quinta-feira, fevereiro 02, 2017

5 CONSELHOS que eu gostaria de ter ouvido ANTES do AU PAIR

   

    Olá pessoal, tudo bem?

    Não sei se todos já me conhecem, eu sou a Júlia,  fui au pair em 2009 e hoje divido com trabalho como psicóloga clínica com orientações online para intercambistas! Sou também idealizadora da fanpage e do canal Doces memórias - Sweet memories, onde conto mais sobre minha aventura durante o intercâmbio, e o que aprendi com tudo isso.


   A ideia do post de hoje é um pouco diferente, e na verdade farei uma sequencia de posts! Para quem não sabe, eu passei por 3 rematches (sim, TRÊS),  voltei para o Brasil com 9 meses de intercâmbio. Aí você pode estar se perguntando: nossa Júlia, mas por que tudo isso? Qual era o problema das famílias ou qual era o seu problema? Pois bem para isso, resolvi, primeiramente fazer este post, contando 5 conselhos que eu gostaria de ter ouvido antes de me decidir pelo au pair, durante o processo de escolha da família, depois que escolhi a família, enfim, antes do intercâmbio! Será um post no estilo "bate papo" mesmo, e se tiverem alguma dúvida ou comentário, sintam-se a vontade para deixar nos comentários ok? Vou adorar interagir com vocês!
    Nos próximos posts, vou falar sobre meu match, as famílias, e o "quebra cabeças" do meu intercâmbio será montado assim!

    Então vamos lá! O primeiro GRANDE conselho que eu gostaria de ter ouvido é:

     1) MANTENHA OS PÉS NO CHÃO:
 
    Quem me conhece um pouco mais de perto, sabe que eu não preciso de muita coisa para "viajar", literalmente. Sempre fui muito sonhadora, idealizava muita coisa, e com o au pair não foi diferente. Para quem nunca saiu do Brasil, ou conhece apenas os países aqui da nossa fronteira, ouvir algo do tipo Estados Unidos, misturado à ganhar 200 dólares por semana e ainda uma bolsa de estudos, vai ter um quarto só seu e blá blá blá! Quando eu vi a foto do quarto da minha primeira casa, fiquei enlouquecida, deslumbrada! É um mundo totalmente diferente, e eu, viajei para lá em meus pensamentos, me deixei levar e essa foi uma das razões do meu rematch! Fiquei tão deslumbrada com a casa, o estilo de vida, as crianças bonitinhas, que nem me atentei em perguntar, por exemplo, qual seria o meu horário de trabalho! Sim, eu fui uma "au pair Alice"!

  2) VOCÊ ESTÁ INDO PARA TRABALHAR:

  Como eu disse no conselho de cima, fiquei tão deslumbrada, fascinada com a minha primeira família que SIM, eu esqueci que estava indo para TRABALHAR! Lembro que, depois que fechei com a família, eles viajaram para a DISNEY (e eu sou louca pela disney), e eles me mandaram um cartão postal de lá, e a ultima frase dizia que "eu seria a princesa deles"! Enfim, não foquei no trabalho, não foquei (consequentemente) em qual seria meu horário, e isso também contribuiu para o meu rematch!

   3) COLHA O MÁXIMO DE INFORMAÇÕES QUE PUDER:

    Na época que embarquei, não lembro de ter um "mundo virtual" tão rico quanto temos hoje! Blogs, fanpages, canais e outras redes sociais com tudo ao alcance de nossos olhos; mas isso não era desculpa para não pesquisar! Uma das coisas que me fez "viajar"  (na maionese) foi não ter tido informações suficientes. As agências estão ali para vender os pacotes e informar o que está ao alcance deles. Eu tinha, na época, algumas conhecidas que estavam fazendo o au pair, mas, por alguma razão, não fui atrás de maiores informações! Então, aproveitem hoje que as fontes são tão ricas e (pelo menos ao meu ver) as pessoas tão disponíveis, e pesquise, tire dúvidas!

