quinta-feira, junho 26, 2014

E se este não for o programa certo?

Como vocês aqui já me conhecem, sabem que sou Agente de Au pairs na Holanda. E neste meio eu recebo muitas dúvidas relevantes e conheço muitas meninas legais que realmente vão ter o ano de suas vidas por lá.

Mas também, conheço muitas meninas que desejam viajar e por sua situação financeira, não podem fazê-lo simplesmente. Então, o au pair se torna o programa mais em conta, com o melhor custo benefício para quem deseja morar no exterior. Infelizmente, au pair NÃO é para todo mundo. Ao menos não a qualquer momento. Algumas vezes, você AINDA não está preparada, precisa digerir melhor o que significa ser au pair, os sacrifícios envolvidos, as dificuldades e principalmente o perfil de uma au pair. Nada disso significa que você nunca estará preparada, é questão do momento certo. 

Ser Au Pair é maravilhoso? Sim. É poder conhecer outras culturas, morar fora e viajar para lugares inimagináveis ? Sim. Mas principalmente é ter muita responsabilidade para lidar com o dia a dia de uma Au Pair. E maturidade. Você irá morar na casa de seus hosts, eles terão suas regras, às quais você deve se adequar. Terão seus hábitos e seus dias chatos. Você não só morará lá como também será seu local de trabalho. E lidar com trabalho e moradia no mesmo local é extremamente difícil. Você terá dias ruins, de tpm e de irritação? Sim! E o pior... Sua host também! Terá dias de que estar apenas uma horinha com as crianças já te deixará de cabelos em pé, dias em que elas estarão mais birrentas e chorosas, mais agitadas e hiperativas. E você ainda terá de dar o seu melhor e fazer tudo bem feito. 

Voce irá viajar nos fins de semana? Ótimo! Mas não esqueça que a maior parte do programa, você passa na tal da "troca cultural" com sua host family e as kids. Ou seja, trabalhando como Au Pair ou sendo parte da família... O que as vezes torna difícil de definir o que exatamente é trabalho para você. E sim, é muito difícil definir. Por isso que é tão importante fazer o match certo. Morar com uma família com quem você se sente à vontade. Para que não se sinta sempre trabalhando. 

Da mesma forma que as agências averiguam as famílias, para não aprovarem uma Host family sem condições financeiras, sem preparo emocional ou estrutural para receber uma Au Pair; temos de fazer o mesmo com as candidatas a Au Pair. Não queremos uma família abusiva, que escravize a moça que irá morar com eles. E também não queremos uma Au Pair que só enxergue o intercâmbio como trabalho que tem que fazer para poder viajar e viver no exterior. Ou uma menina mimada que não quer saber de ajudar nas tarefas de casa. Ou uma família que só pede e pede da Au Pair e nunca da nada em retorno. É preciso equilíbrio. E MUITO! E principalmente é preciso ser flexível. Por mais que o programa seja sobre respeitar a cultura dos outros, sobre mostrar um pouco de seu país, você ainda estará sozinha neste novo local e na casa dos outros. E ainda é esperado de você que se adapte a eles, que siga suas regras e que seja flexível.

E flexibilidade é a palavra mais adequada ao programa. Se não fosse por isso, as famílias escolheriam nannies. Pois elas tem horário de entrada e saída e não tiram a privacidade da família. Mas Au Pairs podem trabalhar uma horinha aqui, outra acolá, depois folgar umas horas e trabalhar novamente. Ou trocar um dia de trabalho por outro. Adaptar o schedule conforme a necessidade dos hosts. Sim, a necessidade deles virá antes da sua. Você está lá para isso. É duro? É sim. Mas mais e mais vejo meninas legais, que tinham uma motivação ótima para o programa, após alguns meses relaxarem. Acharem tudo injusto. Mudarem o discurso que faziam de " eu sou flexível, eu quero muito vivenciar os desafios e dificuldades" para reclamações. Meninas... Vocês tem que estar preparadas também para os momentos de dificuldade! O melhor APP não é aquele ideal, que diz tudo que os hosts ou a agencia querem ouvir, mas é aquele que mostra quem você realmente é e quais suas expectativas e desejos para o seu amo. 

Ser Au Pair também é lidar com questões financeiras delicadas, pois você não receberá um salário e sim uma mesada, chamada de Pocket money. E receber pouco é difícil. Você quer viajar, comprar coisas legais, curtir seu ano. Mas receber pouco NÃO é motivo para extorquir os hosts em todos os aspectos possíveis!!! O programa é extremamente caro para eles também. Eles não tem apenas os custos com seu Pocket money, passagem, seguro e curso. Eles tem a agencia, os trâmites, as legalizações financeiras e muito mais para arcar. Na Holanda, em geral, cada ano do programa sai para eles em torno de 8 mil euros. E claro... Você não vê quase nada deste dinheiro! Mas não significa que ter você por lá foi barato e que por isso eles devem te pagar por cada segundo a mais trabalhado ou por qualquer outra coisa que você considere que eles poderiam fazer. E em geral, os hosts sempre vão te pedir para economizar aqui ou ali. Seja no tempo de banho, na temperatura do aquecedor no seu quarto, na quantidade de comida. Se for acima do normal, sente e converse com eles. Eles não são bichos de sete cabeças, são pessoas com necessidades diferentes. Explique como se sente e ajude-os a encontrar soluções plausíveis. E procure cooperar também.

Se você não tem certeza se este é o programa certo para você, pense no porque você escolheu este programa. Muitas meninas chegam para mim já com a pergunta : "Quanto tempo demora para uma família de Amsterdam aparecer na agencia?" Ou " se eu for esperar por uma família somente de Amsterdam, quanto tempo você acha que vou esperar?" 

