quarta-feira, agosto 05, 2015

How to become an au pair 1.01: Convivendo com a host family.

Bom dia garotada, como vão vocês? Eu sei que os posts não seguiram da maneira planejada originalmente, mas aqui estou com a quarta parte do "How to become an au pair 1.01"! 
Pra quem ta perdido na vida aqui vão as PARTE 1, PARTE 2 e PARTE 3

O tema de hoje é: Convivendo com a host family - Como balancear trabalho e private time!

Uma das reclamações mais comuns que se ouve no mundo au pair é: "eu trabalho muuuuuuuuuuuuito mais que as horas permitidas por lei e minha família não me paga um centavo a mais!" 
E por mais que em alguns casos isso é verdade, existe MUITA confusão em relação ao que a família considera horário de trabalho e horário em família. 



1. Saiba quais são as expectativas da família e sempre deixe claro quais são as suas as well. 

O primeiro passo pra se entender nesse quesito é antes mesmo de fechar com a família ter uma idéia do que eles esperam da au pair. Eu sempre deixei claro pra todas as famílias com as quais conversei que eu sou uma "private person" e que gosto de ficar sozinha, que iria passar o dia no meu quarto as vezes, que é o meu  jeito e que mesmo com a minha família do Brasil eu sou assim. Por sorte a minha host family é exatamente assim, eles preferem ficar na deles e minha host tem finais de semana que só sai do quarto pra comer ou buscar mais vinho! Então com a gente não tem nenhuma confusão nesse sentido. 
Porém cada au pair é diferente e eu conheci meninas que adoravam passar tempo com a família, saiam pra fazer compras com a host, faziam todas as refeições juntos, iam pra todas as atividades e inclusive deixavam de fazer coisas com as amigas pra fazer algo com a família. 
Não importa qual seja a sua preferência, você vai conseguir achar uma família que tem as mesmas expectativas. 



Mas ATENÇÃO: tem MUITA menina que adora por no application que é super família, que não vê a hora de fazer parte da família, que está super ansiosa pra hang out com eles, mas na primeira chance que tem DESAPARECE e depois reclama que a host ta esquisita, que ta reclamando, que colocou curfew, que não deixa pegar o carro... migas, se vocês diziam que queriam ser parte da família e passam a ignorar a família é quase certeza absoluta que a família vai ficar magoada e decepcionada sim! E com razão! 

2. COMUNIQUE-SE! Bote a boca no trombone! Speak up for yourself!

Você sente que está sendo abusada, que ta trabalhando mais do que deveria, que suas horas não estão sendo respeitadas, ou que suas folgas não estão acontecendo com a frequência que deveriam... Ficar reclamando pras amigas não resolve nada. Senta e conversa com a família! 
Não sabe como falar com eles? Pede por um schedule por escrito, fala que prefere ter algo em mãos pra visualizar como vai ser a sua semana e o que você vai ter que fazer... Ou preencha você mesma algum modelo de schedule/agenda que eles já tenham. Além de isso facilitar pra você entender quais são os horários em que estará on ou off duty, isso também cria "provas" pra quando você for conversar com eles ou com a sua coordenadora. Alguns conflitos acontecem simplesmente por que a au pair pensa que ainda está "on", quando a família considerava que ela estava "off". Então ela continuou trabalhando, e a família achou que ela estava apenas sendo gentil. Pedir por um schedule por escrito, de preferência físico, onde você pode fazer anotações por cima caso as coisas não aconteçam como estava planejado ajuda MUITO. 
Ah, mas mesmo assim eles continuam abusando, pedem "favorzinhos", esquecem o que tinham combinado, e no geral não respeitam o schedule que eles criaram. Pode parecer difícil, mas a melhor abordagem nesse caso é chamar eles pra uma conversa. Não precisa ser algo formal, se vocês tem o hábito de fazer alguma refeição juntos, diga que depois que acabarem gostaria de tirar umas dúvidas ao respeito do schedule e horas... Algumas famílias realmente não tem idéia do quão exaustivo o nosso trabalho pode ser e basta apenas uma conversa pra resolver o problema. 



