domingo, março 11, 2018

O fim pode ser doloroso, prepare-se!

Olá pessoal, tudo bem por aí? Por aqui contando os minutos para a primavera chegar de vez! É uma estação que chega e outra que se vai, assim como acontece em nossa vida, com os ciclos, etapas, fases que vivemos. Quando o intercâmbio chega ao fim e é hora de dar tchau, algo que parece tão simples antes de embarcamos para a nossa aventura de au pair, pode se tornar uma das coisas mais dolorosas da vida. Infelizmente não falamos muito sobre isso, e como eu sofri - e ainda sofro - por isso, decidi dedicar o post desse mês a esse assunto.


Nossa vida é cheia de finais e começos, todo final de ano por exemplo, nós  terminamos um ano e começamos outro novinho em folha. Quando começamos a ir para a escola começamos a nossa vida acadêmica, quando deixamos a casa dos pais terminamos um ciclo que dá inicio a outro. Assim é também o intercâmbio, um novo ciclo, uma nova etapa, com data e hora para começar e muitas vezes para acabar também.

Eu não sou boa para lidar com fins, mesmo os felizes, talvez por isso eu tenha sofrido tanto quando o meu ano de au pair terminou, mas que a verdade seja dita: ninguém nos prepara para isso. Somos preparados para entrevistas, para tirar o visto, para arrumar as malas, para enfrentar todo o processo e as intermináveis horas dentro de um avião, para o choque cultural, para nos comunicarmos bem, para sobrevivermos as primeiras semanas, para aguentar os perrengues e para nos mantermos com o pocket money. Somos preparados para tudo ou quase,  menos para nos despedirmos de tudo que construímos e vivemos durante um ou dois anos.

Nós partimos com a esperança de uma vida melhor, de nos superarmos, de viajar muito, fazer amigos do mundo todo, conhecer novas culturas, melhorar o idioma, adquirir o máximo possível de bagagem cultural, emocional e também material é claro. Sonhamos com a casa, as kids, os hosts, a cidade. Deixamos a comfort zone cheios de planos e sonhos, sabendo que viveremos o melhor ano de nossas vidas e depois arrumaremos nossas malinhas e voltaremos para o lar doce lar, onde obviamente TODOS estão esperando ansiosamente para ouvir todas as histórias que nós temos para contar. Ah, que ingenuidade a nossa!

Por pura ingenuidade, ou falta de experiência, não imaginamos que vamos nos apegar a casa, vamos nos dar bem com os hosts, amar as kids e a cidade,  que vamos fazer vários amigos, construir uma nova vida e nos apaixonar por tudo isso. Nós não consideramos que vamos descobrir nossos lugares, restaurantes, bares, clubs, parques favoritos lá, que vamos ter nossos programas de tv favoritos, nossas comidas favoritas, nossos amigos favoritos, logo, nós não nos preparamos para dizer "Adeus" ou com sorte "Até logo" a tudo isso.

Além de toda essa dor, nós também não nos preparamos para voltar para casa e encontrar nossos amigos e familiares que estão com muita saudade de nós é claro, não tão interessados ou entusiasmos em ouvir TODAS as nossas histórias. Ninguém, até hoje (quase 4 anos pós intercâmbio) me perguntou qual é a sensação de estar no topo da Torre Eiffel, como é a Oktoberfest de Munique, o gosto do chocolate Belga, como é morar fora por um ano, como foi morar na Holanda. Ninguém teve interesse ou paciência de ver TODAS  as minhas fotos, nem mesmo a minha mãe. E não é porque eu tenho uma péssima família e amigos piores ainda não, é natural. Nós vivemos o imaginável, mas eles não, eles continuaram a vidinha normal de sempre, e para isso ninguém nos prepara. 

Então meus queridos, preparem a mente, o coração e o espírito! Não existe formula mágica para isso, mas terapeutas, psicólogos, bons e velhos amigos, meditação, reflexão e auto conhecimento, estão aí para nos ajudar. E se você não se preparou e já está passando por esse turbilhão, calma, respira fundo, escreva um diário, descubra seus hobbies, pratique esportes (nos meus últimos meses eu pedalava ou caminhava quase todos os dias por uma hora depois do jantar em um dos meus lugares favoritos, tentando acalmar meu coração, refletindo e já me organizando psicologicamente para partida). Boa sorte a todos. Kusjes, até mês que vem!



Um comentário:

  1. Post lindo!! Nem fui ainda, não sei quando irei, mas sinto a nostalgia através das suas palavras ❤️

    ResponderExcluir