segunda-feira, março 19, 2018

Hello dia 19!


Oi gente, 

Hoje é meu primeiro post no Blog das 30 Au Pairs, e são tantos assuntos para falar, ansiedades, medos, perrengues e uma lista interminável de sonhos para dividir com vocês e o mundo. Então, resolvi começar falando um pouco sobre mim e a minha decisão de largar tudo para ser uma Au Pair na terra das Tulipas. 






Gabriela Muniz, 21 anos, virginiana, viciada em Grey's Anatomy (uma cirurgiã formada depois de 14 temporadas), apaixonada por tatuagens, e futura au pair na Holanda/Zwolle. Morei sozinha em São Paulo por 1 ano e trabalhei em uma multinacional como tradutora intérprete. Estudava Comércio Exterior, morava de aluguel, tinha minha independência, tinha um salário acima da média e ainda assim nada daquilo me preenchia. 


Eu já tinha ouvido falar do programa de au pair em 2012 quando fiz meu primeiro intercâmbio, para o Canadá e desde sempre tive esse sonho adormecido dentro de mim, até o dia em que a minha mãe, num dia qualquer, me liga perguntando o que eu ainda estava fazendo no Brasil. 


''Helloooo mãe, estou no Brasil porque não tenho grana''. Gente, ela riu da minha cara. Riu. E de alguma forma aquilo mexeu comigo. Eu já tinha decidido que faria o intercâmbio de au pair no final de 2018, porque eu queria terminar a faculdade primeiro. E mais uma vez minha mãe entra em cena, dizendo: ''Filha, você não tem nada que segure você aqui. Vá viver os seus sonhos. Apenas vá. Sem arrependimentos''. 


Foi o que eu fiz. No dia seguinte depois ter conversado com a minha mãe sobre o au pair, mandei uma mensagem pra HBN, e comecei o meu processo. Pedi a conta na empresa (logo depois de enviar meu interview form pra HBN) e larguei a faculdade logo no primeiro semestre. 


Desde o começo tive o apoio da minha mãe, vendi todos os meus móveis da casa de SP, voltei a morar com a minha mãe, trabalhei fazendo alguns bicos de atendente bilíngue no Museu do Café, em Santos. Depois de quase 5 meses de processo com a HBN, mudei de agência porque encontrei a minha host family no APW, tive meu match no primeiro Skype depois de 1 semana trocando e-mails, comecei então um novo processo com a Au Pair International, meu visto ficou pronto em 5 dias, e embarco para a mais nova aventura da minha vida no dia 1 de Maio. 


Antes de ter o match com a minha HF eu já tinha uma viagem marcada pra Bélgica. No fim, marquei de encontrar com a minha host mom,  peguei um trem de Antuérpia para Amsterdam e conheci a minha hosta Erica e a au pair atual, Amanda. 


Quando abracei a minha hosta, o único pensamento foi: I'm home. 


Hoje, olho pra trás e vejo que todas as decepções, medos, lágrimas, ansiedades e alegrias me trouxeram para esse exato momento.


Se eu tiver que dar um conselho pra alguém que está começando a pesquisar o programa agora, meu conselho é: TENTE! ESTÁ COM MEDO? VAI COM MEDO MESMO E LÁ A GENTE DESCOBRE! SÓ NÃO DEIXE DE IR. O processo é cansativo, muitas vezes é frustrante, mas a recompensa chega. 


Vejo vocês no próximo dia, 19! 

Beijooos, 

Gabriela 


Ps: Eu também tenho um blog chamado Gabi Na Gringa, onde conto pra vocês sobre o meu processo de au pair, viagens e muito mais!


Blog: https://gabinagringablog.wordpress.com/

Instagram: @iamgabbymuniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário