quinta-feira, outubro 23, 2014

Quase uma americana...

Com meu programa a 80 dias de terminar, fiquei pensando em quanta coisa a gente se acostuma quando mora em um País novo.
No começo tudo é diferente, tudo é nojento e você nunca se imaginaria fazendo aquilo... Depois, bom...



Já peguei a mania de quase todos os americanos de olhar a temperatura todos os dias antes de sair da cama. E olho do dia todo, de modo que estou sempre preparada para essas mudanças loucas do tempo. 
Aprendi a tomar leite puro, e inclusive junto com a comida. Lanche de Peanut Butter com Jelly é normal para o almoço. As vezes eu pulo o almoço, já que não é uma refeição tão importante do dia.(?)
Se tornou normal jantar as 5 da tarde, e não mais depois das 7h. AM e PM parece tão lógico agora.
Jogar papel higiênico no vaso não é mais tão estranho.

Já aprendi a saber quantos milles faltam pra chegar, e esqueci a diferença entre km. Na verdade, não quero nem ver quando eu precisar dirigir um carro manual de novo.
Tudo que é mais de $10 já é caro. E para comida, mais de $4 um item no supermercado já não estou comprando, e pra jantar + $15 já é aqueles jantares de date.
É facilidade poder passar nossas compras no caixa sozinha no mercado, e não precisar esperar ninguém, nem ir para uma fila enorme.

É difícil acreditar, mas pelo menos 90% do meu cérebro pensa tudo em inglês, inclusive quando estou sozinha. É engraçado sonhar em inglês até com pessoas da sua família, tipo seu vô.
Aprendi a ser mais fria. A não cumprimentar todo mundo com beijinho e nem bater palmas na hora do Parabéns. Me acostumei em nunca mais ver ninguém se beijando em público, e com certeza vou estranhar ver isso de novo no Brasil.

Já sai de casa de shorts e camiseta quando fazia 10 graus lá fora. E apesar de sentir frio, até que foi okay. É engraçado que o 'nossa, ta frio demais' do Brasil chega a uns 13*C e aqui a gente só usa um moletom.
Não preciso mais de calculadora para ver quando dar de TIP, e ninguém precisa mais me lembrar que eu preciso dar gorjeta.
Não tenho medo de sair de bolsa de casa, e com o iPhone na mão, nem fico mais olhando para os lados para ver se tá tudo bem (trauma de Brasil). Mas acho normal minha HF ter 5 tipos de armas em casa, e ainda aqueles negócios de imobilizar a pessoa com choque. É pra defesa pessoal né.

Algumas coisas não mudam. Não nasci nos Estados Unidos e por isso nunca vou achar que aqui é o melhor lugar do mundo. E muito menos que os Americanos são os the best em tudo. Esse pensamento continua me irritando.
Também não quero viver aqui pra sempre. Por mais que os preços sejam melhores, a segurança seja incomparável, simplesmente não sinto que é meu lar. E não é porque eu more com a Host Family, mas mesmo se toda a minha família viesse para cá, ainda ia achar estranho. 
Sinto falta do calor do Brasil e dos brasileiros. De olhar para os lados e não só pra si próprio. Dos abraços, das conversas, das piadas. E sim, sinto falta até do jeitinho brasileiro rs.

Mesmo assim, por tudo que descrevi acima e muito mais, tenho certeza que o choque cultural ao contrário vai ser grande. E só tenho mais 2 meses e meio para me preparar.

E vocês? O que mudou aqui ou o que você acha que vai mudar?
Foi fácil se acostumar com essas diferenças e manias americanas?

Um beijo e até o próximo dia 23!

6 comentários :

  1. Em qual cidade vc está, Fernanda?

    ResponderExcluir
  2. Fernanda, amei seu post!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo3/11/14

    HAHAHA eu fui me imaginando em cada situação que vc descreveu e quase pirei! É uma mistura de sensações antes mesmo de ir, imagina quando chegar aí? Nooossa! Da frio na bariga só de pensar! Mas nada de desistir ;)

    Adorei!

    Beijos

    Mayara Siqueira

    ResponderExcluir