terça-feira, setembro 29, 2015

Quando o pesadelo parece não ter fim...

Bom, pra quem está acompanhando minha nada mole vida de Au pair, cá estou com mais um capítulo da minha história. 

Tive minha semana de férias e vocês sabem estava bem grilada com tudo o que já tinha acontecido com minha querida host mom. Pois bem, cheguei de viagem era quase dez horas da noite, tudo o que eu queria era tomar um banho e dormir, pra poder assim trabalhar na seguda-feira. Abri a porta de casa e fui pro meu quarto, fácil acesso, lembre-se que eu não tinha porta no quarto.Cheguei e minhas coisas todas fora de lugar, todas remexidas. Não conseguia encontrar meu cobertor em lugar nenhum, mas encontrei um bilhete deixado pela fofa sobre meu criado mudo. O bilhete dizia mais ou menos assim: As faxineiras vieram limpar a casa, seu endredom está lavando, se quiser ligue o aquecedor. Isso mesmo, Era Janeiro e eu não tinha um único cobertor pra dormir. E eu já havia visto cobertores extras em casa. Essa foi a primeira e última vez que surtei com ela. Subi as escadas cuspindo fogo, Era o fim pra mim.



Falei pra ela que queria um cobertor que não iria dormir sem um e disse também que queria minhas coisas no lugar. (Eu não podia mover a cadeira do meu quarto de lugar, porque ela não deixava, por isso o surto com minhas coisas remexidas).
Acho que fiz exatamente o que ela estava esperando e ela então começou a gritar e dizer que se eu queria um cobertor era melhor dormir em outro lugar, Disse pra eu procurar um hotel que aquela noite eu não dormia lá.
O bebê estava enlouquecido com nós duas gritando feito loucas, eu tenho quase certeza que naquele momento meu anjo da guarda me auxiliou. Fiquei calma como nunca, abaixei a voz e disse que dali eu não saía. Não tinha dinheiro e nem pra onde ir, E ainda não tinhamos pedido rematch. Eu só sei que num piscar de olhos estavam no meu quarto: O taxista que ela chamou pra me levar pro hotel e duas vizinhas. Todos enlouquecidos dizendo que era melhor eu sair de lá.
Escrevendo pra vocês agora ainda sou tomada por aquele sentimento de medo, de solidão, humilhação, tudo misturado. Não tinha pra onde ir, Não tinha quase dinheiro nenhum na minha conta. Liguei para um amiga que morava a uma hora de mim e pedi se podia ir pra lá, ela que já sabia de toda a minha história disse que sim. Fui de taxi pra casa dela só com a roupa do corpo. Quando cheguei lá desabei a chorar. Chorei como nunca havia chorado na minha vida e dormi. Dormi esperando que no dia seguinte tudo se resolvesse. 




4 comentários:

  1. Meu Deus! Qual o problema dessa fofa gente? o.O estou horrorizada!
    E a agência que vc foi? Não chegou a falar com ninguém sobre o que estava, te fazendo passar?
    Enfim, respire fundo, peça a Deus, e calma que as coisas vão se acertar.
    Te cuida guria :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rebeca! Tudo isso aconteceu a quase um ano atràs. É que estou contando como tudo se passou desde o começo. Minha agência é Au Pair Care e na época estavam trocando as LCCs mais que quem troca de roupa, por isso era só eu comigo mesma! Obrigada 😉

      Excluir
  2. Karlaaaaaa mulher tu vai me matar dê curiosidade estou acompanhando essa sua saga ... Espero que no fim tenha dado tudo certo 😉

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por acompanhar Karina!

      Excluir