A minha primeira família achava que por que eu não trabalhava todas as horas durante a semana, não teria problema pedir favorzinhos nos finais de semana... Ficar com as kids por uma horinha enquanto eles iriam no mercado, ou duas enquanto levavam outra kid em algum esporte... E no final isso estava me sobrecarregando, ultrapassando as minhas horas e me deixando estressada. Como tínhamos o hábito de sentar aos domingos pra discutir o schedule da semana eu simplesmente disse que precisava dos meus dias off por que precisava descansar minha cabeça... Que ter os dias em que não tinha hora pra acordar, ou poderia sair sem horário pra voltar, ou simplesmente fazer nada se quisesse eram importantes pra mim e eles entenderam. Disseram que eu estava com razão e que passariam a pedir só quando fosse de extrema necessidade mesmo. E foi assim que aconteceu dali pra frente. 
Não há a necessidade de abordar a família com acusações logo de cara, eles podem estar abusando premeditamente ou podem simplesmente estarem verdadeiramente clueless a respeito da situação. Chame para uma conversa honesta, diga o quão importante é ter o seu horário respeitado, que você "não se importa" de ajudá-los mas que precisa ter garantia de que terá tempo pra descansar e estar com disposição e energia no horário de trabalho. Ressalte o quanto você gosta deles e que realmente quer fazer o seu melhor, mas que pra isso você precisa dos seus momentos que são só seus. Tenha maturidade pra lidar com a situação, não façam drama desnecessário ou fiquem de cara amarrada dizendo que ta tudo certo. Ser passivo-agressivo não ajuda em nada nesse tipo de situação, só cria tensão desnecessária. 



As vezes é mais fácil falar por email, ou por mensagem de texto... Mas tente ao menor ter parte da conversa cara a cara, o olho no olho é importante e a tom de voz não chega via email. Saiba quais são seus direitos e deveres e reforce isso com eles, as vezes eles podem ter esquecido de alguns detalhes. Não tenha medo de conversar, caso sua família tenha uma daquelas rotinas extremamente caóticas, tente oferecer solucões... as vezes um dos avós poderia ficar com as kids por algumas horas, ou eles poderiam se inscrever pra algum programa after school uma vez na semana, ou você tem alguma amiga au pair que aceitaria fazer babysitting por um preço camarada, enfim... Mostre seu interesse não apenas em reclamar, mas em também resolver a situação!         

3. CONHEÇA SEUS DIREITOS! Saiba a quem pedir ajuda e como pedir ajuda! 

Poxa, já conversei 3 vezes, as atitudes não mudam, continuo trabalhando mais do que deveria e como falei que precisava de tempo pra descansar agora on top of everything ainda me deram curfew pra "garantir que eu estava descansando o tempo necessário". 