É muito natural termos algumas preferências por localização quando começamos a pensar no intercâmbio ideal. Pesquisar sobre as cidades, o que tem por lá para fazer, quais os melhores meios de locomoção e etc. Você deve sim pesquisar tudo e não é negativo ter alguma região como preferência. Mas muitas vezes uma preferência específica não soa bem e denota que o que você quer realmente é viajar e curtir o local. Que o match com a família vem depois. Pois primeiro você está levando em conta onde eles moram e depois, se eles são um match legal para você. 

Continuando com o exemplo da Holanda, ao morar lá você terá oportunidade de conhecer todos os locais mais legais do país, independente se morar em Amsterdam ou não. Para quem mora no Brasil, onde tudo é longe, onde você pode passar sua vida inteira sem conhecer o Nordeste, o sul ou o Rio de Janeiro (ou a Amazônia!) , morar na Holanda é ter tudo próximo. E muito mais acessível. Com um pouco de planejamento, você vai para Amsterdam varias vezes por mês. Ter preferência não é negativo, repito. Mas tenha em mente que o match certo vale muito mais a pena que a cidade certa. E convenhamos, mantenha a mente aberta, coloque sim suas preferências, mas esteja aberta a conversar sobre outras opções.

Claro, você pode ter um namorado na cidade que você quer ir e por isso você só quer ir para lá. Mas então, qual seu real motivo para ir? É o namorado? Seria melhor para você e para suas host kids que você pensasse em outras formas de ir para lá então. Agora se você prefere o local onde ele mora, mas quer realmente a oportunidade viver com uma família local, e ainda poder estar mais perto dele para ver se realmente combinam... Aí sim! 

Na agencia em que trabalho, é muito comum que as meninas tenham preferencia por alguma cidade próxima a uma grande cidade ou centro. Ou desejariam poder morar em X lugar, mas não negariam uma família super legal simplesmente porque não moram lá. Por que não conhecê-los e saber se realmente não seria interessante ser parte da família deles? Afinal, o ano de intercâmbio é sobre morar com eles, sobre cuidar deles e até mesmo de se cansar deles!!! É sobre você e eles, como um conjunto. Pense bem em tudo, mas pense primeiramente se você está escolhendo ser Au Pair somente porque deseja morar na cidade ou estado X. Deixe claro que você tem preferências, mas não se atenha apenas a elas.

Será, então, que Au Pair não é o programa para mim?

* Você não deseja realmente conviver com a família. Deseja somente um lugar para comer e dormir e poder cair fora quando der.
* Sua maior motivação para ser Au Pair é financeira. É um programa de custo baixo para morar no mínimo um ano fora do Brasil.
* você só quer ser Au Pair porque deseja estar perto do seu namorado. Meninas, existem outras formas de ficar com ele, sem precisar ser Au Pair.
* você não deseja se submeter a fazer nenhuma tarefa doméstica. Pensa que isso é coisa de empregada.
* você sonha em morar com a família perfeita! que vai te pagar mais que o normal! vai pagar curso o ano todo! te tratar como filha! te ajudar em tudo o que precisar sem que você precise fazer o mesmo. 
* você deseja trabalhar pouco e é bastante rígida quanto a horários, carga horária e etc. (gente as vezes cuidar de kids por uma hora é mais exaustivo que qualquer outra coisa... As vezes dez horas com elas não te cansa! Não tem como prever!)
*Você quer ser au pair somente de uma criança. Pronto! E melhor ainda se a criança for grande, dessas que vão pra escola todo dia e o dia inteiro e você só leva e busca e acabou! (Cuidado famílias assim algumas vezes - não sempre- vão requerer mais tarefas domésticas, já que cuidando da criança você não completará 30hs de trabalho.)

Então, seja sincera e reflita consigo mesma. É melhor admitir que o programa não é o melhor para você do que passar meses sofrendo fazendo o que não gosta, vivendo de maneira que detesta e principalmente deixa outras pessoas na mão, pois provavelmente você não estará interessada na troca cultural, em criar laços com eles ou mesmo em dar seu melhor... E gente um ano é um tempo bem longo, é preciso MUITO compromisso e responsabilidade!

16 comentários :

  1. Nadja eu e minha caixa de entrada queremos apenas abraçar esse post! <3 <3 <3

    ResponderExcluir
  2. Nadja mandou bem!! Tão bom ler tuas postagens!!!!
    Beijiinhos,
    Débora, longevoar.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha te adoro!!!! que bom q vc gostou!

      Excluir
  3. Amei!
    Dô mó ponto pra Isabela e digo mais: me fez refletir sobre o que me trouxe aqui.
    Thank you!
    ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que bom!!! Acho que são coisas que ajudam muito, e que todas nós sempre devemos pensar antes desse tipo de plano, né?

      Excluir
  4. Anônimo27/6/14

    Parabens pelo post. Tudo o que voce disse e verdade. Nos aupairs temos que ter muito jogo de cintura pra lidar com as necessidades da familia. Eu por exemplo faco 12 horas as quartas e quintas, o que teoricamente eu nao poderia fazer. Por outro lado a familia deixa eu usar o carro a hora que eu quiser quando eu nao estou trabalhando e eu nao pago nunca a gasolina. Na verdade e uma troca de favores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente assim e a gente tem que ter muita noção disso antes de ir, pois pode ser um choque!

      Excluir
  5. Amei o poste, muito bom mesmo. :)

    ResponderExcluir