domingo, abril 01, 2018

Para os que acham que rotina de AP é moleza...




Oi gente linda, tudo bem?
Eu espero que sim...

Resolvi escrever esse texto hoje justamente porque hoje meus kids resolveram acordar virados nuns capetas. Assim o texto vai ficar bem realista [risos nervosos].

Para quem não me conhece, meu nome é Daiani e há dois meses sou Au Pair na Holanda, em uma família maravilhosa, que me acolheu como se eu fosse parte dela, e onde venho me sentindo extremamente feliz - porém tem dias que socorrobenzaDeus!

Quem vê as redes sociais das Au Pairs com lindas fotos de viagens, legendas inspiradoras, e baladas nos finais de semana, mal sabe que tem dias que nos perguntamos "o que eu tô fazendo aqui?!".
Eu acho que se tivéssemos que escolher um dom (só um) para ser Au Pair, eu diria que necessariamente precisa ser PACIÊNCIA. 
Os meus dois meninos (6 e 3 anos) são os meus amorzinhos, meus xodós, a coisa mais fofa que eu amo passar meu tempo. Na maioria dos dias, o meu "trabalho" com eles, nem é trabalho, pois nos divertimos muitos e aprendemos várias coisas uns com os outros e as horas voam!
Mas criança é assim, um dia te ama, e outro dia te odeia. Hoje por exemplo, comecei meu dia com uma porta na cara e um "go away" no ouvido. Depois disso, foi só ladeira abaixo...
Para tudo (literalmente tudo) o que eu sugeri, a resposta era não. Brincadeiras, brinquedos, livros, almoço, lanche, comida, bebida...só ouvi não o dia inteiro! Acordaram do contra...Quem aguenta?! Nada estava bom ou suficiente. Terminei o dia com a cara igual àquele emoji de olhos virados e pensando "ok, risca esse dia do calendário por favor, e chama o próximo!".

Portanto, você, querida (o) candidata (o) à Au Pair, esteja preparada (o) para todos os tipos de dias (e para quem já é AP e sabe do que estou falando, tamojuntobrow!). 
E tenha muita, mas MUITA paciência. O que é engraçado, porque eu não costumava ser tão paciente. Minha mãe me dizia "como você quer ser AP menina?". Mas ta aí uma coisa que a gente adquire...
Acho que é igual quando uma mulher se torna mãe...Quando você se torna Au Pair, a paciência vem junto (hahaha).
Minha host sempre comenta que sou super paciente. Meu segredo? Quando dias assim acontecem, eu simplesmente penso "Okay, respira. Eles não são meus filhos. Estou aqui apenas para ajudar seus pais, não para educar as crianças"

Eu costumo me sentir muito "mãezinha" dos meus kids, sempre fazendo de tudo por eles e pensando no bem estar deles em primeiro lugar - as vezes até antes do meu. Mas apesar de darmos o nosso melhor, eles não são nossos filhos e temos que agir segundo às regras dos pais, que muitas vezes não concordamos, ou simplesmente faríamos algo diferente.
É claro que cada AP deve saber e conhecer seu próprio limite. Estou comentando aqui sobre meus kids, que são educados e que apenas têm uns bad days de vez em quando (assim como nós). Porém existem muitas kids por aí que fazem da vida da babá um inferno. Outras que são terríveis com os pais, porém respeitam a babá...enfim, vai de cada um saber o seu ponto de equilíbrio e seu limite.

Mas sim, trabalhar com criança não é moleza. Eles tem energia de sobra, a gente cansa, falta criatividade as vezes, aguentamos manha, muita birra, choro, gripes. Limpamos narizes, bundas, roupas, chãos...

Porém olhar nos olhos desses serumaninhos e sentir o carinho sincero num abraço, não tem preço.
É uma grande responsabilidade e um privilégio fazer parte do crescimento de uma criança.

Olha que até esqueci que estava brava...acho que vou lá apertar meus pequenos!

Vejo vocês no próximo dia 01.

Um beijo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário