quinta-feira, setembro 29, 2016

Qual o Resultado do Seu Trabalho?

Há dois meses, em 29/7, eu perguntei aqui no blog por onde andavam as muitas meninas que ajudei! O que havia acontecido com todas as dúvidas que ajudei a tirar! Pois sempre que eu respondo um e-mail gigante com tudo o que penso, é comum as meninas sumirem depois. Eu devo ser muito sincera mesmo! Eu falo logo tudo que penso, "escrevo" na cara. E, bem, tem gente que gosta e tem gente que não curte tanto... (mas essa sou eu, né? Curte o som!) 


We came here to run it!! 

O fato é que eu sempre quis saber do resultado do meu trabalho... SEMPRE!! E, finalmente, esses dias eu recebi alguns e-mails me dizendo como a vida seguiu para algumas dessas meninas. E eu escolhi uma para colocar aqui... Lá vai! 

Oi Tarci, tudo bem?
Meu nome é MOÇA BONITA, vi seu post no blog das 30 au pairs e sei o que intuito era te mandar dúvidas e o meu e-mail tá mais pra desabafo! Espero que você possa me dar um conselho... hehehehe 
Sempre tive muito curiosadade sobre o inglês e muita vontade de morar em outro país! Quando descobri o programa AuPair em 2010, mesmo sendo bem novinha sabia que era pra mim. Pesquisei muito e em 2013, quando terminei o ensino médio, tinha planos de trabalhar um ano pra juntar dinheiro e, quando fizesse 18, dar entrada no processo de Au Pair. Aconteceu que acabei passando no vestibular e por pressão da família resolvi entrar na faculdade. Minha mãe não aceitava o programa de Au Pair e até acabei concordando com ela porque eu era muito nova. 
Enfim, agora estou no 5º semestre da faculdade (meu curso tem 8 semestres) e pra ser sincera não me identifico com o curso, não gosto das matérias, mas mesmo assim quero concluir. Só que eu estou infeliz, sabe? E há alguns meses comecei a pensar em trancar a faculdade e dar entrada na agência. Essa idéia do Au Pair não sai da minha cabeça, no estágio não consigo nem me concentrar no trabalho porque fico lendo blogs e mais blogs sobre Au Pair, chego em casa fico vendo vlogs e visitando os grupos de Au Pair no facebook. Mas a faculdade me assombra. Se eu fosse trancar, trancaria no final desse ano (ou seja, faltando um ano para me formar), e ai fico pensando que um ano passa tão rápido mas ao mesmo tempo parece TANTOOOO tempo. Todo mundo fala que no fundo a gente sempre sabe o que deve fazer, mas a vontade de ir é tanta que já nem sei mais decidir se é intuição ou ansiedade. 
Eu pesei os prós e contrar e cheguei na seguinte conclusão: Se eu for antes de me formar sei que quando voltar vou me sentir mais motivada a fazer um bom TCC na faculdade, mais confiante e com mais chances de conseguir um bom emprego, mas quando acabar o programa vou ser obrigada a voltar correndo para o Brasil para terminar a faculdade e não vou me formar com a minha turma que tanto amo. Se eu esperar me formar vou passar 2 anos aqui totalmente infeliz por não estar correndo atrás dos meus sonhos, mas em contrapartida posso aproveitar se surgir alguma oportunidade de ficar por lá. (1 de março de 2016)

Minha resposta: Oi, Moça Bonita!! Tudo bem?? Que legal seu e-mail!! Amei recebê-lo!! Então... Não nos conhecemos direito... Mas posso te responder com sinceridade??? Então lá vai....

TERMINE A FACULDADE!!! eu sei que 1 ano parece muito, mas de fato não é! Você já está com o canudo quase não mão! Vai lá e pega logo o danado! Por algumas razões!! 

1- levando um canudo com você, você poderá ter mais chances por lá. Bom, você poderá fazer cursos na sua área e fazer contatos. Trocar de área no mestrado!!! E isso é uma carta na manga que poucas meninas sabem!!! O mestrado não precisa ser na sua área. Vai lá e faz outra coisa. 

2- você não vai querer voltar... tem mestrado que é mais fácil que a graduação. Amiga, quase ninguém quer voltar para cá. Você vai ver. São tantas oportunidades.... Cursos, pós, bolsas de estudos e poooooooxa, a vantagem de dizer "sou formada em X e fiz tais e tais cursos"!

3- diploma de mestrado no exterior é bem aceito aqui... Já o de graduação, muitas vezes, tem que ser validado. 

Minha história foi assim: eu não passei no vestibular. Na verdade, eu não passei em várias provas Pq ficava nervosa. Fui trabalhar de aux de biblioteca para juntar a grana da carteira e depois do programa. Fiz o programa e ia ficar o 3 ano como estudante, mas sofri um acidente de carro e quebrei a coluna. Tive que voltar! Durante a minha recuperação, fiz vestibular e passei. Não voltei pros EUA como Au Pair. Só mesmo como turista. 

