terça-feira, julho 07, 2015

Host dad and host... dad!

Hey there! 

Primeiro post meu aqui no blog (Woohooo!). Então, deixa eu contar pra vocês um pouquinho de mim: I’m Matheus, tenho 21 anos e sou Au Pair em Redding, Connecticut. No Brasil, sou Professor de Inglês e estudo Letras. Eu decidi que queria ser Au Pair lá no finzinho de 2012 e, por dois anos, fiquei com esse sonho na cabeça, desistindo e voltando atrás. Hoje, estou aqui há 5 meses e curtindo bastante a experiência.

Vamos ao que interessa! Well, vivem me perguntam como é ter hosts gays e a reposta é sempre muito óbvia na minha cabeça: absolutamente normal, como seria com qualquer outro casal hétero. Ou até mesmo melhor! Porém, não é tão normal assim pra muita gente. Eu to aqui pra tirar isso das cabecinhas de vocês!

Antes mesmo de ficar online, eu já pensava nessa possibilidade de ir para uma HF com pais gays (mulheres ou homens). Eu queria muito que fosse um casal gay, na verdade. Então, quando vou fuçar no perfil da primeira família que tava interessada em mim: dois hostos (Yaaaaay o/). Eu deixei bem claro no meu perfil que eu não só NÃO tinha preconceitos, como também gostaria muito de fazer parte de uma família assim. Acho que isso contou pontos pra que eu tivesse meu match.

Getty Images, Google.
Existem muitos prós nisso tudo. Que eles são gays é o primeiro! É, isso já é uma coisa muito bacana. No Brasil, é muito difícil ver um casal gay conseguir adotar crianças (e pensar que eles adotaram os meninos há quase 10 anos!). Mas o que quero dizer aqui é que eles têm a mente mais aberta, sem preconceitos e uma visão bem progressista e relaxada, eu diria. Meus hosts não encanam com nada! Eu posso fazer as coisas como eu quiser, quando eu quiser; eles são muito menos exigentes em relação à arrumação da casa, coisas dos meninos etc. Eu sinto que nada é um problema pra eles, do tipo: "Não deu pra fazer? Beleeeeza! Depois cê faz, se der. Se não der, ok também."

Eu tenho sorte, porque, além disso tudo, um dos meus hosts já passou pela experiência que eu tô passando. Ele já morou fora 2 anos com uma host family (tipo Au Pair, só que não), então ele é bem compreensivo e me dá até exemplos de coisas que eu passo e que ele já passou, também. Por exemplo, a primeira vez que fui pegar o carro e quase morri de vergonha na hora de pedir -- aconteceu com ele, também! Hahahahah!

Se aparecer uma família gay no seu perfil, corra... pra eles! Você não vai se arrepender nem um pouquinho! =D


 *Texto adaptado do meu blog pessoal.

7 comentários :

  1. Que inveja de você kkkk Eu quero muito uma família com dois host dad ou duas host mom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha! Vamos torcer pra você conseguir uma família assim, também. Não é tão difícil! =)

      Excluir
  2. que experiência incrível!!!! você foi com qual agência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vim pela InterExchange (Yázigi no Brasil), Paulo!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Eeeeeeeh bem-vindo ao blog Matheus! Adorei seu post, consegui até sentir o quão legal sua família é. Acho que ter uma host family gay nunca me passou pela cabeça, não por preconceito ou qualquer outra coisa, mais por desinformação mesmo, diria eu, mas é bem interessante, vou te acompanhar aqui no blog! Beijos

    ResponderExcluir
  5. Geeeeente, amei!
    Quero muito uma host family gay. Não tinha pensado em colocar na carta que eu não tinha preconceitos, mas agora vou colocar. Obrigado haha
    Fiquei até mais tranquilo e feliz na hora que eu li que a sua agência de lá foi a InterExchange. Estou no processo do application e espero conseguir uma família gay :D

    ResponderExcluir