Pois é, pode acontecer. Tem família que é sacana mesmo, não nego. Por isso sempre reforço a importância de manter uma boa atitude e lidar com as situações de maneira adulta e madura. Adianta extrapolar o curfew do carro por que "se eles podem chegar atrasados, eu também posso"? Adianta agir de má vontade com as crianças, descontando nelas a frustração com os pais? Adianta passar o dia todo postando frases de efeito no facebook sobre como algumas pessoas não tem respeito pelas outras? Não!!!!!! 
Keep your act clean e junte as suas "evidências". Se comunique com a LCC quando começar o problema, de preferência via email. Peça o schedule por escrito, ou imprima você mesma e coloque em algum lugar visível, e faça as anotações necessárias caso não seja respeitado. Chame pra conversa cara a cara, mas caso não resolva, também tenha parte da comunicação via email ou mensagens de texto. Toda e qualquer evidência que você possa juntar que mostre que a família estava ciente do problema e deliberadamente ignorou, só te ajuda. Não adianta passar 9 meses aguentando desaforo e dizendo pra LCC que está tudo maravilhoso, pra um dia chegar dizendo que a família é monstruosa e que eles nunca mais deveriam ter au pair... Você passou 9 meses dizendo que tudo era ótimo, como vai querer que ela acredite numa mudança tão brusca de uma hora pra outra? Não adianta sofrer em silência, não falar nada pra família e esperar que a LCC e a agência resolvam um problema que é SEU. Eles são responsáveis por você? Sim! Mas antes de mais nada você é responsável por você mesma e tem que ao menos tentar! Não adianta querer criar um bolo de reclamações sobre os mais diversos assuntos só pra dar "volume". Saiba quais são seus direitos e deveres e exija que esses sejam cumpridos. Poxa é um saco mesmo ter curfew, mas não existe nenhuma regra que diga que isso é ilegal. A família não te dá carro? É... não é divertido ficar sem carro. Mas eles não tem obrigação nenhuma. Saiba o que você pode exigir e coloque esses pontos em evidências. As outras coisas podem até ser agravantes, mas se você não souber sobre o que você está reclamando vai apenas ficar parecendo uma menina mimada inventando um milhão de problemas pra não ter que lidar com uma situação desagradável. 

No próximo post eu vou entrar em maiores detalhes a respeito da relação e comunicação com a LCC e outras coordenadoras/diretoras. O que quero deixar em evidência aqui é: deixe bem claro qual é o problema, tenha "evidências" em mãos para caso se faça necessário e não se transforme numa situação de "disse que disse", e não tenha medo de pedir para ter seus direitos respeitados! 

90% dos problemas que acontecem entre au pair e host family poderiam ser resolvidos com conversas. Ou simplesmente com uma dose de coragem. Tem au pair que se sente mal em dizer "não" pros convites da famíia quando eles nem questão fazem, e aí se sente explorada e de saco cheio da família. TODO MUNDO PRECISA DE PRIVATE TIME. Alguns em maior ou menor quantidade, mas poder se desligar do trabalho é essencial pra conseguir executar um bom trabalho! 
Mas tenham também consciência que quando se mora com uma família, será necessário dividir um pouco de tempo com eles. Não custa nada fazer alguma refeição junto, ou uma vez ou outra aceitar o convite de ir visitar os avós, ou jogar videogame com a kid 20 minutos sem os hosts pedirem. São ações que mostram pra eles que você se importa, e que não vão arrancar pedaço quando realizadas de vez em quando. Se coloque no lugar da sua família! Se fosse na sua casa, você não gostaria que alguém se oferecesse pra lavar a louça de vez em quando, mesmo sabendo que essa é uma tarefa sua e de mais ninguém? 
É muito comum ver au pair reclamando dizendo que a família não ta nem aí pra ela, que a agência só toma o lado da família, que todo mundo só sacaneia ela, que o universo conspira contra o sucesso dela... Quando na verdade ela não faz e nunca fez nenhum esforço pra resolver a situação. Empatia é um exercício diário e a gente vive na geração do "eu, eu, eu" e inclusive vemos isso todos os dias nas nossas kids. Se você não se esforçar pra sair da sua bolha do "eu, eu, eu" vai ser muito difícil resolver qualquer tipo de conflito com a sua família! E novamente eu digo, sim! Existem famílias que só querem sacanear e não tem respeito algum! Mas primeiro que perder a razão e sacanear eles de volta não resolve em nada, e segundo que esse pode não ser o seu caso! COMUNIQUE-SE com a sua família! 




Por hoje é só pessoal, e no próximo mês o último post dessa série será sobre "CAI NUMA CILADA BINO, E AGORA?" e toda a relação com LCCs e diretoras e agência e enfim! 
Devido a minha "desregulada", muito provavelmente eu já estarei no Brasil quando ele for ao ar, então me desejem boa sorte!!! 

Espero ter ajudado e até o mês que vem! :) 

Um comentário:

  1. Muito muito obrigada pelo post! acho que toda futura e atual au pair deveria ler! parabéns!

    ResponderExcluir