quinta-feira, março 06, 2014

Quando os amigos viram irmãos.

Daí que eu já contei aqui que eu sou meio ovelha negra. Eu tive uma criação meio estranha, minha mãe me educou com o lema "não confie em amigos...", "amigos só levam a gente para o mal caminho...", e muito blá blá blá. Hoje, eu entendo o porquê ela queria me ensinar algo assim. Mas, por certo lado eu sinto dizer que minha mãe estava errada.
Eu sou uma loner, gosto de passar tempo sozinha, sou introspectiva e talz, sempre fui pessoa de um único amigo. Claro que não tive 1 único amigo a vida toda... mas, eu nunca tive um grupo, uma panela, um auê!
Minha melhor amiga no Brasil tem uma vida bem distinta da minha, posso até dizer que somos de gerações diferentes, e isso fez com que ela se tornasse a irmã que eu nunca tive. E isso é maravilhoso.

Mas, quando a gente sai do Brasil, cruza um oceano... e deixa para atrás tudo (exatamente tudo) o que conhecia, ter um amigo, brother, irmão, camarada, cumpadre, comparça, parceiro... seja-lá-como-você-quer chamar seu buddy, é fundamental.

Há quem vá te dizer "evite sair com brasileiros", "não tenha amigos brasileiros". Colega, não caia nessa!

Quando morei na Holanda eu investi muito numa amizade com duas moças - uma belga e outra alemã, (também com uma filipina, colombiana, sul-africana, resumindo, com todas) que moravam na mesma cidade. Elas eram queridas, engraçadas, marcavamos e nos encontravamos com frequência. Teve época que tomavamos chá toda quinta feira, as 10am. Passei muito tempo com elas, e elas nunca viraram minhas amigas. Uma ou duas eu ainda tenho no facebook, mas, já não tenho contato faz tempo. Triste!

Basta sair do Brasil para encontrar brasileiro em toda esquina - certos lugares mais que os outros. Conheci gente com interesses e vidas diferentes que nunca viraram meus amigos. Gente que deu rolê, viajou, e bateu papo comigo, que também nunca virou meu amigo. Como dizem os mais "sábios", muitos passageiros que vão e vem nesse trem da vida.

Mas, houveram os amigos que vieram... ficaram e sei que estarão sempre aqui (no sentido figurado, lógico). Fiz 2 amigas (uma na Holanda e outra nos EUA) em especial, que se tornaram mais que minhas brothers, elas são como outras irmãs que não são de sangue. Me entendem, e se não me entendem... continuam lá por mim! Falam a verdade, mesmo quando ela pode doer. Amigas, que minha mãe achou que eu nunca encontraria.

Claro que não foi tudo um mar de rosas, se você prestar atenção... eu continuo sendo "de apenas um amigo", já que fiz uma amizade duradora na Holanda e outra aqui nos States. Mas há algumas semanas eu ganhei "um grupo" de amigos. Uma galera que começou com um almoço no domingo, e virou quase uma religião, já que almoço todo domingo é tipo sa-gra-do. Nossos almoços dominicais são temperados com uma balada, ou uma cerveja, um petisco... um rolê, um almoço, no sábado mesmo. Às vezes até na sexta, ou no desespero, a gente organiza uma lil house party em plena quarta feira, porquê a gente se diverte junto, a gente precisa se ver, bater papo, dar risada. A gente tem grupão no whatsapp, e dá bom dia um pro outro todo dia! T o d o    d i a!!!!



Não diga você que eu não ganhei uma família de amigos aqui, que eu não permitirei! Pode ser que muitos deles não virem meus amigos do peito, irmão camarada; percam o contato comigo assim que eu pisar no avião, talvez eu nunca nem seria amiga deles se tivesse os conhecido no Brasil ou em outra época. Mas hoje, eles são a minha alegria de viver nesse país. Hoje, são meus amigos que salvam minha experiência americana (que sempre foi cheia de altos e baixos, tendenciosa a ser traumatizante)

Hoje, eu ainda estou na vibe carnavalesca (com um clima de quase despedida); E feliz! Pois, graças a essa tchurma doida que eu tenho aqui, eu curti (de verdade) o primeiro carnaval da minha vida. Isn't it ironic?



E sim: tenha amigos brasileiros!

:)




2 comentários :

  1. Super bacana esse seu post, Karen, essas suas experiências só nos fazem pensar que é tudo questão de nos permitir :)
    boa sorte e aproveite bastante a nova turma, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Radira, muito obrigada!
      Sucesso pra você!
      :)

      Excluir