Um pouquinho de historia... Parte 02

Olá, meninos e meninas,

Continuando o post do ultimo dia 12... caso vocês tenham perdido, deem uma olhadinha la =)

Quando comecei a pesquisar minhas opções, cheguei à conclusão que basicamente o único programa que me dava a oportunidade de morar na Europa, sem destruir minha poupança era o Au Pair.
Só que, então, surgiu outro problema.... a idade.
.
.
.

Com 27 anos, não é qualquer pais que te aceita.


Por exemplo:
Os EUA, a Bélgica, a França, a Alemanha, entre outros, aceitam meninas até os 26 anos;
Enquanto que a Holanda, Luxemburgo, Dinamarca, Suécia, entre outros, aceitam meninas até os 31. (também conhecido como “Países para Titias que não têm idade para ser Au Pair nos outros”)
(para maiores informações visite www.aupairworld.com)


 Dentre as opções, eu decidi ir pra Holanda única, e simplesmente pela localização na Europa. Eu sempre achei a Holanda bem localizada, e ia ser interessante entender fisicamente os “países baixos”.

Depois que você decide o País, você acaba conhecendo muuuuitas meninas... o interessante é que muitas delas são Au Pair de primeira viagem, algumas com 18 aninhos, e escolhendo justo lá.

Hoje em dia eu vejo os “Países para Titias”, como uma válvula de escape para meninas mais velhas que já não podem ir para outros países (inclusive que pagam melhor).

** Claro eu entendo que tem gente que sonha com os determinados Países, quem sou eu para julgar algum sonho.

Por isso, vale mostrar os dois lados da moeda:

I)   Pode ser que você faça esse programa uma vez na vida, e depois simplesmente, se ache, case, tenha filhos, arrume o emprego dos seus sonhos, e nunca mais a palavra “Au Pair” passe pela sua cabeça... isso é bem possível.
Para ser honesta, de todas as amigas que eu fiz no meu primeiro ano de Au Pair, eu sou a única louca indo de novo.
Pode ser que seu sonho dourado seja morar na Suécia, ou desbravar cada canto da Dinamarca. Então realmente, vá atrás do seu sonho. Não foque exclusivamente no futuro.

II) Agora, se fosse eu, hoje, com 23 aninhos, e tivesse, LITERALMENTE, o mundo a minha disposição, com certeza não iria para um País que aceita o programa de Au Pair apenas uma vez na vida (Como é o caso da Holanda, entre outros).
Com certeza, guardaria a minha opção dos “Países para titias”, para quando fosse mais velha. Afinal das contas ninguém sabe o que a vida nos reserva, e quais voltas ainda vamos dar.
Juro que quando voltei dos EUA, eu prometi que nunca mais seria Au Pair, nunca mais dormiria na casa dos meus chefes, nunca mais cuidaria de filhos dos outros, que definitivamente não seria mãe.... etc.
Contudo, cá estou eu, 07 anos depois, na Holanda... morando na casa dos meus chefes, cuidando das filhas deles e pensando seriamente em ter filhos futuramente...

Acho que o que se pode tirar deste post composto:  é que a decisão de “qual pais morar” é extremamente delicada, tem que ser tomada sem pressa, e analisada com cuidado, porque diferente da família que você escolhe, o rematch de País é beeeeeeem mais complicado ;), e ter opções para o futuro é fundamental.




Espero ter ajudado as indecisas!!
A gente se vê mês que vem!!!

Tot ziens
Muuuitos beijos,
Li Arbex



Facebook: Li Arbex
Intagram: arbexli
Email: arbex@outlook.com.br



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os 3 casos mais assustadores do mundo Au Pair

Gírias + Expressões = Você precisa conhecer!

Mais 11 tipos de au pair: esses são os amigos que você terá!