domingo, maio 31, 2015

O preço (emocional) do intercâmbio

"You will never be completely at home again, because part of your heart always will be elsewhere. That is the price you pay for the richness of loving and knowing people in more than one place." Miriam Adeney 
(Você nunca se sentirá completamente em casa novamente porque parte do seu coração sempre estará em outro lugar. Este e o preço que se paga pela riqueza de amar e conhecer pessoas em mais de um lugar.)

Então, não é segredo pra ninguém que eu acompanhava muuuuitos blogs antes de ser au pair, e sim, eu meio que era uma stalker das meninas que eram au pair na época haha (não tenho vergonha de dizer nem me arrependo porque tenho certeza de que isso me preparou MUITO melhor pro programa do que qualquer palestra informativa de qualquer agência, e se elas postavam é porque queriam que outros vissem, certo? rs). Bom, em algum momento eu li essa frase, ainda no Brasil, achei linda e como amo quotes, salvei nos meus históricos. rs Na verdade, na época eu achei a frase linda, mas triste, e um pouco assustadora também. (será que alguém consegue ser feliz sem sentir completamente em casa de novo? sem uma parte do seu coração?) Mas decidi não continuar pensando muito no assunto, por medo de isso me fazer desistir do programa haha

Pois bem, hoje MUITA coisa se passou, e já se foram quase 500 dias de USA!! Difícil de acreditar! Já tive muitos dias maravilhosos, já tive crise braba de homesick, conheci pessoas muito legais, outras nem tanto, me apaixonei pelas minhas kids, amei e odiei meus hosts (tá, odio é meio forte, mas ja me "estressei" rs), e cresci, cresci muito. Agora tenho cinco meses de programa, e depois disso, vai ser hora de voltar pra casa. Sei que 5 meses é quase metade do tempo "regular" do programa, mas tudo aqui passa super rápido, então a impressão que tenho é que a hora de voltar pra casa já ta virando a esquina rs

Por causa disso, há umas três semanas atrás, o terror dessa frase começou a sondar meu coração de novo. Tive uma homesick bem séria no final de março (acho que nem falei disso no blog ainda! #sorry). Só pensava "não vejo a hora de chegar outubro!". Mas a homesick passou, o inverno também haha, e quando eu vi, eu estava me apavorando com o fato de voltar pra casa, de não ver mais minhas kids, meus amigos, de deixar esse lugar maravilhoso que é Minnesota, e de ter que começar uma nova fase da vida. faculdade, emprego... adulthood!

Fiquei uns dias nessa, me perguntando, "por que fui fazer isso? Será que vale a pena? Se eu estiver no Brasil, vou sentir falta daqui, se eu estiver aqui, vou sentir falta do Brasil... e agora, Senhor?". Depois de ficar remoendo o assunto, graças a Deus, cheguei a uma conclusão que trouxe calma ao meu coração, e que quero registrar aqui, pra que se caso o desespero bata de novo, eu saiba pra onde recorrer haha

Eu tenho uma vida, família e amigos maravilhosos no Brasil, aí vim para os EUA e fui abençoada com uma nova vida tão maravilhosa quanto a brasileira (o que eu sinceramente não acreditava que ía acontecer). There's no way que eu abriria mão dessa fase americana e de tudo/todos que ela trouxe pra minha vida! É muito difícil colocar em palavras o quanto vale a pena essa experiência, o quanto ela muda a gente e ao mesmo tempo nos ajuda a entender a nossa essência, que nunca vai mudar. Tanto conhecimento de mundo que a gente adquire, tanto conhecimento sobre nós mesmos e até mesmo sobre os outros, que posso dizer com certeza que o preço que pagamos é justo. Afinal, gain vem sempre com pain, certo?

Ainda não sei como vou reagir a minha volta pro Brasil - que tenho certeza que vai incluir muitas lágrimas (de alegria e de tristeza), abraços, choros e comida (L) - mas o que eu sei, é que a nossa vida tem um propósito, para algumas é voltar para os EUA, para outras é encarar a vida no Brasil, outros ainda, talvez num lugar completamente novo, não importa, o que importa é que por mais que as vezes nem nós mesmos saibamos definir qual é, eu tenho fé de que Deus olha pela gente e que se a gente se deixa ser guiados por Ele, estaremos onde devemos estar. Se sentimos saudades, é sinal de que tivemos a oportunidade de viver algo muito bom, e não vejo alternativa melhor a não ser sermos gratos por isso.

Com o tempo tudo se ajeita, e a melhor maneira de esperamos pelo tempo - pelo menos na minha opinião - é aproveitando as coisas boas que temos ao nosso alcance e principalmente, confiando em Deus. Alééééém disso, eu acredito que um dia estaremos todos unidos de novo, na graça de Deus, e me deixa realmente muito feliz pensar que um dia poderei estar com todos que eu amo ao mesmo tempo. Alegria plena, coração inteiro, se sentindo completamente em casa *-*

Beijos,
Duda.


PS: uns dias depois de eu ter ficado pensando nesse assunto, surgiu um post no grupão exatamente sobre isso - sobre superar o fim do intercâmbio - e uma das meninas indicou o poema Praticando o Desapego de Fernando Pessoa. Lindíssimo, recomendo a leitura a todos! haha

Esse post foi escrito pela Eduarda Gatelli, autora do blog Uma guria em Minnesota., confira o blog na integra clicando no nome!

Você tem um blog e gostaria de fazer uma participação especial aqui? Envie o link do seu post preferido por mensagem na nossa página do  Facebook


Nenhum comentário:

Postar um comentário