segunda-feira, janeiro 18, 2016

Diário de uma chegada

Em casa há #10 dias
Sem palavras pra explicar o segundo misto de emoções que é estar de volta ao ponto onde tudo começou. O mesmo aeroporto, os mesmos olhos de meu pai com um sorriso enorme. As vozes que antes eram só vozes-ao-telefone, agora tinham forma, corpo e expressões faciais e as risadas escandalosas estavam fora de casa. Foi bom voltar, mas é estranho estar de volta.

Os buracos das calçadas estão no mesmo lugar e algumas árvores foram cortadas, algumas ruas que eram contra-mão não são mais e outras que não eram, agora são. A promoção sorvete-pela-metade-do-preço ainda existe todas as segundas. Os bebês do condomínio estão jogando bola no campinho em frente ao prédio. A baiana do acarajé agora paga aluguel do ponto que é dela há muito mais tempo do que eu me entendo morando aqui. Está quente e não sei se está quente porque eu voltei no início do inverno nos EUA, ou se é porque estou na Bahia e esse verão está de matar mesmo.

Fui mudada temporariamente de quarto e estou dormindo no quarto dos meus irmãos, enquanto a mobília do meu antigo quarto é toda novinha e o colchão é do jeito que gosto: duro. haha sair de casa durante esse tempo acho que fez bem pros meus pais, afinal, tá tudo novo dentro de casa. Agora tem lustre e estante e novos lençóis, mas aqueles de quando eu era pequena ainda estão aqui.

As coisas não mudaram tanto. Meus pais continuam daquele jeito que todo pai e mãe é: meio estranhos, meio amorosos, meio cuidados demais, e depois falam que você é adulta e que tem que dar conta disso e disso e daquilo outro. A lua de mel de minha chegada durou poucas horas, mas valeram à pena.

Meus amigos não sabiam que eu estava voltando antes do Natal, então foi uma surpresinha a cada dia, em diferentes casas, visitando diferentes pessoas. Foi bem legal :D

Ah! Coisas que não contei no outro texto porque resolvi dormir:
- Sobre o meu cartão: sim, estava bloqueado, mas GRU é um sonho na vida de uma viajante e tem agência do BB lá e resolvi tudo logo depois do almoço com os pais do Alan, Au Pair que voltou comigo.

- Sobre as malas: Cês sabem que burrei e esqueci de pedir a agência meu destino final aqui na Bahia, né? Daí não pude usufruir da franquia de bagagem internacional no meu voo doméstico o que, graças a Deus foi resolvido bem rapidinho: despachei 30kg (um mala mais e uma caixinha de livros) pelos correios, gastei menos da metade do que gastaria pagando o excesso à companhia aérea e chegou em 5 dias úteis.

- Sobre malas abertas: chegou tudo! Tudo tudo, sem nem remexer nada dentro.

- Sobre 3 itens de mão: eu acho que porque minha carry-on era uma malinha sem ser de rodinha, eles barraram, mas foi assim: no despache de malas eu passei com 3 itens, mas na hora de entrar na aeronave, acabou que tive que despachar a malinha de mão, mas sem tarifas adicionais. Daí foi tudo lindo e feliz. ah! Eles me deram a opção de qual bagagem despachar e de, óbvio, transferir itens de uma mala para outra.

- E o ukulele? Chegou lindo, perfeito e sem danos! Só um pouco desafinado, mas duvido que tenha sido só o balanço da aeronave.

- Sobre viajar Internacionalmente de TAM: divino! Mesmo sendo classe econômica achei o serviço bem legal. Com janta e café da manhã, a equipe é normalmente bem animada e hiper prestativa. Gostei e indico. Se você puder fazer upgrade para classe executiva ou primeira classe, também recomendo. Motivo simples: espaço para as pernas. haha

Em casa há #21 dias
Deus sabe que esses mês voou. Natal foi em família e depois visitei meu irmão e minha cunhada na casa nova, depois ainda fui na casa de um amigo onde ficamos, eu e meu irmão do meio, até às 5 da manhã papeando e bebendo vinho e repetindo a ceia às 4 da manhã. Acordei umas 9 e fui pra cidade vizinha visitar amigos e curtir uma praiazinha bem de leve com direito a água de cocô e ver a lua cheia nascer sentada no murinho do orla, ouvindo um amigo de um amigo (haha) tocar Natiruts no violão. Mágico, deu pra ver, né? No fim do dia, depois de ver a Lua, comer pastel frito e escondidinho de carne, fomos a uma boate local. Lotada, claro! Mas foi bem legal não ouvir o tutitutitu de sempre de lá nos EUA.

E dias se passaram e chegou o meu tão apreciado Reveillon. No dia anterior fui ao show de Saulo Fernandes com uma amiga (que nos conhecemos somente há 21 anos!), e no dia seguinte ela voltou pra casa e eu continuei por lá, na cidade vizinha, afinal, iria encontrar com meus pais e passaríamos a virada juntos. #sqn. Não sei porquê ainda me engano acreditando nos planos dos meus velhos. Eles sempre dão pra traz. Ou quase sempre. Como eles avisaram muito tarde, meu plano B foi por água abaixo, mas graças a Deus que o plano C foi bárbaro. hahah E vi a prainha do Cristo colorir com os fogos de artifício. Toda a avenida iluminada. Outro momento encantado.

E os planos pra 2016 são simples e serenos: Permanecer bem comigo mesma e caminhar sempre em rumo do meu bem e do meu bom. A caminhada é sempre válida :D e a minha está tomando o rumo de outro curso universitário. E #vamoquevamo que esse bando de 18 anos que estão fazendo o ENEM podem estar mais frescos que eu, mas eu terei sempre o que eles vêm construindo: maturidade, foco e, acima de tudo, experiência.

E este mês, depois de 2 anos e bolinha publicando no Blog das 30 Au Pairs, me despeço não apenas do programa, mas também da equipe do Blog. Fechar um ciclo é não deixar arestas abertas e carregar consigo a experiência do processo e trarei comigo toda a fantástica experiência de ter uma equipe 100% virtual, mas que, fazendo o possível, dá conta de administrar todo o processo de publicação que nestes últimos tempos tem estado nas mãos da linda Debora Oliveira. Grata por toda dedicação, Debora! Você é dez! E o Layout lindo do blog? Grata, Isa.

Ainda é tempo de celebrar, concordam? Afinal, são apenas 18 dias de um ano lindo e promissor! Façamos o nosso ano! Não deixemos nossas escolhas à mercê dos outros. Tomemos as rédias de nosso caminho, compasso e destino. Realizemos nossos sonhos e tenhamos coragem e força pra sonhar sempre um pouco mais e que possamos conquistar um pouco mais daqueles desafios que antes eram enormes. Superemos medos! A vida é muito curta para que tenhamos tantos medos! Vivamos hoje! Amanhã? Bem, amanhã a gente vê o que faz :)

#SucessoPraNós

Ontem, hoje, amanhã e sempre.

"Eu te desejo a sorte de tudo que é bom!"


Gabriella Almeida

0 comentários :

Postar um comentário