. Primeiro porque estudei em uma escola de idiomas britânica, era/sou apaixonada por Harry Potter, louca pelos Beatles e essas coisas sempre me fizeram sonhar com a Inglaterra e o segundo motivo era um motivo bobo, mas que na minha cabeça de 18 anos fazia total sentido: Americano é um povo grosso, fato! E para piorar a imagem que eu construía deles em minha cabeça, escutei várias histórias mirabolante de pré-conceitos estúpidos com latinos (como se isso não estivesse presente em qualquer lugar. Jani = ingênua.) Essa imagem mudou quando fui para os Estados Unidos. Nunca sofri pré-conceito diretamente, cara-a-cara, sabe? Nem no meu intercambio e nem nas viagens que já fiz. Mas a Ana sim. E aí vai o relato dela.


A primeira "olhada feia" por eu ser latina, nem foi tão humilhante assim, mas foi o primeiro impacto, entende? Eu decidi fazer um curso, relativamente caro, em uma Universidade 'X'. Eu era a única estrangeira na sala, todo mundo me olhava feio, bagunçava com meu sotaque tiravam gracinhas por eu ser latina e eu odiava todos. Fim! Nada muito escandaloso, mas a segunda vez que me deparei com o pré-conceito, foi um pouco mais humilhante, entrei na Target (uma loja de departamentos famosa por aqui) e estava com mais duas amigas brasileiras, entramos falando português, bagunçando uma com a outra e rindo, coisa normal entre amigas, ai que ouvimos no sistema de som o seguinte:  Seguranças nos corredores, latinos na entrada 1. Claro que saquei de primeira o que aquilo significava. Nossa, nunca me senti tão humilhada em TODA a minha vida, eu simplesmente puxei as meninas e saímos da loja, só. Provavelmente eu nunca esqueça isso, mas passou e só foi aquela vez. Para as meninas que estão vindo, lembre-se, você é a "diferente", tenham isso em mente. 
 Beijos e até o próximo dia 13 :)

See you later alligator!!


5 comentários :

  1. Lamento isso ter acontecido com sua amiga mas eu moro nos E.U.A a 1 ano e nunca sofri pré-conceito e também não acho que todos os americanos são grossos assim como nem toda brasileira é bunda. Tudo depende e não rola generalizar.

    ResponderExcluir
  2. É devemos ir preparadas nesse aspecto, mas, até os brasileiros sofrem preconceito no próprio país não é?! Não é muito diferente então, grosseria eu vejo a cada passo que eu dou na rua, vai entrar em um ônibus então, estrangeiros aqui também sofrem nas escolas, falo porque já vi muuuuuitas vezes! É importante não nos esquecermos que corremos esse risco lá, mas não é tão chocante pois aqui no Brasil não é muito diferente.

    ResponderExcluir
  3. Triste, mas assim. Eu por ser negra já sofri muito preconceito aqui no Brasil mesmo. O pessoal fala: "Isso é coisa do passado, todo mundo respeita todo mundo." Mentira, já sofri muito com isso. Au pair mesmo, quase não seja Au pair negra, e não sei o que acontece. Fico até com medo do match às vezes sabia!? De darem mais preferência para as "branquinhas". Enfim... Preconceito hoje passa bem despercebido, mas antes era complicado pra mim." E Estejamos sempre preparadas então. rsss

    ResponderExcluir
  4. Aqui na Alemanha eu já escutei muito "mas tu é brasileira mesmo? É tão branquila!" É um saco, porque são somos um povo todo igual, como tem branco, tem indio, tem asiático, italiano, alemão.. são tudo descendentes! Fico muuito braba e digo bem bonito "Sim, sou do Brasil e sou branquinha mesmo..hehehe É muito ruim passar pela situação da sua amiga.. :|

    ResponderExcluir
  5. Triste mesmo, mas concordo com o pessoal, preconceito existe em todos os lugares, e com todas as pessoas. Seja por ser baixinha, acima do peso ou magra demais, muito alta.... No final, tudo é motivo nesse mundo de rótulos que vivemos. Temos que estar preparados pra tudo. =/

    ResponderExcluir