domingo, abril 06, 2014

Será que o amor acabou?

Já passei por três host families. A primeira, amei muito. A segunda, aguentei muito. A atual, ok, gosto um tanto, amo as crianças e os define como bom empregadores. Ok, gostei de todos e fui feliz, em cada casa, de um jeito. Nunca tive nenhum problema nivel bicho-de-7-cabeças. Mas, com todas as três, em algum momento, eu acho que os odiei.
 
Odiaaava meu host quando ele abusava de mim e pedia para eu remendar as meias, pregar os botões das camisas dele, e odiava com todas minhas forças quando ele pedia para eu engraxar os sapatos dele. Sentia vontade de lustrar o sapato com a escova de dentes dele. Mas, eu nunca disse não. Houveram os domingos de manhã eu que eu achava que meu estômago ia colar as paredes de tanta fome, porque eu espera eles sairem pra descer e tomar café sem ter a cara deles. Ou os dias que eu chorei e desejei voltar para a casa da minha mãe no primeiro avião. ...mas, eu os amei, eles foram minha melhor host family e eu digo que eles foram meus brothers, e ainda são, minha segunda família, de coração.
Com minha segunda família - a problemática, com host palerma e criança endemôniada - eu passei muita raiva, muita fome, muita fome por raiva.  Quis que os meses passassem voando, quis que a hora de buscar o menino na escolar nunca chegasse, quis que a hora do jantar em família fosse tirado do dia para todo o sempre, quis até chutar o cachorro que me amava e só queria dormer embaixo da minha cama (!!!). Quis que nunca os tivessem conhecido. Mas, eu também gostei deles. Eu também os quero bem, eu também me sinto aliviada por ter cumprido a missão naquela casa, e aprendido lições de vida.
Hoje, estou há exatas 6 semanas de trabalho e moradia naquela casa (sim, hoje é domingo de manhã e eu não esto naquela casa), eu amo as crianças com todo meu amor, que dói, que a cada sorriso, a cada abraço, a cada dia eu desejo que elas fossem minhas filhas. Eu sou respeitada (cof, cof!) e tenho todo o que preciso (um quarto com uma cama e uma mesa, um banheiro - no basement, sem aquecimento!), e tenho comida, e tenho 45 horas semanais bem trabalhadas com o pagamento efetuado na semana seguinte. Tenho tudo (ahahaa, faz me rir!). Estou na fase em que trabalho até as 6pm, e quero com toda força sair de lá as 6:01. E quando fico em casa, quero só me tramcar no quarto, não sair nunca mais... e não ouvir um piu de ninguém. Assim, todos os dias... mesmo sem querer ir embora ainda. (Vai enteder!)
 

A cada palavra que escuto minha host (que tem uma maldita voz de taquarada rachada) falar bem no corredor em frente ao meu quarto, ou o barulho do salto alto que ela desfila antes das 7am, eu a odeio mais. E desejo sair daquela casa. Mas, eles são minha host family, e eu os quero bem, eu tive bons momentos e aprendi, e sou grata por tudo (ou quase tudo!).
 
Meu ponto aqui é, que - não sei se todas au pairs passam por isso - mas, eu tive bons anos e experiência como au pair, mas, tem sempre uma hora que a gente odeia tudo e todos, e não quer nem ver a cara de ninguém. Isso é inevitável, e passa, talvez menos, talvez mais, talvez mais tarde...
 
Se você sente ou já sentiu um ódiozinho dos seus hosts, ou das suas kids, saiba que isso é normal, pois faz parte de ser au pair. Atire a primeira pedra quem nunca passou raiva até mesmo com família de sangue ou quem sempre amou e adorou a host family o tempo inteiro todos os dias.
 
Ups and downs, duvido que seja só comigo!
 
:)
 
Bom domingo prazaupairs tudo!
 
Karen Rito

6 comentários:

  1. Amo ler cada relato que vocês fazem aqui no blog, pois estão passando pela experiência e nos ajudam muito a entender que não são só flores nesse caminho, o que é bom e deixa tudo mais real. Até porque, como você mesma bem lembrou, até com nossa família de sangue nós temos momentos de amor eterno e ódio profundo, imagina com a host family! Hahaha

    Muito obrigada e continue dividindo suas experiências conosco, são de grande ajuda MESMO! Bom domingo procê ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dêeh, muito obrigada!
      Continue nos acompanhando, e se quiser ler sobre algum post específico é só avisar que tentaremos providenciar.
      Boa sorte nas suas escolhes!
      :)

      Excluir
  2. ainda nao sou au pair mas estou no caminho HEHE e como eu moro com meus tios (na casa dos outros) entao ja entendo bem o que é se irritar sem ter motivo. espero que se eu aguento aqui, possa aguentar lá tbm...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nuara,
      Aguenta sim! :)
      Claro que nem tudo são flores, mas, ser au pair nos traz muitas coisas e experiências maravilhosas. Logo se vê que estou no meu terceiro ano como au pair! :)
      Boa sorte pra você!

      Excluir
  3. Ah como é bom ver que tem outras na mesma... pra onde voce vai quando voce simplesmente sai da casa? eu moro no meio do nada... nao tenho muito onde ir... voce está na terceira família em um mesmo ano ou foram anos diferentes? Estou no quarto mes do meu primeiro e, se depender da minha decisao hoje, unico ano de au pair... fico na contagem regressiva torcendo para este ano acabar logo... é legal a experiência, agora que ja estou aqui vou até o fim... mas quem dera eu tivesse lido mais esse tipo de postagem antes de vir... talvez tivesse deixado pra lá, feito outros planos pra minha vida...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Katarina!
      Da uma olhadinha nos meus posts anteriores, e você vai saber mais da minha história. Estou no fim do segundo ano nos Estados Unidos, e fui au pair na Holanda antes. 3 anos, 3 famílias, muitas histórias.
      Felizmente onde eu moro hoje tenho muitos amigas, tem muitas au pairs, acho que só por isso estou aguentando até o fim.
      Boa sorte no seu ano e nas suas decisões!

      Excluir