sexta-feira, abril 22, 2016

O meu sonho virou apenas uma lembrança

Esses dias o Facebook me pegou de surpresa com uma daquelas lembranças do passado. A lembrança era uma foto minha com as minhas kids, e o tempo, vejam só, QUATRO ANOS ATRÁS !
Pera aí, o que ? Gente, como assim 4 anos? Passou tão rápido assim? Porque na minha lembrança tenho a sensação de que foi ano passado, a memória ainda está super viva e quatro anos é tempo demais. Muitas coisas aconteceram na minha vida durante estes 4 anos, comecei faculdade, tranquei, vi meus amigos partindo e voltando de lugares distantes , adotei um gato, estudei muito, quase fui au pair de novo, mudei de idéia, viajei pra europa dois verões consecutivos e visitei dezenas de lugares incríveis. Vivências me deram experiência, e mesmo não parecendo que 4 anos se passaram, consigo perceber uma diferença muito nítida entre quem sou hoje e quem eu era lá em 2011. Ainda bem que a gente cresce e amadurece, sempre penso o quão diferente seria ser au pair agora com 25 anos, parece pouca coisa 21 para 25 mas eu juro pra vocês que o tempo muda a gente de forma tal que se reconhecer torna-se quase impossível. 
Não sei se me dá tristeza ou alegria lembrar o quanto eu era sonhadora e de certa forma inocente naquela época. Eu via a vida como um grande palco onde tudo poderia acontecer, tudo tinha um tom meio poético e todas as coisas que eu queria na vida eram super idealizadas. Isso me dava a sensação de que minha vida era um filme mesmo, e que eu era a protagonista sempre vivendo grandes aventuras. Hoje não consigo ver nada da mesma forma, fico tentando recuperar essa convicção fantasiosa que tinha em mim mas é difícil. Acho que finalmente me tornei adulta e estou naquela fase de aceitação. Ou talvez eu esteja apenas perdida dentro dos meus próprios pensamentos de forma tão intensa que esqueci como faz para sonhar fora da caixa. 
A vontade ainda é a mesma, eu seria au pair de novo se eu não tivesse outros sonhos para realizar agora. Depois de 4 anos, os 12 meses que se passaram entre 2011 e 2012 continuam sendo os melhores 12 meses que vivi em minha vida. Hoje, o que era sonho virou apenas saudade e o que era um projeto virou apenas lembrança. Mas acho que tudo na vida é assim, vivemos de sonhos e projetos que quando se realizam, deixam um grande buraco de saudade que jamais poderá ser preenchido. 
Se você ainda está no processo de escolher famíla, agência, enfim, toda a parte antes de ser au pair, queria dizer para você aproveitar todos os pedacinhos de segundos dessa fase. Saboreie todas as emoções com todo o seu ser, porque daqui 4 anos, quando você já tiver realizado seu sonho e tiver mil histórias para contar, você vai se lembrar dessa época com muito carinho assim como eu. Espero que vocês voltem aqui pra me contar depois, se essa sensação de nostalgia intensa é só comigo que sou diferentona, miss memory lane, a ex au pair idosa, ou se vocês também se sentem assim.

Aproveite cada minuto do seu sonho, o antes, o durante e o depois. Aproveite cada parte desse delicioso projeto que é o ano de au pair. Um dia tudo vai ser diferente e você talvez vá se sentir como eu me sinto. Sinto que meu sonho virou apenas uma lembrança.




Quem gostou desse post e quiser conhecer mais o meu trabalho, acesse o Pensamento Livre  e curta a minha página no facebook.




4 comentários :

  1. Olá Vanessa . Fui au paír em 2008 e posso dizer que sinto exatamente tudo isso que você disse. Vc não é diferentonA a menos que eu seja também 😊 Já se passaram 7 anos desde meu retorno que confesso que ainda sinto como se fosse ontem , e digo mais apesar de tudo que vivi durante esse tempo ainda acho que foram os melhores meses da minha vida ( 1 ano e 7 meses ). Se eu olhar as fotos com minhas kids me transporto para nosso último encontro e sinto aquela saudade indescritível. Meus bebês hj já são garotinhos quase do meu tamanho de 10 e 11 anos. Choro como se não tivesse passado mais que um mês. Quando sonho com eles eles ainda são pequenos com 3 aninhos. A lembrança eh fresca, eh boa e ao mesmo tempo dolorosa. Procurando aqui no Google coisas sobre aupairs e blogs antigos ( simplesmente para matar a saudade) achei seu blog que conseguiu traduzir exatamente o que sinto até hj mesmo com meus 33 anos. E com certeza eu faria tudo novamente apesar que depois do sonho realizado nada mais me preenche ( ficou o buraco como vc disse)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Nathy, achei incrível o que vc escreveu agora. É exatamente essa a sensação. Que pena que acaba, que pena que ficam apenas as histórias. Mas que bom que tivemos a oportunidade de viver esse intercâmbio tão lindo e especial. Realmente é inesquecível e fica guardado na gente pra sempre <3

