domingo, abril 17, 2016

Ê saudade que bate no meu coração - Versão 2

Pra quem não entendeu esse "versão 2" aí no título, corre ler o texto da Luana

Quem já leu meus textos sabe que eu sou uma das sortudas que sempre teve uma relação ~~paz e amor~~ com a família. Amava minhas crianças, os hosts sempre foram queridos, nunca me deram dor de cabeça, nunca tivemos grandes tretas e enfim... good vibes total. 
Mas e depois que a au pair vai embora? Como fica? 

Acredito que posso resumir a minha situação em: Recebi agora em março um e-mail de resposta do Feliz Natal que mandei em dez/2014!!!!!! 

Pois é. 
Esse foi da família holandesa. A família americana eu mandei um e-mail em novembro contando que mudei pro Rio, onde trabalho, como ia minha vida e a resposta deles veio em.... Janeiro. 
Respondi agora em março e veremos quando receberei novamente. 




A família holandesa já está na terceira au pair depois de mim. Ficaram chocados (ouvi dizer) quando souberam que eu tinha contato com a minha segunda sucessora. Todas as minhas tentativas de manter um contato mais próximo foram ignoradas. 

A família americana ainda é bem recente, converso bastante com a au pair e as vezes troco uns snapchats com a minha kid. Porém não sinto que vamos ter uma relação próxima como vejo muitas meninas terem.

Essa coisa de relação com família é bem complicada. Tenho uma amiga que teve um ano super difícil, a host era instável e tinha uns surtos de gritar com ela e se fosse eu teria sumido o mais rápido possível. Mas ainda se falam e inclusive fazem questão de colocar as kids pra falar com ela. Tenho amigas que tinham relação amorzinho com a família, e que voltaram se falando quase toda semana, mas lá pela segunda au pair depois delas a relação começou a esfriar... os e-mails demoravam de ser respondidos, datas importantes eram deixadas pra trás... enfim, a relação esfriou. E tenho amigas que nunca nem quiseram ter relação com a família e nem foi procurada pela família ao final do ano de au pair. Acabou, tchau e bença.
Mas também tive amiga que continuou amiga dos hosts por anos, foi visitar, conversa com as crianças até hoje e enfim, são como parentes que moram longe. E no outro extremo oposto teve menina que ouviu "Olha, não existe a necessidade de você ficar mandando e-mail pra gente não tá? Passar bem, beijos." 

Acredito que como qualquer relacionamento mantido a distância, tem que rolar um comprometimento das duas partes, é muito fácil deixar as coisas esfriarem, a rotina tomar conta e o contato se perder. Semana que vem eu mando e-mail. No aniversário eu ligo. No natal mando uma carta. E acabar passando em branco. 

No meu caso eu acho que o contato não se perdeu por completo. Creio que seria bem recebida numa possível visita e tratada como alguém que já morou naquelas casas. O que dói é a distância das crianças. Você passa ali um ano da sua vida se dedicando única e exclusivamente em garantir que elas estão bem cuidadas e do nada você não tem mais contato NENHUM com nenhuma delas. E aí? 
Essa foi a parte que demorei mais a me conformar. Eles vão crescer. Se esquecer de mim. Se tornar pessoas totalmente diferentes daquelas que eu cuidei por um pequeno tempo da vida deles. E a vida que segue. 
Adoraria ter estado mais presente no desenvolvimento deles? Saber se as sementinhas plantadas cresceram? Se eles tão se tornando o tipo de pessoa que sempre imaginei que seriam? Claro que queria! E como queria! 
Mas infelizmente esse não é o caso e a gente tem que se conformar. Não acontece o mesmo com a nossa própria família no mesmo país? Pq não viria a acontecer com uma família temporária do outro lado do mundo? 

E vocês? Tem relações legais com a família mesmo no pós au-pair? Tomou uns fora legal também? Como ficou o contato depois de alguns anos? 

Até a próxima! 

2 comentários :

  1. Boa Tarde Isabella, só imã curiosidade, vc foi au pair em dois países? como foi as suas experiências

    ResponderExcluir
  2. Eu fui ignorada em e-mails logo depois que voltei. E na páscoa agora mandei uma caixa pra eles, com chocolate, balinhas e um cartão. Trocamos whatsapp depois disso, conversei um pouco com a mãe postiça e um pouco com o guri menor. Disseram que ficaram surpresos e que gostaram. Mandei uma mensagem semana passada que foi vista e não respondida... Acho que voltamos ao nada.;D

    ResponderExcluir