quinta-feira, dezembro 28, 2017

Algumas datas são mais difíceis, mas você sobrevive!



Mês de Dezembro, mês de celebrações, feriados e SAUDADES! Sim, essa palavrinha exclusiva da língua portuguesa que às vezes pega a gente de jeito. No meu caso, Dezembro tem um gostinho a mais pois é também o mês do meu aniversário, logo seguido do Natal e Ano Novo! Ufa! Sim, um mês muito simbólico e sentimental pra mim e esse já é o 2º ano longe...

Como lidar? Tem dias que choro, tem dias que acordo bem; tem dias que só queria um colinho de mãe e uma comida de vó, mas quando abro a porta do meu quarto logo recebo um abraço bem forte e sincero das minhas kids; tem dias que só queria embarcar no primeiro voo de volta pra casa, mas quando comento isso com meus amigos daqui, vejo o quão triste eles ficam só de pensar em me ver partindo. Sim, é uma reflexão atrás da outra mas que vem para o bem!

Sabemos que isso foi uma escolha, sabíamos que iriamos estar distantes e tudo mais, mas ninguém ensina o coração a desapegar do que você nunca deixou de amar e querer: sua família, amigos e tudo e todos que você "deixou pra trás". Porém, a vida é tão perfeita que trás novos rumos, sonhos, pessoas, e pontos de vistas.

Aprendi muito mais a dar valor quando estava longe; essas pequenas coisas rotineiras como almoços em família e reuniões entre amigos faz uma super falta, mas sua presença começou a ser mais valorizada (obrigada tecnologia por nos salvar!). As pessoas lamentam por você não estar lá nessas datas especiais mas lamentam ainda mais por elas não estarem aqui. E a angústia no peito de não estar lá é curada por um amor lindo de novas pessoas que você conheceu aqui e que muitas vezes, em tão pouco tempo, se tornaram sua segunda família e essenciais na sua trajetória no exterior. É incrível como consegui terminar essas datas com um sorriso no rosto, saltitante de felicidade, e cheia de gratidão. Me senti tão amada mesmo tão longe do que considerava minha única casa. Poucas pessoas tem essa oportunidade/coragem
 de se jogar, arriscar, encarar o novo e se permitir... lembre-se disso!

Eu sobrevivi! E hoje, o que dói é pensar em não ter essas pessoas daqui comigo nessas datas nos próximos anos, afinal, era mais um ciclo da minha vida onde eu me entreguei e senti meu coração em paz e acolhido, literalmente EM CASA! E descobri sim, que nossa casa é onde nosso coração está, e ele pode estar em diversos lugares, inclusive dentro do coração de outras pessoas...

Espero que tenham tido um Natal lindo e iluminado, assim como desejo um novo ano de realizações e renovações! Que tenham gostado do texto e nos despedimos de 2017 já com um encontro marcado dia 28 de Janeiro de 2018, hein?! Bye!!


Thaís Alencar

Nenhum comentário:

Postar um comentário