segunda-feira, dezembro 28, 2015

Adeus ano velho, feliz ano novo - e um balanço geral.

Oioioioi! Mais um dia 28 e cá estou eu pro último post do ano!

Como é de praxe nos finais de ano, todo mundo faz um balanço geral dos acontecimentos e das conquistas. Tive a ideia de fazer aqui também, tanto pra saciar a curiosidade geral ou não quanto pra ler isso aqui daqui uns anos e lembrar o quanto essa experiência foi maravilhosa.

Confesso que esse é um post programado, e no momento em que ele for pro ar eu estarei tomando um banho de sol na Flórida, depois de ter passado o Natal com a minha família de verdade. <3

foto de 3 anos atrás, mas precisamos ilustrar o post


Vou começar falando o quanto eu mudei nesses 5 meses. Criei uma paciência que eu não sabia que tinha. Ou eu tinha, mas eu não a botava em prática. Por mais que eu me sinta em casa aqui, não é minha casa de verdade. Não posso dar uns berros quando tô de saco cheio. Aqui você põe seu lado zen em prática, e se surpreende quando descobre que sabe lidar melhor com as situações. 

Já aconteceu da bateria do carro pifar, e eu não ter ninguém em casa pra me ajudar. Recarreguei sozinha, morrendo de medo de tomar choque hehehe mas consegui! Aqui você é treinada na marra pra sobreviver aos perrengues da vida. E essa sensação de "eu consigo" é maravilhosa! Nada paga.

Eu mudei, e todo mundo muda. Passei a achar 12 graus celcius uma temperatura razoável. Passei a não criar expectativas (ok, nem sempre), e com isso me surpreender positivamente muitas vezes. 

Já sofri de homesicks que achei que não fosse suportar. Achei que comprar uma passagem de volta pra casa fosse uma decisão aceitável. Hoje, me encontro na dúvida se devo ficar mais um ano ou não.

Já tive momentos em que saí de casa dirigindo sem rumo p* da vida por um dos meus kids ter testado minha paciência até o limite, e voltei pra casa no mesmo dia sorrindo e agradecida pela oportunidade de estar aqui,

Em 5 meses vi que valeu a pena ter conversado com 11 famílias antes de vir e não ter dado certo com nenhuma, porque a minha família não é perfeita, mas é perfeita pra mim. Os considero meus segundos pais, e eles me consideram uma filha. O começo foi difícil, mas hoje não trocaria eles por nenhuma Califórnia. A gente brinca de guerrinha de arminha de brinquedo como se eu tivesse vivido aqui a vida inteira. Meu host viu que um dia postei no facebook o quanto sentia falta de pão com ovo (sou super gourmet), e agora tem pão com ovo quase todo dia no café da manhã.



Se eu pudesse dar conselhos para a Juliana do passado (ou para as au pairs que estão vindo), seria:

- não coma muito quando chegar
- seja paciente
- seja menos reclamona

Focando mais na parte da comida, amigas, não comam tudo que verem pela frente quando chegarem. Essa é a coisa de que mais me arrependo. Qualquer quilo pra uma pessoa que tenha menos de 1,60m eu faz a diferença, e isso é uma das coisas que estou tendo mais dificuldade pra resolver. 

Em 5 meses aqui, tive mais conquistas materiais do que tive em 23 anos de Brasil. Tenho duas câmeras, Iphone novo, e um guarda-roupa novo. Já conheço 5 estados, e só não fiz mais viagens pois pretendo fazer uma viagem grande quando acabar o meu ano. Adoro essa facilidade que se tem aqui, mesmo com pouco dinheiro.

Ao mesmo tempo, preciso trabalhar meu lado consumista. Me sinto a própria Becky Bloom aqui, e não gosto disso. 

Ironicamente, me tornei mais próxima da minha mãe e dos meus famíliares. Aprendi a dar mais valor a quem eu amo, e não vejo a hora de poder dar um abraço neles de novo. Minhas bebês felinas não andam muito bem de saúde, e me parte o coração não estar perto delas, não poder abraçar elas todo dia. Essa era a coisa que eu mais temia nesse intercâmbio. Mas não penso mais em desistir no meio do caminho, pois eu vim pra cá com um objetivo, e não pretendo ir embora enquanto não cumpri-lo.


Enfim, quando paro pra pensar, só tiro conclusões boas sobre esses quase 5 meses.

Espero que esse post tenha servido de inspiração pra você, que está em dúvida se vem ou não. Ou pra você, cara au pair, que não anda vendo sentido nessa caminhada. Daqui um ano ou dois, olharemos para trás e teremos orgulho das nossas conquistas.

Espero que 2015 tenha sido um ótimo ano para você, e que 2016 seja um ano incrível e iluminado!

Força para nós nesse inverno, e nos vemos no próximo dia 28!



Instagram: @jukhourii
Snap: jukhouri
E-mail: juliana_khouri@hotmail.com



2 comentários :

  1. Isso da comida é engraçado. Quando eu cheguei eu tava comendo muuuito chocolate. Aí, certo dia me olhei numa foto e me achei gigaaaaante!! Então passei a controlar!
    Curta o teu ano!

    ResponderExcluir
  2. Me identifiquei muito na parte de deixar nossos animais. Isso pesa muito na nossa cabeça, mas realmente temos que pensar em NÓS em primeiro lugar, pois ninguém conquistará as coisas pela gente.

    ResponderExcluir