segunda-feira, março 20, 2017

Primeiros meses nos EUA e, PAM, Rematch!



Oi pessoal! Depois de uns meses sem postar eu finalmente estou de volta para compartilhar com vocês um pouco de como está sendo minha estadia nos Estados Unidos. O sumiço foi por um motivo bem comum no mundo auperiano: o famigerado rematch.

Pois é, se você é ou está considerando ser au pair e, assim como eu, achava que estava imune a isso, melhor começar a cogitar que isso eventualmente lhe ocorra. Afinal, eu nunca imaginei que passaria por isso logo no meu primeiro mês e, ainda por cima, por motivo de direção.  Acontece que desde o momento que você entra na sala de embarque, você vai vivenciar uma enxurrada de baques e surpresas. E, na minha opinião, é aí que está a magia desse programa!


 Foto: Cheguei na nova casa na semana do Natal. Pior época de entrar em rematch possível, mas eu consegui!!

Cheguei a pensar em fazer um post detalhado de como tudo aconteceu, ou até mesmo um texto de superação contando como eu estou BEM melhor nesta segunda família, mas acho que não cabe aqui. Então, para ficar um texto mais enxuto, vou apenas trazer algumas constatações e curiosidades sobre a troca de host family.  

- Conseguir família quando você já está no país é muito mais fácil. Eu levei 7 meses para ter meu match quando estava no Brasil, enquanto para achar minha família do rematch, só levei 9 dias.

- Minha boa relação com minha LCC me ajudou 100% no processo de transição. Ela realmente procurou famílias, me manteve calma e deu ótimas referências sobre mim. Tip: leve presentinho para sua LCC e trate ela bem desde o primeiro meeting. Nunca se sabe o que pode acontecer no futuro.

- Tem mais famílias que não precisam de Au Pair motorista do que nós imaginamos. Eu entrei em rematch porque, segundo minha ex-host mother, eu dirigia como uma iniciante. Meu maior medo era que isso sujasse meu perfil e nenhuma outra HF fosse confiar em mim para dirigir seus filhos. Mas para a minha surpresa, eu tive um grande número de entrevistas; na maioria dos casos, pais que só têm dois carros e usam ambos para trabalhar.
**Só um adendo: atualmente eu cuido de três crianças: 8, 6 e 1 ano de idade. Os mais velhos vão para escola de ônibus escolar e a mais nova fica em casa comigo. Eu divido o carro com os host parents quando quero sair para me divertir ou estudar. Não é tão ruim assim.

- Não pedir rematch por medo é a pior coisa que você pode fazer por si mesma no ano de au pair. Se você não está feliz, o melhor é pedir rematch logo. Quando mais meses sobrando você tiver, mais chances de aparecem famílias interessadas. Meus antigos host parents tiveram dificuldade em achar a nova au pair porque a maioria só tinha 5/6 meses sobrando. Como eu tinha 11, choveu família pra mim. Claro que às vezes acontece de você entrar em rematch na metade do seu ano, e não tem nada que você possa fazer. Também não precisa se desesperar, vai aparecer família também. Mas eu falo em relação às meninas que chegam e de cara se decepcionam com a família, e vai arrastando com a barriga com medo de entrar em rematch. Na minha opinião, você está sabotando a si mesma e ao seu ano, e reduzindo sua possibilidade de escolher melhor a sua próxima família.

Para terminar, fiquem com uma foto da minha nova terrinha que eu estou amando! Falo melhor sobre Philly em um outro post. Obrigada por lerem até o fim. :)


Esse lugar é só amor!


Um comentário :

  1. Oi juh tem alguma rede social pra gente ver sua jornada nos EUA bjão

    ResponderExcluir