terça-feira, fevereiro 17, 2015

the perks of living na roça. ou não.

Alô Alô garotada! Curtindo muito o carnaval aí no Brasil? Eu juro procêis que se mais alguém postar que está indo curtir o carnaval no Rio de Janeiro eu mato todos vocês. beijinhos de luz.

Pois esse mês eu vim falar com vocês a respeito de um assunto que praticamente rege a minha vida aqui nas américa: MORAR NA ROÇA! Sim, não, talvez, quem sabe?! 

praticamente minha vizinhança 

Quando eu estava no Brasil um dos meus requirements era que a família morasse em alguma cidade grande ou com acesso direto a uma cidade grande, de preferência uma com um bom sistema de transporte público ou ciclovias. Pensem que sou de São Paulo e morei no centro de Amsterdam e já tinha ouvido bastante sobre como a questão de transporte aqui é complicada e não queria ficar dependendo de caridade de host family em liberar carro ou não. 
Porém, como todos sabem, rolou um rematch e aí a gente já não pode ser tão picky assim mais!!! E desse jeito vim parar aqui... Fucking Maryland!!!!!!! 
Não bastando morar em Maryland, que por si só já é meio roceira, ainda moro numa cidade bem distante de qualquer outra cidade. 



E olha amigos, mesmo tendo carro liberado exclusivamente pra mim e parte da gas paga pela família, ainda assim é uma grande pain in my ass morar aqui!
Mas antes de eu traumatizar vocês, vamos discutir as possibilidades um pouco. 

Devo recusar uma família logo de cara quando vejo que eles moram em um lugar remoto? NÃO!!!!!!!!! 
A minha família aqui é super querida e eu não tenho o que reclamar deles. E conheço outras meninas que também são muito felizes aqui e não se incomodam nenhum pouco com o fato de morarem longe de tudo, e olha que elas moram mais longe que eu! Então se você realmente sente que eles podem ser a família certa pra vocês, não custa nada investir. 

Porém é importante prestar atenção em alguns fatores: 

- Você vai ter acesso a um carro? 
Como vocês podem ver pelo mapa ali em cima, as 3 cidades onde eu geralmente preciso ir pra fazer qualquer coisa ficam a uma certa distância. Sem carro eu não vou nem até o mercado. Aqui não existe transporte público e a minha amiga mais próxima mora 10 milhas de mim. 

- Você se sente confortável e gosta de dirigir em estrada? 
Além de ter acesso a carro, é importante gostar de dirigir. Eu não gosto. E por isso me incomoda TANTO morar longe. Tem dias que eu estou super a fim de fazer algo, mas quando penso no tanto que tenho que dirigir feels like it's not worth it. 

- Existem outras au pair na área? 
Ter uma rede de amigas por perto faz TODA a diferença! Não que existam muitas au pairs por aqui. Mas pelo menos companhia pra ir até a Starbucks ou fazer compras ou simplesmente pra reclamar das kids... 
Entre em contato com a LCC e tente descobrir como é a área e como são as outras au pairs da área. Quais as idades e nacionalidades, o que elas geralmente fazem, como elas se relacionam, se ela pode te passar o contato de uma delas pra você trocar uma idéia... Enfim... 
Eu conversei com a minha LCC a respeito desse tipo de coisa antes de vir, apesar que em rematch rola uma pressa maior e não consegui tantos detalhes quanto eu gostaria... Mas consegui o contato de uma au pair que mora aqui na rua de casa e com quem eu tenho playdates pelo menos uma vez na semana. Ela me tranquilizou bastante, porém tem só 18 anos, o que faz com que a diferença de idade seja um pouco pesada. 

- Quais as escolas mais próximas e possibilidades de cursos? 
Cursos são muito importantes! Além de serem obrigatórios pra cumprir os créditos, são ótimos pra socializar e conhecer pessoas novas. E claro, o currículo agradece. Aqui a maioria das escolas são em DC, 30km até o metro mais próximo. Estudar durante a semana complica nessas condições. Estudar de final de semana pra mim é inconcebível. Finais de semanas são sagrados e não podem ser estragados por classes. 
Como estudar pra mim nunca foi a maior prioridade de todas, esse fator não pesou tanto. Mas caso esse seja algo relevante pra vocês: perguntem! 
Lembre que as vezes cidades do interior também tem universidades, então nem sempre estar afastada de grandes cidades significa estar afastada de escolas. 

-  O quão party harder você é? 
Pois é! Essa é uma grande questão. Eu não sou party harder, mas eu sou uma people watcher obsessiva. E aqui isso é algo meio impossível de acontecer. Além disso adoro minhas cervejinhas e dirigindo o tempo todo fica difícil de aproveitar esse lado da vida. Não to dizendo que não tem nada divertido at all pra fazer na roça, mas dependendo do tipo de coisa que você curte it may not be the right place for you. 

Então qual o objetivo desse post? 
Não quero convencer ninguém a nada, quero apenas apontar alguns fatores de stress que podem surgir quando se mora na roça. Eu estou constantemente annoyed pelo fato de ter que dirigir sempre e não ver gente. Além disso sinto que aqui eu gasto muito mais do que costumava gastar. Outro fator que pra mim é algo GIGANTE é a mentalidade americana da região em que eu moro. Eu ODEIO o modo que a galera aqui pensa, existe, funciona, enfim... Tenho muita dificuldade em simpatizar com o estilo de vida deles, mas sei que isso é algo muito pessoal meu e por isso não listei acima. 
Eu acredito que quando se tem a host family certa, tudo pode valer a pena. Porém não devemos ser cegas a respeito das possibilidades e de como vai ser a realidade. O lugar que a gente mora molda muito como nosso ano é, e se você não se encaixa, pode fazer as coisas muito mais difíceis. 
Mas do mesmo jeito que eu sou uma city girl, tem menina que ama a vida aqui e não trocaria por nada. Então o mais importante é ser honesta consigo mesma e  avaliar a situação com a cabeça aberta. Morar na roça pode ser bem boring, mas também pode ser ótimo pra você! 

E por hoje é só gente! Vejo vocês no mês que vem! 

Um comentário:

  1. adorei o portingles no post! e as dicas tbm :D

    ResponderExcluir