      Excluir
    2. Exatamente. AS vezes me pergunto o que eu faria diferente se tivesse umas segunda chance. Eu me lembro de querer muito ficar la mas tava dividida entre retomar a vida aqui e ficar perto da minha família. E até hj tem momentos que sinto arrependimento de não ter tentado ficar. Tenho amigas que fiz lá que ate hj se correspondem comigo incluindo minha host mom que é apenas 4 anos mais velha que eu e a qual foi e é uma grande amiga. Sinto muita falta da vida e das pessoas que eu conheci lá. Penso que talvez meu erro foi ter vivido intensamente como se eu não tivesse que voltar jamais. Por outro lado me desliguei de tudo no Brasil e quando voltei já não tinha quase contato com amigas, que apesar de até hj morarem no meu coração, me considero outra pessoa após minha experiência de au pair. EU nunca voltei a ter a mesma ligação que eu tinha com minhas amizades antigas, mesmo com a reaproximação , tudo foi diferente. Acredito que é uma experiência tão adulta, digo...um passaporte pra nossa independência que isso nos faz mudar de tal forma que nossos desejos, ideais, sonhos também mudam, e muitas das amizades feitas nesse período nos conectam com pessoas que tem muito em comum conosco, e ao voltar, as pessoas daqui não entendem e nem se sentem confortáveis em ouvir a respeito de quase tudo que vivemos e sentimos. Tive um início de depressão após meu retorno mas dei a volta por cima. Tentei visto 2x pra retornar e foi negado, reconstrui minha vida, casei, mas por ironia do destino ainda não consegui ter filhos. Me iludo pensando que esse buraco só será preenchido se eu conseguir ter filhos. Acredito que quando o dia do reencontro com minha host family chegar, eu vou chorar de alegria e tristeza pois acho que mesmo retornando não seria a mesma coisa de eu tivesse ficado e dado continuidade a vida lá. SEi que vai parecer que aquelas crianças não são as mesmas que eu deixei, as mesmas que choraram ao me ver ir embora e imploraram pra eu ficar. Eles cresceram, são lindos e espertos, são muito bem criados, nos falamos pelo skype vez ou outra, mas sei que aqueles pequeninos do passado me amavam como essas crianças maiores jamais saberão me amar. ENfim, é uma experiência sensacional, digo que foi a melhor coisa que fiz na vida, apesar de desafiante e as vezes dificil... mas nos leva a uma realidade tão diferente da nossa que ao terminar, parece que nos foi arrancado algo pelo qual lutamos tanto para conquistar e depois se foi de repente sem oportunidade de escolha. EU fiz um blog e esvrevi durante todo meu periodo de aupair, o nome era nathyinamerica. EU tinha planejado imprimir e encadernar como um livro pra que eu nunca esquecesse nada que vivi. MAS as coisas que vivenciei ao voltar, a tristeza, depresão até hoje me afastam de tudo que é recordação...fotografia, scrapbook, videos, e principalmente do meu blog que ainda existe mas está fechado. Nunca imprimir nada, pq ainda não consegui superar a tristeza que me corroi quando eu começo a ver as lembranças, as lagrimas caem e por isso vou vivendo com as lembranças que ficaram na minha cabeça e com aprendendo a me contentar com a convivencia a distancia com minhas amigas que ficaram e casaram, e com minha host family.

      Excluir
    3. Só agora fui ver seu comentário.
      Nathy, eu vivo pensando em como seria minha vida se eu tivesse decidido ficar mais um ano, se tivesse dado certo os planos que eu tinha na epoca. Ao mesmo tempo, me lembro que no final do intercambio eu ja estava meio de saco cheio de ser au pair e queria voltar pra Sao Paulo, estudar, ter um trampo mais formal, uma estabilidade, ficar perto da minha vó e etc. Eu tinha intenções de ser au pair de novo, acabei adiando tanto que agora vou fazer 26 anos e já é tarde demais. Não é vontade de viajar apenas, é vontade de estar lá de novo, ter kids, viver essa aventura deliciosa que é ser au pair :c lembro com muita nostalgia tbm e muita dor. Também tive depressão quando voltei, uma grande dificuldade de me adequar novamente ao meu meio social, fiquei total sem chão. Acho que até hj ainda rola isso e ainda luto contra a depre.
      Não falo com a primeira familia que fiquei porque tivemos problemas, mas vejo fotos das kids e nem acredito que estão tao grandes. A outra familia, tenho no facebook a host mom, nao é amiga nem nada mas gosto de ver as fotos das kids. Realmente, as kids que me amavam e me adoravam no passado, hoje ja estao maiores e ja tem outros idolos sem ser a au pair ahaha. Me adiciona no facebook se quiser conversar mais sobre isso, queria saber mais sobre a sua historia.

      Pode me mandar um email tbm vaanz@me.com

      Desculpa demorar pra responder, realmente so fui ver agora.

      Excluir