sexta-feira, fevereiro 16, 2018

Sobre a eterna Holandinha do amor

O post de hoje vai ser cheio de amor e com um toque de nostalgia. Vou falar sobre a minha experiência no Reino dos Países Baixos, mais conhecido como Holanda (ou Holandinha do amor, para os íntimos hahaha). Como comentei mês passado, quando fui ser au pair na Holanda não sabia quase nada do país e acho que isso foi fundamental para a minha experiência ter sido positiva lá. Eu não tinha expectativas, não tinha sonhos, não tinha planos, não tinha nada, só a vontade de sair do Brasil e viver um ano de intercâmbio legal. 

Eu sempre me adaptei bem, mas também tive meus perrengues no começo, claro. Primeiro que eu morava em Geldrop, perto de Eindhoven, no sul da Holanda e lá não tinham muitas au pairs. Além disso, tive que aprender a me acostumar a andar de bicicleta novamente, coisa que eu não fazia há uns 10 anos, no mínimo. E como doeu a bunda, minha gente! Quando começava a melhorar, lá ia eu usar a bike de novo e a dor voltava. Durou pouco, claro, logo acostumei e peguei o jeito na bicicleta também. A primeira vez que pedalei quase morri pra pedalar 2km, achei que nunca ia conseguir... Uns meses depois eu ia e voltava (10km cada trajeto) pra aula de holandês. A bicicleta é uma das coisas que mais sinto saudades da Holanda. 

Na primeira família eu ainda usava o carro para dirigir as crianças e fazer algumas coisas. Na segunda família foi 100% imersão na cultura holandesa e eu usava a bakfiets (bicicleta de cargo) para levar as crianças. Eu tinha uma baby, uma de 2 anos e meio e um de 4 anos, e eu pedalava com os 3 na bakfiets! Nem eu acreditava que eu conseguia fazer aquilo, já que sempre fui acima do peso e essa bike é beeeeem pesada!

Essa era a bike que eu usava na primeira família que morei. As vezes levava o menino mais velho na cadeirinha e a mãe ficava com o baby, mas na maioria das vezes era de carro mesmo.

Essa é a bakfiets, não era essa que eu usava, especificamente, mas era esse estilo de 3 rodas.

Eu não canso de repetir como a minha experiência lá foi maravilhosa! Eu tive "sorte" de ir para uma família na qual as kids falassem inglês (na verdade um era baby haha então só o de 2 anos falava) e isso com certeza ajudou na adaptação. Eu optei por fazer aula de holandês, pois não achei cursos de inglês pro meu nível ou eram muiiiito caros e eu não queria bancar o restante. Confesso que no início estava bem animada, mas como eu não usava holandês pra nada, logo perdi o interesse e passei a ir só de corpo pra aula, copiava lição e nem me esforçava mais. Me arrependi horrores quando mudei de família, já que nessa as crianças só falavam holandês, mas eu aprendo bem rápido e em 1 mês eu já conseguia sobreviver bem.

Eu sou completamente apaixonada por Amsterdam, não de fazer coisas, de ir nesse ou naquele lugar, só de ir em dar pelas ruas e ver aqueles canais, as casinhas tortas, as bicicletas... tudo!!! A cultura da bicicleta pra mim é algo sensacional e é muito difícil andar a pé depois de viver na bike. Muitas pessoas reclamam da frieza dos holandeses ou de serem muito diretos, mas pra mim isso é um bônus, claro que as vezes falta delicadeza, mas prefiro isso a gente falsa que fala nas entre linhas, então, nem disso eu tenho o que reclamar.

Uma coisa importante que acho mencionar é a questão do idioma. Não digo para não irem para a Holanda caso o objetivo de vocês seja melhorar o inglês, mas se o objetivo for única e exclusivamente esse, eu não indico. Todo mundo fala inglês, sim, mas esse é o segundo idioma de todo mundo, então tem erros de gramática, pronúncia, mistura e etc. E também pra quem quer apenas melhorar o inglês, tem que pensar no tipo de amizade e no tipo de família que quer. Eu não fui pra Holanda pra melhorar o inglês, então pra mim isso não era problema. No meu caso, eu já fui com inglês fluente e eu regredi muito lá, pois eu falava inglês apenas 10% do meu dia, por exemplo, o resto era Português e Holandês (a partir da segunda família). 

Eu indico a Holanda e a agência que eu fui (HBN) mil vezes! Foi uma das épocas mais felizes da minha vida e desde que fui embora sinto um vazio que não consegui preencher com nada ainda! Eu fiz amizades incríveis, faz mais de 3 anos que eu voltei e ainda falo com as minhas amigas de lá e com as famílias. Não vejo a hora de voltar para visitar, matar as saudades e ver quão diferente estão as coisas que eu deixei há tanto tempo. 

Eu não canso de falar da Holanda, então, quem quiser conversar sobre, pode me chamar! Com certeza ainda falarei mais sobre lá nos meus textos. Como mencionei lá em cima sobre a bike e o fato de eu sempre ter sido acima do peso, o próximo post será sobre isso. Imagino que várias futuras au pairs fiquem preocupadas com o fato do peso e problemas pra ser au pair, então, quero dividir com vocês minha experiência e falar sobre isso.

By the way, hoje é meu aniversário e eu amo meu aniversário, por isso escolhi postar todo dia 16! ahhaha

Obrigada por lerem até aqui e até mês que vem!!

Beijão





Um comentário:

  1. Caiu um cisco no meu olho lendo seu post. Que saudade da Holanda! Vc tem algum blog particular contando sua experiência no Canadá? Feliz aniversário!!

    ResponderExcluir