quarta-feira, julho 15, 2015

O outro lado da moeda

Oi, galera linda, tudo bom???

O post de hoje vai falar um pouco da visão da hostmother sobre ter Aupair. A gente já leu bastante sobre como é ser Aupair, o que a gente precisa, qual a rotina e as coisas boas e ruins do mundo auperiano. Mas, como será que é para a família? Quais os pontos positivos e negativos? o por quê de ter um/a Aupair, quais características são levadas em conta na hora de escolher a pessoa? Essas perguntas e algumas outras foram feitas para a minha hostmother. Claro que não representa a opinião de todas as hostfamilies, mas pode ser uma luz no fim do túnel para quem está on há muito tempo e não acha família ou pra quem está começando agora o processo.


Só para contextualizar, eu vivo na Alemanha, em uma cidade pequena, cuido de três kids: uma baby e dois meninos de 3 e 5 anos que já vão para o Kindergarden. Minha hm é cabeleireira e o salão dela é pertinho de casa, uns 50 metros. O papa é militar e fica muitoooooo tempo fora, o que possibilitou que eu ficasse muito próxima da minha hm. Aqui eu trabalho cerca de sete horas por dia, de segunda a sexta. A regra do programa é que a aupair pode trabalhar no máximo seis horas por dia, mas como a baby dorme e fica no salão enquanto está dormindo, eu fico off, às vezes por três horas, às vezes por 15 minutos, já conversamos sobre isso, mas não tem muito o que mudar. Eu gosto muito do clima e da vida aqui, por isso, não reclamo do " sacrifício" . Minha família aqui não é perfeita é muito menos rica, meu salário é o de sempre e a gente achou um curso bem baratinho pra eu fazer, mas tenho cortes de cabelo de grátis. 

Eu sou a segunda aupair da familia, ano passado, eles tiveram uma aupair mexicana, de 18 anos.
Bom, sem mais delongas, vamos às perguntas:


1. Quando você teve a ideia de ter um/a aupair?

Resposta: eu já quis ser aupair quando tinha 18 anos, apesar de hoje em dia achar que não conseguiria aguentar o tranco, eu já conhecia o programa e sabia como funcionava, acho muito legal a oportunidade de trocarmos informações sobre nossas culturas.

2. Qual é a melhor coisa de se ter um/a aupair?
Resposta: Ter mais flexibilidade nos horários, para poder ir trabalhar e também para ter mais tempo para mim mesma, mesmo não sendo frequente. E também, porque as crianças podem ficar em casa e não em qualquer lugar.

3. E a pior?
Resposta: Ter alguém na sua casa o tempo todo, você tem que mudar seu estilo de vida e sua rotina por conta disso.

4. Qual a diferença entre ter um/a aupair tão nova e depois um/a aupair mais velha?
Resposta: A/o aupair mais nova/o é muito mais uma criança, você tem que ser mais cuidadosa, no jeito que você fala ou reage aos acontecimentos, você também tem que tomar conta dela/e, você tem que explicar mais as coisas, tomar mais cuidado quando ela/e sai, tem que ajudar muito mais nas coisas cotidiana. No começo, explicar sobre cozinhar, ir ao mercado, é mais trabalhoso para a hostmother. Mas ao mesmo tempo, ela é mais próxima, brinca mais e se diverte mais com as crianças. A/o aupair mais nova/o aproveita mais os mementos. 

5. Quando você procurava por um/a aupair, o que vc olhava primeiro?
Resposta: As fotos. Pra ver se a pessoa é simpática.

6. O que vc acha que uma pessoa que vai ficar responsável pelos seus filhos precisa ter?
Resposta: É importante que a pessoa consiga seguir o ritmo da nossa família, ser organizada e saber se divertir com as crianças. Ser independente e saber quando deve ajudar. 

7. O que vc leu em perfis e acha desnecessário?
Resposta: Ler que todo mundo ama crianças e que quer ficar com as crianças e se divertir com elas o tempo todo.

8. Sobre a língua, vc acha que um/a menino/a com um bom nível de alemão, melhor que o meu no caso, teria uma convivência mais fácil com a kids?
Resposta: Claro que será mais fácil pra conversar com as crianças, mas se ela/e não tiver um coração aberto e saber se aproximar das crianças, essa relação continuará a ser complicada.

9. O que vc jamais admitiria de um/a aupair? O que te faria mandar o/a aupair embora?
Resposta: Roubar dinheiro ou qualquer coisa da casa e se eu descobrir que ela mente e tem duas personalidades.

10. O que você considera mais importante para que a convivência na casa seja sempre boa?
Resposta: A coisa mais importante é saber conversar e sempre falar quando algo é bom ou ruim e não me ter como a sua mãe, eu posso ser sua amiga ou sua chefe, mas nunca minha mãe. 

É aí, será que você seria uma boa aupair para a minha hostfamily? Tenho que dizer que a tarefa não é fácil.

Bom, gente maravilhosa. É isso, espero que tenham gostado e até o mês que vem.



Beijinhos

0 comentários :

Postar um comentário