sábado, outubro 29, 2016

Dez Anos Depois do Programa, e aí?

E aí que eu continuo REPETINDO: VALEU CADA DIA LONGE, CADA DIFICULDADE ENCONTRADA, CADA SUPERAÇÃO... e eu faria tudo outra vez! Sem sombra de dúvidas! 

Quando eu digo que completei os dois anos de programa!


Vamos aos detalhes... Eu fiquei online em fevereiro de 2006 (tirei carteira em dezembro e preenchi app em janeiro) e em março fiz match com a primeira familia que "falou" comigo. Aliás, eu vi que eles estavam "no meu perfil", mas nada deles falarem comigo. Um dia, estou vendo tv, 21h, e a agência me liga de SP. Eles foram logo dizendo que a family tinha fechado comigo e que eu já tinha até dada de embarque. Oi? Mas eu nem tinha falado com eles. Falei para a agência que só iria se a família me ligasse. E foi um telefonema comum mesmo. Ligaram aqui em casa. Não tinha Skype. Conversei com eles por 3h (Sim, isso tudo!) e fechamos. E eu embarquei em março. 

Eu me lembro da correria até o embarque. Os documentos, as roupas de frio (que eu não tinha), as despedidas, a saída do emprego e a minha chefa da época dizendo que eu iria me dar mal, que a family iria me odiar e me mandar de volta. Hahahaha... Sim, ela disse isso. E eu nem respondi. Cada um sabe das suas tristezas. Ela não me atingiu. Lembro até hoje do dia que cheguei na casa dos hosts: o cheiro da casa, a cor do sol entrando pela janela do meu quarto, o vento gelado na driveway, o barulho que o chão de madeira fazia e as pessoas falando rápido (ou de-va-gar... dependendo da ideia que tinham de mim! hahaha)!! Fiquei com essa família meu primeiro ano inteiro e foi incrível. Eu me sentia parte da "equipe". Eu gostava de estar com eles mesmo fora do meu horário: as kids dormiam no meu quarto, eu ía para a casa da vovó (do outro lado da rua) quando estava free, saíamos juntos e viajávamos juntos. Eu não tinha muita noção do tamanho do buraco que meu coração teria quando o ano acabasse. Assim, quando os papéis para renovar chegaram, eu perguntei se eles poderiam me deixar atender mais créditos no college. Eu amava ir para as aulas e era muito dedicada, mas eles não podiam me liberar mais tempo, nem de noite. Então, eu troquei de family e, com a ajuda deles, fui para a Califórnia. Dessa forma, foi um ano em NJ e outro na CA! 

Olhem minha casa ali!! Hahaha brinks!! Eu morava em Orinda! 20min de Bart lá de San Chico.
Lá na CA a banda tocava diferentemente. As kids não podiam ir até o meu quarto, que era separado da casa (em cima da garagem) e com banheiro privado; eu tinha schedule anotado em um cronograma entregue todos os domingos à noite, eu tinha apenas 1/2 do sábado e o domingo livres, não víamos tv juntos, eu não ficava no meu quarto conversando com eles etc. Eu sentia falta de ser parte da família. Mas eu me adaptei. Em três meses já estava por dentro de tudo. A outra family estava estudando a possibilidade de me levar para morar com eles como estudante no final do segundo ano, pois nunca deixamos de nos falar. Se eu amo as duas famílias? Sim, claro! Se eu me arrependo de ter trocado? Jamais! Cada experiência me ensinou coisas incríveis e me fez mais forte. Eu amadureci enormemente nos dois anos. Mas isso foi em 2006-2007!!!

né?
Gente, dez anos!! Dez anos!! Tudo isso que aconteceu lá em 2006 continua disponível no meu blog Amiga do Tio Sam (tem página no FB também)!! Ainda tenho todos os posts e há várias fotos também. Não são pelos anos que fiquei lá que estou aqui hoje. Estou para contar o que eu tenho hoje!! 

Hoje, eu tenho todos eles no meu FB. As duas famílias e alguns kids, pois nem todos têm FB ainda. Eu tenho "essas duas famílias" longe, duas segundas casas e muito carinho por todos eles. Eu já voltei para visitar a family do primeiro ano duas vezes. Das duas vezes que eu fui, fiquei dois meses com eles e foi fantástico. Nós fizemos a viagem anual à Disney (duas vezes), Key West, muitas saídas para o cinema, boliche, shopping, parques e filmes no sofá. Eu ganhei pessoas que estão comigo há dez anos! Que me mandam mensagens uma vez ou outra, mas é como se tivéssemos nos visto ontem. Eu não estou dizendo que era perfeito, que não brigávamos. Não, não! Nada disso! Pelo contrário! Ganhei uns gritos durante meu ano de au pair também. Ouvi umas coisas que não merecia e devo ter tido minha parcela de culpa em algum evento aí (hehehe...)!! Não existe family perfeita... não vá embora com essa ilusão, por favor! Mas é possível, sim, adaptar-se, crescer, aprender a conviver e a superar. Por isso estou aqui para dizer que hoje eu tenho a mim! Eu sou mais consciente dos meus limites e mais determinada a ultrapassá-los. Eu sei até onde posso empenhar cada fibra do meu corpo sem me arrepender depois, sei como torcer cada fio de cabelo para me adaptar, sei olhar meu próximo com olhos de compaixão e não apontar meu dedo tão apressado em julgar as diferenças. Eu sei, principalmente, que se olharmos com cuidado, encontraremos muitas semelhanças entre as nossas culturas: um bom vinho deixa uma noite mais leve, um sorriso abre portas e dançar nos aproxima- em todos os lugares. Por que olhar para o lado negativo apenas? Por que fazer marketing do que é tão contrário aos nossos costumes? Dizem que você só tem choque-cultural uma única vez! Você irá se espantar quando vir algo muito diferente da sua realidade, levará um tempo para se acostumar com a "novidade" e depois disso, tudo que lhe for mostrado pela primeira vez, não te causará mais um desconforto tão acentuado. Você irá entender que é parte da cultura daquela região e não sentirá tamanha agonia. Eu ganhei mais coisas em dez anos do que posso escrever aqui hoje. (E eu nem entrei nos mérito das oportunidades de emprego que tive depois que voltei...)


Bom, é isso!! Se quiser saber mais da minha (ex) vida da Au Poor, procur meu blog: Amiga do Tio Sam (tem página aqui no FB também)!! Ainda tenho todos os posts lá... e há várias fotos também. :) E JÁ SABE: NÃO VIAJE COM DÚVIDAS!! SE QUISER conversar, desabafar, ouvir uma opinião: aupairtarci@gmail.com     ... não existem dúvidas bobas! Pode escrever o que estiver precisando.... :)

Mil beijos! :) 
Tarciana- Amiga do Tio Sam

0 comentários :

Postar um comentário