O que eu acho q você deva fazer??? Simples!! As duas coisas ao mesmo tempo!! Você vai pegar seu Appl na agência esse semestre. Vai fazer as horas da maneira correta (sem enrolação. Vai trab em escolas e trocar umas fraldas. Não vale prima e nem irmã.) vai entregar a sua papelada no final do ano, colocar sua data de embarque para dez/2017 e escolher a sua família até 6/2017. Isso te dará muito tempo para escolher uma família com calma e estudar mais inglês. De 6/2017 até 12/2017 você vai se dedicar ao seu tcc sem pânico ou culpa. Vai entregá-lo, vai colar e vai estar já com a viagem marcada. :) e lá vai fazer cursos em outras áreas e, assim como eu, vai descobrir do que realmente gosta. Antes de ir, eu queria fazer psicologia, adm, Jornalismo ou até educação física. Lá nos EUA, eu peguei matéria como "aluna convidada" em uma delas e não gostei. E no segundo ano, peguei 3 matérias no college como aluna regular e tb não gostei. Amei literatura. Nunca tinha pensado em Letras. Lá eu descobri isso e cursei aqui por 6 anos! :) fiz duas. Oq eu quero dizer é que... "Perdi" dois anos experimentando e mais 6 estudando. Me formei com 29 anos. Eu podia ter me formado em uma delas e ter mestrado em outra área. :-) juntado as duas. 

Manda notícias, ok?! Escreva de volta. E desculpa a falta de acentuação. Estou no cel. (7 de março de 2016)

Quando o e-mail é realista! 

A resposta resposta dela... Olhem só o que ela resolveu... Oi Tarci, tudo bem?
Não sei se você vai lembrar, já faz um tempinho que eu te escrevi contando que tava infeliz na faculdade, infeliz no meu emprego, infeliz na coisa toda e queria dar um tempo dessa vida pra ser au pair, mas confesso que não dei muita bola pra resposta. Acho que na época eu estava tão desesperada e desiludida que eu só queria alguem que me falasse "vai mesmo, taca o foda-se e vai", mas claro que você foi muito sensata na resposta, ao contrário de mim que tava deixando toda a razão de lado. Terminei de ler e a única coisa que eu pensei foi "to nem ai, vou mesmo assim". Arrumei uma super briga com a minha mãe por causa disso (que tinha a mesma opinião que você) e no fim acabou não dando nada certo e eu não fui. E hoje eu vejo que foi a melhor coisa, sabe? Você tinha toda razão. Na minha cabeça eu acreditava tanto que eu só ia ser feliz fazendo au pair que esqueci de viver a minha vida aqui e me sentia a pessoa mais infeliz do mundo por isso. Quando eu percebi isso eu vi que a questão não é o lugar onde você está, se você estiver infeliz com você mesma você vai estar infeliz aqui no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo. Resolvi mudar tudo isso, to me dedicando muito mais a faculdade e descobri que tenho uma paixão enorme por trabalhar com números (logo eu que sempre me considerei uma pessoa de humanas), arrumei um estágio sensacional, to aproveitando MUITO o meu tempo com os meus amigos e minha família, e claro, sei que daqui um ano e pouquinho quando eu for ser au pair vou estar muito mais preparada e muito mais pé no chão (e com um diploma na mão <3). Enfim, quando eu te mandei e-mail a 6 meses atrás eu não entendi o seu conselho, mas hoje queria te agradecer de coração.
E ah, to acompanhando seus posts no blog viu? ;) Um beijo! (30 de agosto de 2016)

Essa é uma das respostas que eu sempre quis receber... Saber se eu estava mesmo ajudando! É mágico, pois somos movidos por incentivos também. E eu fico sempre muito feliz em saber que pude ajudar. Então eu deixo a minha dica de hoje:

ABRA ESPAÇO PARA OUVIR CRÍTICAS EM QUALQUER QUE SEJA O SEU TRABALHO NESSE MOMENTO! Mostre-se preocupada com o seu crescimento e esteja aberta aos conselhos e às críticas! Mas lembre-se: existem críticas construtivas e outras nem tanto. E há uma grande diferença na maneira com que as pessoas que querem nos ver crescer falam conosco X as pessoas que querem apenas nos magoar. Aprendam a ver a diferença. E aprendam cedo. No programa de au pair, a maioria das families será direta quando quiser te pedir para fazer alguma coisa diferentemente da maneira com que você tem feito. Não leve para o lado pessoal.  

E já comece a fazer um teste aqui no seu emprego no Brasil. Veja se consegue um feedback daquilo que você faz e se consegue lidar com as críticas. Pergunte aos colegas de trabalho, ao chefe ou aos seus amigos mais próximos. Vale para o seu trabalho formal ou para os voluntariados que você faz. O importante é ouvir, filtrar, aprender e crescer. Ahhhh... voltem aqui e me contem como foi/o que aconteceu! Já quero ouvir tudo! 



E vocês já sabem: não embarquem com dúvidas! Estou aqui para tirar dúvidas ou para ouvir desabafos. 24/7. aupairtarci@gmail.com No FaceBook é Amiga do Tio Sam, o mesmo nome do blog, que está paradinho e empoeirado há meses, mas cheio de boas memórias da minha época de au pair. 

Muitos beijos! 
T.

0 comentários :

Postar um comentário