Corações em Silêncio

Hoje tinha tudo para ser mais um post sobre a vida de intercambista. Mais algumas linhas sobre os perrengues que passamos morando fora do país. Eu entraria aqui, escreveria sobre a pesquisa que fiz essa semana, redigiria as opiniões que recebi e deixaria meu contato para o caso de vocês terem dúvidas. Porém, o cenário foi outro. Hoje eu acordei com uma notícia que partiu meu coração. Passei o dia amuada pelos cantos, refletindo. Somos um sopro nessa breve imensidão que é a vida. Fiquei o dia assim: refletindo. E nenhuma das minhas palavras parecia eficiente descrever tudo que eu queria. Nada parecia bom. Hoje eu entrei aqui sem fazer ideia de por onde começar. Tanto espaço em uma tela em branco para uma vida tão curta. E somos nós que vamos redigindo cada letra e colocando cada palavra no lugar, escrevendo os capítulos na nossa história. Uns mais longos, outros mais complicados. Mas somos nós, simples humanos, que seguimos escrevendo. Até o dia que vem o inesperado, a roda gira-como disse o poeta- e entendemos a fragilidade da nossa vida que se parte. Se parte no outro, pois quando partimos já não somos. Se parte nos sonhos perdidos e nas expectativas que todos tinham por nós, pois para quem segue "O Caminho, o sonho só foi adiado até a próxima estação. Mas para quem fica...


Então, como eu iria entrar aqui e te dizer como redigir as suas linhas? Como eu iria simplesmente entrar aqui e te dizer o que eu acredito ser o melhor para a *sua* vida? Hoje não deu. Hoje não consegui alinhar meus pensamentos e dar conselhos sobre intercâmbio. Eu choro todas as vezes que vejo notícias sobre os sonhos adiados. Choro pelos amigos e famílias abaladas. Choro, pois ainda não somos capazes de compreender totalmente esse evento de partida. Choro porque somos tão pequenos e nos desentendemos por tão pouco ao invés de darmos mais valor ao próximo, mais amor. Quanta perda de tempo contando as diferenças! Quanta perda de vida! Estamos aqui de passagem... E foi assim eu resolvi insistir e contar da tal pesquisa que mencionei ali em cima...

A pesquisa que eu havia feito, em dois grupos do FB, era sobre as eleições nos EUA. Eu perguntei o que os meninos, que já estavam morando lá fora, tinham achado do resultado.  Se achavam que muita coisa iria mudar ou se achavam que tudo continuaria igual. Perguntei também se eles já tinham presenciado algum caso de agressão "justificada" pelas "ideologias defendidas" pelo futuro governo. Sim, pois existem pessoas que acham que podem "justificar" agressões baseadas nas atitudes de um outro agressor errôneo. Assim, eu recebi alguns relatos e separei, com autorização, para vocês: 




É claro que não podemos tirar conclusões com "uma pesquisa" tão informal e breve, mas é bom que todos saibam que o clima mudou sim! Embora nada mais sério deva ocorrer, o clima é outro. Não quero desanimar nenhum de vocês e muito menos causar preocupações desnecessárias, mas talvez seja muito bom andar com os olhos abertos, o coração fortalecido (pois ouvir certas coisas não deve ser lá muito fácil) e a mente esperta (pois para debatermos temos que ter leituras fundamentadas sobre os assuntos). Já imaginou você sentando com amigos americanos para jantar e não saber dados importantes das últimas eleições ou bons argumentos que possam defender o seu ponto de vista sobre qualquer assunto? [E se você passou por aqui e está morando lá fora, vale qualquer lugar do mundo, como está a situação das minorias aí (imigrantes, comunidade LGBT etc)? Escreva aqui nos comentários. Ainda temos leitoras querendo saber, claro!]


Bom,  o que eu tenho a dizer juntando esses dois assuntos é muito simples! A vida é muito breve para vivermos à sombra desses sentimentos tão pequenos que dividem e categorizam em bons e ruins os seres humanos pelo seu gênero, orientação sexual, nacionalidade. Veja bem: a nossa breve vida não vale isso! Não vale nenhuma rivalidade, nenhum ódio. Um belo exemplo foi o que os times do Brasil e do mundo fizeram hoje pelo Chapecoense depois da tragédia: jogadores serão emprestados ao time, para o campeonato do ano que vem, e o Chapecol não poderá ser rebaixado por três anos; ajuda financeira será oferecida aos familiares e homenagens em campo estão sendo prestadas ao redor do mundo. Uma onda de amor e carinho se espalhou rapidamente pelo coração dos brasileiros. E é assim que tem que ser! Somos mais que a cores, hinos e torcidas. Somos humanos.

Assim, intercambista: Leia, tenha bons argumentos, levante a voz se presenciar uma agressão, chame ajuda... e se cair: se levante rapidamente, se recomponha depois do tropeço e desilusão e SIGA! Hoje estamos e amanhã não sabemos. Assim, façamos do hoje o melhor que pudermos para sermos lembrados como Amor e Luz. 

Aos familiares, amigos e torcedores do Chapecoense, 

O Blog das 30 Au Pairs (ainda) não encontrou palavras para descrever o buraco que ficou em nossos corações com o ocorrido de hoje. Nós desejamos, com todas as nossas forças, que cada um de vocês encontre a paz, a luz e a harmonia que buscam neste momento. As 75 vítimas ainda vivem em seus corações e jamais serão esquecidas. Força, Chape!

Com muito amor,

Tarciana e O Blog das 30 Au Pairs.


Precisando tirar as suas dúvidas: Amiga do tio Sam Au Pair no FB ou aupairtarci@gmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os 3 casos mais assustadores do mundo Au Pair

Gírias + Expressões = Você precisa conhecer!

Mais 11 tipos de au pair: esses são os amigos que você terá!