quinta-feira, novembro 26, 2015

Por que au pair tem que ser flexível?

Quando você começa a pesquisar sobre o programa de au pair em qualquer lugar, você se depara com essa palavra again and again. São posts em blogs, descrição do perfil ideal de au pair enviada por uma agência, seus amigos que já tiveram a experiência. Todo mundo praticamente enfatiza que a pessoa que deseja ser au pair "tem que ser flexível".

Tá. Mas por quê?


No geral, au pair não é um programa barato aos hosts. Existem diversos custos envolvidos, valores que nunca chegarão aos bolsos da au pair (que ganha o pocket money). São impostos, agência, screening, visitas, documentação, seguros, etc. Então... se é caro, porque ainda existem famílias que preferem ter uma au pair? Justamente pela flexibilidade que uma au pair oferece. Uma nanny (que também não é barata) tem hora de entrada e saída certinhas e uma descrição de suas atividades muito mais clara. E muitas famílias tem necessidades mais dinâmicas, como que a pessoa trabalhe uma horinha pela manhã depois mais algumas a tarde e quem sabe faça um babysitting a noite. E tudo isso sem ultrapassar as 8h máximas diárias que ela pode trabalhar. Uma nanny não poderia fazer isso, não desta forma (ou se fizesse, não seria nada prático porque ela teria que se deslocar de sua casa até a da família diversas vezes ao dia).

Então, ter au pair se torna um grande atrativo para essas famílias. Que as vezes tem uma emergência e precisam pedir um socorro à au pair, que como mora com eles, fica mais fácil de ajudá-los nessas situações. É mais cômodo. 

Sim, morar junto apresenta diversos perrengues tanto à au pair quanto aos hosts e em geral, eles são receptivos a isso justamente pela flexibilidade que morar junto também representa.

Ah... mas só au pair ser flexível é roubada. É sim! Tem razão. Flexibilidade é algo que tem que existir DOS DOIS LADOS. A família que recebe uma au pair normalmente sabe que além de poder contar com a flexibilidade da moça (ou do moço), deverá devolver flexibilidade também. Se você quebra um galho, fique atenta a que eles também possam fazer isso ocasionalmente.

Mais do que atenção a isso, é você ter bastante discernimento para ver as diferenças entre flexibilidade e abusos. Sim, a linha é tênue. Ser flexível e adaptável à rotina, às emergências e eventuais bagunças no seu schedule é parte de ser au pair... mas a partir de quando isso passa a não ser saudável (para você)? Veja as diferenças:

Ser flexível é:
  • Aceitar uma ocasional mudança de schedule
  • Fazer algumas horinhas a mais num dia ou outro, quando for necessário 
  • Quebrar um galhinho quando por exemplo, você está em casa tranquila (off) e seus hosts precisam ir meia horinha ao mercadinho ao lado
  • Ser parte da família as vezes (aceitar convites para sair com eles, jantar, ver tv com os hosts), mas também ter seu espaço (e direito de dizer não) respeitado

Fique de olho:
  • Mudança de schedule todda hora (e nunca lhe avisaram que o schedule seria extremamente maleável)
  • Fazer horas a mais sempre e nunca conseguir que eles lhe deem um dia de folga para compensar ou lhe paguem a mais por essas horas.
  • A ida ao mercadinho dura muito mais que a meia horinha falada. Sempre!
  • Ser convidada para sair com eles só porque na verdade eles querem largar as crianças com você, com a desculpa de ser "parte da família". Normalmente não aceitam "não" como resposta ao convite.
O que mais vocês adicionariam à lista? 

4 comentários:

  1. Essa post esta maravilhoso. Amei ler sobre o lado da familia, eu nao tinha conhecimento e nem tinha pensado por esse lado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, que bom que você gostou. Mesmo que as vezes seja chato, eu tento mostrar um pouco o outro lado pra equilibrar. :D
      O principal é ter acordo entre as partes mesmo, de preferencia antecipadamente né (antes do match)? :D

      Excluir
  2. Adorei o post mas sao 10 horas máximas :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Holanda, pela lei são 8 horas máximas de trabalho por dia. ;)

      Excluir