quinta-feira, junho 21, 2018

Rematch no segundo ano

Oi gente!

Estou aqui para contar um pouco da minha experiência em ter rematch no segundo ano com apenas 5 meses para completar o programa!

A gente nunca espera um rematch faltando pouco tempo de programa, apesar de ter alguns sinais que talvez nos indiquem que as coisas não estão indo bem, tanto da nossa parte, quanto a parte da host family.

Eu tive um primeiro ano muito bom, mas decidi estender com outra família para poder conhecer mais lugares, mas a troca não foi tão boa quanto o esperado.  Eu estava trabalhando bem mais do que 45 horas e a família me tratava somente como empregada, o que para mim foi bem diferente da minha família no primeiro ano.

Depois de um tempo eu comecei a tratá-los da forma em que era tratada e daí os problemas se agravaram. Eu vou explicar mais sobre o que nos levou a esse rematch em outro post, mas nesse vou contar como foi durante o processo online!

Bom, depois de ter saído da casa da host family eu fui ficar com a LCC, e ela não estava sendo muito “helpful” comigo. Eu entrei em rematch no dia 08 de maio, um pouco antes do summer break, então as pessoas diziam que eu ia ter várias famílias, pois os pais precisam de mais ajuda durante o verão. Não aconteceu!

Eu tive 4 famílias no meu perfil! Apenas! Tinha uma outra au pair na casa da LCC e ela também não teve mais de 2 famílias no perfil. Estava extremamente fraco.

O fato de eu ter apenas 5 meses faltando para acabar meu programa me atrapalhou também. Duas das famílias que eu falei queriam que eu ficasse mais. 

O tempo foi passando, a gente estava sem ganhar dinheiro, a agência mandando mensagem dizendo que temos que comprar nossa passagem e mandar o comprovante para eles... É tudo muito estressante e angustiante! 

Com muito sacrifício eu tive meu match com uma família no dia 18 de maio, o último dia literalmente! Tive meu match no

Fundo bonito da aguarela com bagagem Vetor grátis

Na minha opinião as piores coisas sobre o rematch são: a falta de ajuda que algumas LCCs dão (sendo que são elas que deveriam estar ali para o nosso suporte), a escassez de famílias que te faz não poder realmente escolher algo que você considere bom para si mesmo e a insegurança de não saber o que vai acontecer a seguir.

Não desejo a sensação de estar em rematch para ninguém, porém menos ainda conviver numa família ruim e não tentar ir em busca de uma experiência boa que esse programa pode proporcionar! 


Espero que vocês tenham sorte! 
Beijo,
Paula

Nenhum comentário:

Postar um comentário