quinta-feira, maio 24, 2018

Tough Mudder Girl





Mission Fitness - Not just a team... We are a MF'ing Army
Mês que vem faz um ano que eu completei a prova mais doida da minha vida. Então é dela que eu vou falar no post de hoje. Mas pra contextualizar, vou resumir ~a ópera~.

Muita gente vai para os EUA e acaba engordando ~e muito~. Eu acabei fazendo o caminho contrário: emagreci 2kg e pouquinho. Por dois motivos. Um: os meus hosts cozinhavam muito bem. E quando eu digo bem, eu não tô falando de mac and cheese, meat balls e coisas assim. Eu tô falando de salmão grelhado com batatas assadas e lombo ao molho de champignon. ~beijos, Brasil~. Ah, e SEMPRE tinha salada em casa. S-E-M-P-R-E! Dois: eu comecei a frequentar a academia que minha host ia. Nunca tive paciência pra aparelhos. Fico entediada. E como lá o esquema era de aulas, eu me interessei. No meu primeiro dia minha host me apresentou e todos os trainers foram muito receptivos. E os membros então nem se fala. Acabei pegando gosto pelas aulas de Bootcamp e Boxing. Mas, assim, real. Eu ia, pelo menos, 4 vezes na semana. Algumas vezes de domingo de manhã. ~domingo sete e meia da manhã.~ Fiz amizade rápido e combinava com meu crew os horários para irmos juntas.

Quase um ano depois da minha matrícula - alguns quilinhos a menos e pernas mais durinhas - minhas amigas e meus hosts me convenceram a me inscrever para a Tough Mudder New England. Que nada mais é do que um circuito que conta com 23 obstáculos distribuídos em 10 miles (16km).

Água gelada, túneis, paredes de escalada e lama, muita lama, fazem parte do trajeto. No dia 24 de junho de 2017 lá estava eu, na Mount Snow, em Vermont, com mais 27 pessoas (é, acho que era 27) que formavam o “exército” da Mission Fitness. 

No meio do caminho minha amiga machucou o joelho e teve que ser carregada até o final. Revezamos nisso. Eu não consegui passar pela Monkey Bar e caí na água (upper body nunca foi meu forte). Um dos membros da equipe teve câimbra e nós esperamos ele chegar até o topo do morro em que estávamos. Pra citar algumas coisas.

Cerca de cinco horas depois de termos iniciado, cruzamos a linha de chegada. E, meu, foi uma das sensações mais loucas que eu já tive. Voltei cheia de roxos, arranhões e toda dolorida. Mas também voltei com um sentimento incrível de missão cumprida! Eu superei os meus limites físicos e psicológicos. Na verdade, muito mais psicológicos que físicos. 

Tivemos treinos específicos antes? Sim. Mas nada se compara ao momento da prova, de fato. O espírito de equipe é nítido entre todos os participantes. Ninguém escala uma parede escorregadia sozinho. Mas se você pegar impulso, sair correndo e alguém pegar na sua mão e te puxar, é totalmente possível.

Pessoas de cadeira de rodas e/ou amputadas me mostraram que a frase de Clarice Lispector é mesmo verdade: “aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe”. Eu fui. Eu comecei. E eu terminei a Tough Mudder New England 2017.

Se eu faria de novo? Eu só não me inscrevi para a desse ano porque eu não vou poder ir mesmo. ~chorando~.

Ps: Qualquer dia eu escrevo um post sobre a Mission Fitness, meus treinos e como fazer parte dessa “família” (Mission Fitness Family, os membros costumam dizer) me ajudou, e muito, com meu inglês.


Um beijo e três burpees pra vocês! Até mês que vem! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário