domingo, maio 26, 2013

Top 10 dos mitos mais ditos e repetidos no mundo au pairiano - parte I



Olá, minha gente! Mais um dia 26 e cá estou eu de volta pra dividir algo com vocês. É sempre tão difícil caçar coisas que possam causar interesse, afinal são tantos posts já publicados aqui e mesmo em blogs pessoais, o que faltaria ser dito? 
Conversando com amigas também já na reta final dos seus anos de au pairs, uma ideia interessante surgiu: por que não falar dos mitos e meias-verdades difundidos em todas as redes sociais?  Sim, porque verdade seja dita, informação a gente acha aos montes nessa internet, opinião então nem se fala, mas muita coisa é dita e repassada como verdade absoluta e bem... não é bem assim. Pesquisando brevemente com outras au pairs e em fóruns sobre o assunto, elegi as 10 frases e conselhos mais repetidos no mundo au pairiano e vou dividir com vocês a minha experiência com relação ao assunto.

1. "Host parent em casa é cilada, Bino!". 
Depende. Eu tive host mom em casa por dois anos e isso nunca afetou em nada o meu trabalho, a minha relação com ela ou com os kids. Tenho amigas que passam pela mesma situação e tiram de letra essa parte da convivência. Claro que tem host difícil, assim como tem au pair que não se esforça ou se deixa bloquear pela presença dos hosts, mas conviver é uma via de mão dupla e já que nós somos a parte que não tem poder de escolha, o jeito é tentar fazer aquela interação o mais suave possível. 
"Ai, mas a host mal fala comigo/bota defeito no que eu estou fazendo/finge que eu não existo.". Olha, uma coisa que facilitou muito a minha vida de au pair foi não ter barreiras, não ter escrúpulos de conversar com a minha host sobre tudo que incomodava e me fazia feliz. E por nunca ter colocado essa barreira, ela simplesmente se acostumou a ter um relacionamento aberto e amigável comigo. E para constar, minha host não era o que pode se chamar de "querida", ela botava medo em todo mundo, inclusive nas minhas amigas quando iam lá. 

2. "Babies dão menos trabalho que teenagers.".
Nem sempre. Vai depender MUITO da tua experiência prévia e do quão confortável você realmente se sente com crianças pequenas. Eu trabalhei em creche por um bom tempo antes de vir ser au pair, mas quando tive que controlar birra de toddler ou choro de baby, eu percebi que não era pra mim. 
Na contramão, tenho amigas que tem uma paciência de Jó e cuidam de bebês com a paciência de uma mãe de três kids, sem nunca ter tido um. Na minha humilde opinião, a palavra-chave pra cuidar de bebê é paciência. Isso e ter experiência real, porque olhar o filho da vizinha enquanto ela vai na mercearia ou sentar com o seu sobrinho na festinha de aniversário não é nada comparado a ficar com um kid pequeno por 8-9 horas por dia.

3. "Teenagers dão menos trabalho que babies.".
Aí que nem sempre mesmo. Eu tive a sorte de cuidar de dois meninos ótimos, que tiveram uma mãe de pulso firme, que quando ameaçava jogar todos os video games no lixo porque eles estavam jogados no chão, ela realmente jogava, sem choro, nem vela. Isso não quer dizer que eles não eram mimados, porque sim, eles eram, afinal a host tinha suas viagens de negócios e o que a mãe mordia, o pai assoprava. Demorou um tempo até que eu resolvesse tomar as rédeas da situação, criar regras e punições -- o que foi muitíssimo apreciado pelo pai, que não queria ser o ruim da história. Eu também nunca quis ser, mas para minha surpresa após o meu ato de coragem, não é que os kids passaram a demonstrar ainda mais afeto por mim? 
Entretanto, sei de muitos casos, até mesmo coleguinhas dos meus meninos, que não tinham tantos limites na educação e que a au pair além de dirigir, cozinhar, ajudar com homework e trabalhar por umas poucas horas, tinham que aguentar MUITO abuso e grosseria. Para as meninas que ainda estão procurando família, a dica é na entrevista tentar questionar ao máximo qual o tipo de disciplina os pais usam em casa, pedir exemplos de como eles agem e de como eles esperam que a au pair reaja numa situação X. Não tem como prever em que tipo de família você vai cair, mas tem como tomar esse tipo de medida e pelas beiradas descobrir qual educação e princípios são obedecidos em casa.

