quarta-feira, julho 08, 2015

Menos criança não significa menos trabalho

Acho que a maioria no momento de escolher a família costuma pensar mais na quantidade de crianças do que as idades e responsabilidades que terá. O fato de a host family ter uma ou duas  crianças não significa necessariamente menos trabalho para a Au pair e vou exemplificar com duas situações diversas que se passaram comigo.



Começando com minha Host Family na Holanda, eles têm 4 filhos um pouco já crescidos e portanto de certa forma independentes não só pelas idades mas também por ser o modo como a maioria dos holandeses criam seus filhos. O mais velho, 11 anos, fazia tudo por conta própria, minha função com relação à ele era basicamente garantir com que fizesse a lição de casa. O de 9 eu supervisionava as brincadeiras porque vez ou outra aparecia com umas ideias bestas de jogar água no vizinho e por aí vai. E os de 7 e 5 anos eu arranjava playdates, preparava lanche e os levava e buscava do/para os lugares. Além disso, minha outra tarefa era preparar o jantar para a toda a família. Relativamente simples. Claro que também houveram dias difíceis onde, por exemplo, me encontrava com 8 crianças e um caos danado mas ainda assim era de certa forma simples até porque eu não era responsável por fazer faxina ou laundry, apenas manter a cozinha em ordem e as crianças sempre tinham atividades a tarde o que me rendia tempo livre às vezes. Além disso os meus fins de semana eram livres assim como um dia na semana. 

Já na Itália, apeser de a família com quem estive ter apenas duas crianças, são meninas pequenas, 2 e 5 anos, e muito mimadas. A qualidade de vida deles era ótima enquanto a relação familiar me parecia desiquilibrada. O pai é praticamente ausente por causa do trabalho e o tempo livre que tem evita de certa forma a estar com as filhas, deixando assim a mãe responsável por tudo, o que por sua vez faz com que ela esteja constantemente estressada .



Minhas tarefas consistiam em ajudar a vestir as meninas de manhã, preparar o café da manhã, levar e buscar a mais velha da pré escola e entreter as duas duranto o dia, começando ao meio dia até a hora delas irem pra cama o que era por volta das 20h30. Porém a mais nova chorava e gritava por tudo, se recusava a comer e pra ajudar toda a situação a mãe ainda forçava ela. A mais velha me detestava desde o primeiro dia, não me deixava fazer NADA pra ela (o que era o meu trabalho) e esperneava pela mãe que mais uma vez era sobrecarregada. Eu também tinha que trabalhar ou sábado ou domingo e viajava com eles durante as 'férias', o que pra mim significava trabalho em dobro. E quanto à limpeza, eu era responsável pelo basement, onde morava, que era razoavelmente grande já que tinha a área de serviço também.

Sendo assim aqui ficam as minhas dicas baseadas nas minhas experiências anteriores:

- Verifique se um dos pais é ausente no cotidiano dos filhos, pois isso pode indicar uma sobrecarga no horário da Au pair dependendo da família.

- Tarefas domésticas têm limites e devem no geral estar relacionadas às crianças, salve exceções eu diria.

- Se você gosta de bebês, go for them! Não estou dizendo que não será bom, apenas que eu me dou melhor com crianças mais velhas onde não há necessidade de estar sempre atrás. 

- A lei na maioria dos países diz que se deve ter ao menos 1 dia livre por semana e ao menos 1 fim de semana inteiro livre por mês. Eu sou a favor do fim de semana inteiro, pois já basta ter que viver sob o mesmo teto, merecemos nosso próprio tempo para não sermos sufocadas e surtar (como eu surtei na última família onde só durei um mês quando na verdade deveria ter estado por 3). 

E quanto à vocês, quais são as suas experiências? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário