quinta-feira, agosto 06, 2015

Ilegal immigrants

O jeitinho brasileiro. A malangragem. A ilegalidade. 

Para viver o sonho americano, ou simplesmente ter uma vida melhor: você cruzaria a fronteira dos Estados Unidos com o México clandestinamente? Você ficaria no país depois que seu visto de au pair vencesse? 
Esse é um assunto muito delicado, o qual muitos ignoram, outros não gostam de comentar, mas, é real, e acontece.
Eu lembro quando eu era criança que viamos no Jornal Nacional as reportagens sobre brasileiros que foram pegos cruzando a fronteira de madrugada, ou de pessoas deportadas. E, minha gente, isso não é só história de quinze anos atrás não.
Quando eu morava nos States, obviamente, conheci uma pancada de brasileiros, e cerca de 95%  dos que conheci era au pair ou ilegal.
E eu conheci gente que estão ilegais lá há mais de dez anos. Que da mesma forma que fazemos o processo pra ser au pair, tem todo um esquema pra ir ilegalmente. Planos, esquemas, taxas, e bastante grana. Conheci gente que está lá e que nunca nem solicitou um visto (ou um passaporte legalmente). 
Ouvi histórias cabulosas, de gente em esconderijos, em esquemas, em propinas para fulano ou ciclano. Gente que chegou  ao destino final com a roupa do corpo, e nem um centavo. Que começou do zero e conquistou tudo o que tem. Que hoje tem casa, carro (carteira de habilitação!), conta no banco, e empresa aberta no nome. Gente que fez do sonho americano o seu dia a dia. Dando o sangue e o suor, trabalhando duro, ou não.
Histórias que inspiram muita au pair, a simplesmente não voltar pro Brasil quando o visto expira. De juntar uma grana, comprar um carro, alugar um quarto e ser babysitter ou cleaner e fazer disso o início de uma nova fase.
Há "medrosas" que remediam a situação com um visto de turista ou de estudante até com sorte, arrumarem um marido (que é assunto para outro post) ou outra opção.  Pois, vale tudo para realizar o sonho americano, ou extendê-lo.
Eu não atiro a primeira pedra, pois sou uma expatriada faz tempo e pretendo continuar sendo. Eu tiro o chapéu pela atitude e pela coragem de muitos, que trocam a vida que tem, as oportunidades, as pessoas amadas e largam tanta coisa para trás por um objetivo maior (ou não), que fazem "a amada América" um lar, ou se olharmos por outro lado, uma prisão.

E você, teria coragem? Será que vale a pena?
Comenta ali!

:)
Karen Rito


0 comentários :

Postar um comentário