  4) PLANEJE O SEU INTERCÂMBIO:

   Planejar o intercâmbio dá uma ajuda muito grande na hora de escolher a família. Ter metas estabelecidas, objetivos auxilia no processo todo, pois você já começa a escolher a sua família com base nessas metas (se é de voltar com um inglês fantástico, por exemplo, não adianta optar por uma família que fale outro idioma dentro de casa), e principalmente nos "terríveis" 3 primeiros meses!
Metas te ajudam a se organizar e não ver os meses passarem, muitas vezes, sem que você tenha feito nada!

   5)  SE CONHEÇA:

  Se conhecer vai te ajudar a estabelecer essas metas, a escolher a família e, principalmente, a lidar com a homesick! Eu conheci pessoas que, se falassem com a família no skype, ficavam mal! Já eu falava com a minha todos os dias, e para mim, era como se eles estivessem ali! Foi a forma como administrei a saudade nos 9 meses de intercâmbio, e o dia que não falava com eles era estranho! Algumas pessoas notaram o inglês regredir ao conviver com brasileiros, eu tinha um grupo de amigas brasileiras e não notei piora no inglês, pois falava com a minha kid o dia todo! Enfim, o autoconhecimento é importante porque CADA UM É CADA UM! O que foi bom para mim, pode ser horrível para outra pessoa! Quando você se conhece, sabe melhor onde dói sua ferida e como cuidar melhor dela!

    Em se tratando de AU PAIR, intercâmbio, morar fora é muito difícil dar conselho! Aliás, para tudo né?! Já diz o ditado "se conselho fosse bom, a gente não dava, vendia", então procurei aqui, neste post, unir algumas DICAS, vamos assim dizer, que teriam me ajudado e que são dicas que procuro passar para pessoas que me procuram quando decidem fazer intercâmbio!

    Agora uma colher de chá, com um 6º conselho, ou dica: quer fazer intercâmbio? Prepare-se, pois sua vida vai virar de cabeça para baixo e NUNCA mais será a mesma, mas de uma forma positiva!

    Espero que tenham gostado do post de hoje! No próximo dia 02 volto para contar porque esses "conselhos" teriam me ajudado, ok?

    Aguardo vocês, abraços!!

   Júlia B. Benedini - Psicóloga (CRP: 08/14965)

 

4 comentários :

  1. Oi Julia, adorei o post. Estou pensando em ser Au Pair e sou parecida com vc, sou muito sonhadora também! E tava querendo alguns conselhos de como é a rotina de verdade, prq por mais que estejamos fazendo o ta intercambio dos sonhos, estamos indo mais pra trabalhar do que pra qualquer outra coisa né? Fico pensando em como me programarei pra poder viajar bastante, se terei tempo suficiente. Essas duvidas colocam meu pé no chão de novo, me fazendo repensar se devo ir ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isabella! Me perdoe! Só vi hoje seu comentário!!
      Meu dia de post no blog mudou, agora é dia 05, e vou postar sobre o meu match e como esses conselhos teriam me ajudado na prática; talvez te ajude também! Acompanhar snapchats e snapgrans de au pairs são ótimas alternativas para ver a rotina das meninas, mesmo sabendo que uma é diferente da outra... vale bastante a pena! O intercâmbio traz bastante crescimento em todas as áreas e é um aprendizado sem fim.... eu SUUUPER recomendo!! ;)
      Dia 05 sai meu novo post! Espero vc lá!!
      Beijoss!!!

      Excluir
  2. Olá Júlia eu tbm tenho vontade de ser Au pair, tenho Famíliares na Holanda e pra mim se torna mais fácil, sou muito sonhadora mais eu sou bem pé no chão vou logo com pensamentos que não vai ser fácil que terei que me esforçar para conseguir os meus objetivos que é falar o inglês com fluência é entender tbm.... Amei seu post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elayne! Desculpe a demora! Só vi hoje seu comentário!
      Você está certíssima.. temos que ir com este pensamento mesmo... se fosse fácil (e rápido) se chamaria miojo haahaa! Brincadeiras a parte, não é fácil, mas o aprendizado é imenso, voltamos pessoas diferentes, de mente aberta e prontas para encarar desafios maiores! É o tipo de experiência que recomendo para todos!!
      Meu dia de post aqui no blog mudou, agora é dia 05, e vou falar sobre meu match e como esses conselhos teriam me ajudado na prática! Aguardo vc lá!!
      Beijoss!!!

      Excluir