quarta-feira, fevereiro 25, 2015

Como não amar crianças?



E como não detestar quando elas são teimosas?

Vou contar qual é o segredo: persuasão e muita criatividade! (Se os filhos fossem meus eu dava era castigo mesmo, maaaas não são, então o jeito é bolar algo mais leve).

Meu maior problema no início foi: como convencer esses pestinhas a fazer o que eles não querem fazer? Com o tempo fui aprendendo algumas táticas que funcionavam e outras que nem cócegas faziam.

- Fazer trocas
Meus pimpolhos adoravam ver TV, desenho, seriado, filme, qualquer coisa! E eu adorava quando eles o faziam, pois não me incomodavam. No entanto, a mãe das crianças queria que eles vissem o menos possível de filmes e essas coisas. Era para eu incentiva-los a brincar lá fora, com os amigos, ou só lá fora (comigo haha au pair serve pra quê, afinal?). Então eu conseguia fazer trocas neste sentido,quando eu estava sozinha com eles.
Aqui a dica é verificar o que as crianças gostam e fazer trocas nesse sentido.
Exemplos: fazer tarefa primeiro para depois ir brincar. Arrumar o quarto para poder ver um pouco de TV. 


- Inventar histórias
Lembram do final do filme Harry Potter e a pedra filosofal? Quando Hagrid se despede do Harry ele diz que se o primo dele o incomodar, o Harry poderia ameaçar dar a ele um par de orelhas para combinar com o rabo. Então o Harry responde que ele não pode fazer mágica fora de Hogwarts, e o que o Hagrid diz? "Mas o seu primo não sabe disso, certo?"
Vai dizer que a tua avó nunca te disse que se tu engolisse chiclete ia grudar nas tripas? Ou que se engolisse a semente da uva, ia nascer um pé de uva na tua barriga? 


- Ser divertida/o!
Depois de um tempo, quando eu dizia para o guri menor terminar logo a tarefa para ele poder ir até a casa de algum amigo, ele me respondia assim "eu não quero brincar com ninguém hoje além de ti". E ao mesmo tempo que isso era fantástico também era cansativo. Mas nada que não pode ser trabalhado. "Quer brincar comigo? Ok, mas coloque o tênis!"


- Ser firme!
Principalmente durante uma discussão! A criança mais nova lá de casa tinha oito anos, então volta e meia a gente discutia e, na tentativa de ganhar, ele fazia a cara do gato de botas. 
às vezes o guri ficava tão brabo que ele gritava e falava coisas tão rápido que eu não entendi nada, só deduzia que ele tava brigando comigo. Eu tentava falar mas a criatura não me ouvia, então eu falava em português, pra chamar atenção. Isso sempre dava certo.

- Conversar com os pais delas
Pra não haver contradição. Já houve noites que eu mandei as crianças escovarem os dentes, e aí veio a mãe e disse 'hoje não precisa, eles escovam amanhã de manhã'. Conversar não resolveu nesse caso. Então quando os pais estavam em casa, eu deixava que eles cuidassem das crianças, eu não me metia.


Nem sempre vai dar certo, e nessas (não muito raras) ocasiões o jeito é ter paciência, contar até 30 (porque 10 é muito pouco) e tentar resolver o problema. E lembrar que crianças são crianças. Não vá contra, entre na brincadeira e seja feliz. ;D







3 comentários:

  1. Muito bom! Vou ser au pair de quatro crianças na França e já anotei suas dicas ;)

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! Vou ser au pair de quatro crianças na França e já anotei suas dicas ;)

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelas dicas, Mel! Paciência é o segredo, né! Heheheh

    ResponderExcluir