quinta-feira, fevereiro 22, 2018

De como ser Au Pair de adolescentes é uma grande responsabilidade

Olá Meninas e Meninos,


Pensei bastante em escrever esse post, principalmente depois dos últimos acontecimentos em uma escola na Flórida. Porém, como ex au pair de adolescentes que criou um amor enorme por elas, não posso deixar de falar sobre a responsabilidade de ter host kids adolescentes em um país - ou mundo? - que o bullying e a violência nas escolas é algo rotineiro. A cada novo evento de shooting em escolas nos EUA penso nas minhas meninas e penso como elas podem ajudar a mudar esse cenário! (e como as Au pairs podem ajudar os host adolescentes a ganhar mais confiança pra lutar contra isso).

Quando eu resolvi ser Au Pair, eu coloquei na cabeça que não queria cuidar de bebê: eu queria alguém que pudesse conversar e que não fosse responsável por todos os passos da criança. Tinha um certo receio do bebê ficar doente, de engasgas com a comida, de cair, sei la... eu só sabia que não queria bebês.

O que eu não sabia era que ia ser Au Pair de uma pré-adolescente de 10/11 anos e uma adolescente de 12/13 anos. Eu não ganhei host kids, eu ganhei literalmente irmãs mais novas! Eu aprendi muito com elas: aprendi que as vezes o drama de adolescentes é uma força de chamar atenção e, em muitas vezes, essa atenção é necessária; aprendi sobre o bullying nas escolas americanas e como isso é uma questão bem séria lá

Muita gente achava meu trabalho fácil: preparar refeições, dirigir, conversar e ter bastante tempo off. Sim! Fisicamente era um trabalho bem tranquilo. Mas quando a gente convive com adolescentes em época de escola e cria um certo amor por eles, as conversas não são tão simples. A gente acaba sendo muitas vezes um ponto de apoio para certas questões que nem sempre precisam chegar aos pais: é ai que mora a grande responsabilidade. Saber o que contar aos pais e o que não contar, ou menos como contar é uma questão super delicada quando estamos falando sobre adolescentes, afinal qualquer coisa pode quebrar a confiança deles na gente e, se isso acontecer, pode ter certeza que seu trabalho estará perdido.

Enquanto fui Au Pair eu vi e, principalmente, ouvi vários relatos de bullying na escola. Vários deles podiam não ser muito graves aos nossos olhos, mas pra uma pessoa no auge dos seus 10-13 anos, isso é sim um Big Deal. E eu via o como isso influenciava negativamente a vida delas, não só na escola, mas a vida pessoal e até mesmo a auto-estima. É ai que a Au Pair de adolescentes entra: é preciso ter sensibilidade para lidar a distância com esse bullying, é preciso ter a sensibilidade de saber quando é a hora de intervir e quando é a hora de só ouvir. Nem sempre isso é fácil, porque querendo ou não, qualquer coisa que a gente fale pode ser modelo para eles.

Ser Au Pair de adolescentes é saber lidar com as mudanças no corpo, que já foram desagradáveis pra gente e quantas vezes uma irmã ou uma prima mais velha foi peça chave para entender certas coisas que temos vergonha de falar com nossos pais. Nessas horas a gente encarna a mulher madura e entendida que nem sabíamos que tínhamos dentro da gente.

Ser Au Pair de adolescente é saber olhar para o nosso adolescente do passado e pensar como gostaríamos de ter sido tratados e entendidos. Acredito que a Au Pair de adolescentes tem sim a responsabilidade de ser dura quando necessário, de discutir quando for preciso e até de punir quando for o caso. Porém, mais que isso, ser Au Pair de adolescentes é respeita-los e deixar claro que somos mais uma pessoa em quem eles podem confiar. Pensando nas situações de bullying, acredito que o adolescente tem que se sentir confortável para falar sobre isso com a Au Pair.

Acredito que ser Au Pair de adolescente é sim ensinar os nosso adolescentes a lutar por menos bullying nas escolas, é ensina-los a ser confiante e saber lutar por aquilo que acreditam; é ensina-los que a cor da pele, o jeito de se vestir, o cabelo não são motivos de vergonha pra ninguém. é ensina-los que todas as culturas devem ser respeitadas. Ser Au Pair de adolescentes é ajudar os pais a formar futuros cidadãos, os quais terão cada vez mais consciência de como lidar com esse mundo, nem sempre no caminho correto.

Na escola da minha kid teve um movimento em que os alunos fizeram cataventos pela paz e cada um escreveu uma palavra que representasse a paz. Minha kid escolheu Freedom e não consigo pensar em outra palavra pra representar a paz: liberdade de escolhas e respeito por essas liberdades de escolhas. E nós, Au Pairs de adolescentes, estamos aí pra ensinas esses Little Monsters a ser seres humaninhos melhores a cada dia. 

Pra você que tem dúvidas se quer ser Au pair de adolescentes: vai com tudo! Além do seu inglês melhorar muito, você vai crescer como pessoa e ainda vai ser responsável por ajudar a educar um adulto ciente das diferenças culturais desse mundão e seguros para lutarem por seus objetivos!

Pinwheels for peace 



Nenhum comentário:

Postar um comentário