4. "Vou trancar a faculdade e terminar minha faculdade nos EUA pra ter diploma internacional.".
Que atire a primeira pedra quem, durante seus sonhos com a vida de au pair, não delirou que ia terminar estudando em Harvard/Yale/ UCLA/(insira aqui a instituição americana dos seus sonhos). Normalíssimo, ainda mais quando a gente ainda tá com a faculdade pela metade e doida pra embarcar, aí vê um post de alguém que está fazendo College durante/depois do au pair, aí junta a fome com a vontade de comer. Não é impossível, tem muita gente que tenta, arruma sponsor, muda status do visto, faz o escambau e fica mesmo. 
O negócio é colocar o pé no chão e se informar de tudo que precisa, e isso inclui uma conta bem gordinha para ao menos provar que você tem como ser estudante internacional sem trabalhar, uma vez que o visto em questão não permite isso. Depois é arrumar um jeito de fazer todos os créditos obrigatórios para a manutenção do visto e conciliar com um "jeitinho" de pagar as contas, caso você não seja ryca. Sim, e o principal, mas que na maioria das vezes só vem depois dessa burocracia toda, achar o tal curso que você quer muito provavelmente em um Community College -- porque só depois a gente aprende que pra atender às Universidades que nós um dia sonhamos, a gente tem que vender um rim e um pedaço do fígado no mercado negro pra poder pagar tuition. 

5. "Não quero essa HF porque vi no google que eles moram no interior."
Depois de dois anos googlando, estudando mapa pra fazer road trip, viajando e conhecendo um pouco mais de cada estado e suas cidadezinhas, é engraçado perceber que um dia eu também fui ingênua ao ponto de dizer uma frase como essa acima. Não vou nem usar o argumento de que com um país desse tamanho, poucas são as meninas que acabam indo morar em Manhattan, em downtown DC, Chicago, Seattle, ou qualquer outra dessas cidades grandes conhecidas. 
Entretanto, morar nos subúrbios também não significa morar no interior do interior como é no Brasil. A começar pelo fato de que as cidades deles são do tamanho dos nossos bairros, então já começa pela proporção das coisas. Depois que como qualquer amontoado de 30 casinhas eles já chamam de cidade, você vai ter pequenos shopping centers, quatro supermercados, uma dúzia de restaurantes e umas três baladinhas pertinho de casa e se quiser ir procurar aquela loja que não tem na sua cidade, você pode ir numa vizinha há menos de 20 km de distância. O que, de novo, para parâmetros brasileiros soa bem longe, mas aqui (pelo menos na região onde eu moro), 20 km não é nada, ainda mais de carro e pegando highways. 


********************* ********************* ********************* *********************
Daremos uma pausinha no nosso top 10 porque vocês já viram que eu falo mais do que o Homem da Cobra, mas mês que vem a gente conversa sobre as outras cinco frases mais repetidas por aí. Eu fiz uma seleçãozinha do que andei ouvindo e lendo por aí, mas se vocês quiserem deixar sugestões nos comentários, são mais que bem vindas. Por fim, só queria dizer que tudo que foi dito acima é baseado na minha experiência e claro pode ter gente que viveu o oposto de tudo o que eu comentei, mas é isso, ninguém é dono da verdade, esse é só o ponto de vista de alguém que tem motivos empíricos para refutar algumas dessas afirmações, mas a moeda sempre tem dois lados.

Um beijo e até mês que vem!
Belle


2 comentários:

  1. Na minha opiniao Host parent em casa ainda eh cilada rsrs... Mesmo minha host mom que fica soh 1x na semana em ksa e outra nao apenas um dia, no inicio era de boa, eu nao tenho trabalho com os kids, mas acabo trabalho mais pq me sinto muito mal de nao fazer nada, sem contar q a hora nao passa, sem ela eh outra vida!
    Teenagers dão menos trabalho que kids menores, na outra familia que eu trabalho tenho muito menos trabalho com os kids por serem maiores e ainda eh otimo para o ingles. Mas se fosse so um baby super trocaria, cuidar de baby na minha opiniiao tbm eh sussa.
    Faculdade aqui na Irlanda eh uma facada alem de ser praticamente impossivel trabalha e estudar ao mesmo tempo nao pelo visa, mas pelas facu aqui serem full time.
    Bjs
    Mandy
    aupairmandy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Mais um MUST SEE post pra galera que ta começando. É bem isso ae mesmo! Concordo com tudo, flor!

    ResponderExcluir