terça-feira, maio 26, 2015

Doente no exterior! E agora?

Uma das piores coisas que podem acontecer durante seu intercâmbio é você ficar doente. Não digo
um resfriadinho bobo, mas doente de cama, com febre, tremores, diarréia, vômito e o que mais você conseguir imaginar.

Claro, esse tipo de situação não é legal em nenhum momento da vida, seja no Brasil ou lá fora. Mas ficar doente durante um intercâmbio, quando se é esperado que você trabalhe e cuide de si mesmo... é quase tortura.

Um dia você está ótimo, feliz, fazendo suas tarefas normalmente e começa a notar uma fraqueza aqui, outra ali. Uma dor de cabeça forte. Continua fazendo suas tarefas, pede para as crianças tentarem falar mais baixo pois você está meio ruim. Vai dormir ao fim do dia achando que logo ficará bem. No dia seguinte, mal consegue se levantar da cama, seus hosts ainda contando com você, pedindo que faça um esforço ou fazendo algum comentário que você realmente não precisava escutar agora.

Estar doente nos deixa emocionalmente vulneráveis quando somos au pairs. Não estamos em casa, onde sabemos para qual médico ligar e quais os prontos socorros mais próximos e que aceitam nosso convênio. Muitas vezes, na alegria das viagens e bagunça das crianças, nem nos preocupamos em anotar os dados do nosso seguro saúde. Ficamos perdidas. 

No Brasil, se estamos muito muito ruins, temos familiares ou amigos por perto que podem nos ajudar. Seja para comprar algum remédio ou levar ao médico. No exterior, sua Host family está preocupada com você sim, mas está ainda mais preocupada que não sabe o que fazer sem você! Como cuidar das crianças e da casa e lidar com uma au pair doente? 

Então nos sentimos mal, meio abandonadas. Pensando que se fosse ao contrário, nós estaríamos cuidando de quem quer que fosse com muito carinho. Cuidando para a pessoa ficar boa logo e principalmente, não se sentir mal com tudo isso. Por mais que a família tente, a maioria das au pairs acaba não se sentindo cuidada por eles. E com isso vem um grande sentimento de Homesick! 

-É uma situação delicada. No exemplo da minha Host Family, eles não cuidavam de mim propriamente se eu ficasse doente, e eu continuava trabalhando o máximo e normalmente. Na minha mente, isso era estranho, estar com febre, tremor e enxaqueca e ir brincar no parque com as kids... Mas notei também que minha kid ficou ruim desta forma também, minha host mandou pra escola e mandou brincar igual se estivesse boa. Para mim era muito estranho... para ela, era a maneira que lidam com doença. "Continuar as atividades normalmente espanta a doença", ela me dizia. 

Para tentar contornar esses sentimentos ruins que nos devoram nessas épocas, algumas dicas:

  • Tenha TODOS os dados do seu seguro desde o primeiro dia do intercâmbio. Quando precisar de verdade, é melhor não passar pela dor de cabela de ter que correr atrás de tudo.
  • Se você estiver muito ruim, converse com seus hosts sobre diminuir suas tarefas ou ficar realmente de cama até ficar boa. Explique racionalmente que não tem como fazer suas atividades normais desta forma.
  • Peça às kids para cooperarem, explicando que você está doente e que "só por esses dias", eles precisam falar mais baixo, não correr tanto e ajudar em algumas tarefas. É legal os hosts também falarem isso com as crianças nestes dias.
  • Tome bastante líquidos; em especial suco de laranja, tangerina e outras frutas. 
  • Tente manter o pensamento positivo e longe das saudades do Brasil. 
  • E não se acanhe, VÁ AO MÉDICO se achar necessário! Não é porque eles não costumam ir que você precisa fazer igual! Não é porque eles não tem costume de tomar remédio, que você precisa se torturar e não tomar nada. 
Logo logo você fica bem!!! E com mais orgulho se si mesmo por ter passado por isso tudo sozinha! Num país diferente, de idioma diferente e hábitos "doidos". Você só tem a crescer!!!

0 comentários :

Postar um comentário