domingo, agosto 05, 2018

Socorro, minha KID é hiperativa! – dicas úteis para lidar com elas (e com crianças agitadas).


    Oi pessoal, tudo bem?

 Já faz algum tempo que venho recebendo perguntas de au pairs e futuras au pairs sobre este tema, tanto no meu instagram como no facebook e por isso achei que seria legal conversar sobre isso aqui com vocês!

  Como já falei algumas vezes, eu fui au pair em 2009 e hoje, de volta ao Brasil, sou psicóloga e divido meu tempo aqui entre o consultório e atendimentos online (em especial para au pairs).

 Uma descoberta recente a meu respeito foi o diagnóstico tardio de TDAH (e talvez por isso vieram as dúvidas sobre o tema), e algumas meninas me perguntaram tanto sobre o que é transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), como pediram dicas para lidar com crianças diagnosticadas, se é muito difícil lidar com crianças TDAH ou se devem aceitar hostfamilies com kids TDAH, etc.

    Vamos começar pelo “mais fácil”, né?!

    Devo aceitar uma host family com criança que tem TDAH? Elas são fáceis de lidar?
    Penso eu que “cada um sabe aonde aperta o seu calo”. Algumas crianças com TDAH são mais calmas, porém mais distraídas, desatentas e ajudar no dever de casa por exemplo, pode ser um trabalho que exija um pouco mais de paciência; outras não param um segundo, nem para assistir TV ou brincar no tablet. Tudo depende de conversar com a família, descobrir um pouco mais dessa criança e saber se este tipo de criança/família é ideal para você.

    O transtorno de déficit de atenção é um transtorno neurobiológico, que se caracteriza por sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade. Essas 3 características são BEM comuns em todos nós, né (até ouso dizer que em um mundo onde todos querem tudo para ontem, todos tem um pouco delas), mas é bem importante lembrar que elas precisam atrapalhar no dia a dia da pessoa de forma significativa, e em várias áreas da vida dela.

    Para lidar melhor com a sua host kid com TDAH, também é importante saber que o TDAH se divide em 3 subtipos: desatento, hiperativo e combinado, pois as crianças de cada subtipo tem um jeitinho diferente de ser. Os desatentos, como o próprio nome já diz, são crianças distraídas, daquelas que você precisa falar MIL vezes, e ainda assim (as vezes) elas não entenderão, pois estavam distraídas com uma mosca que passou voando por ali. Os hiperativos/impulsivos são aquelas crianças que não param, que remexem as pernas na cadeira, correm para todo canto, são mais agressivas e muitas vezes não medem as palavras – são impulsivas (e depois se arrependem, pois falam as coisas, ou brigam realmente sem querer). O subtipo combinado reúne os dois subtipos anteriores.

    Mas e aí? Como lidar? Apesar de serem diferentes, a criança com TDAH tem algumas necessidades bem parecidas.

        1)      Autoestima baixa


Muitas vezes, por não conseguir prestar atenção na aula, a criança com TDAH tem dificuldade de fazer as lições de casa, ou até mesmo na escola. O sentimento de inferioridade nessas crianças é muito grande e muitas vezes piora quando em casa, ela ouve frases negativas como “mas você não copiou/aposto que seu amigo fez/está tudo pela metade”.  Elogiar o que foi feito incentiva a criança a continuar fazendo e dá um fôlego a mais para seguir em frente!

        2)      Seja objetivo

Com a criança com TDAH não adianta explicar muito. As regras precisam ser claras e objetivas: Fulano, depois desse vídeo, vamos tomar banho. Sem enfeites, sem explicar muita coisa, pois isso daria margem para se abrir uma janela imensa de imaginação. Alguém lembra de “O fantástico mundo de Bobby”? É bem assim! Regras claras e objetivas trazem a criança para a realidade.
        
        3)      Ensine sobre os sentimentos e converse sobre eles.

Essa regra vale para qualquer criança. Ensinar sobre os sentimentos é MUITO importante, para eles, para nós e para qualquer idade. O filme “divertida mente” é sucesso e faz muito bem esse papel.


        4)      Tenha um tempo para atividades físicas.

Crianças tem muita energia, as com TDAH (do subtipo hiperativo/impulsivo em especial) tem ainda mais. Reserve um momento do dia e coloque o pequeno para mexer o corpitcho. Vale uma corrida outside, jogar bola ou até mesmo uma série de vídeos de dança para sacodir o esqueleto (e você dançando junto será ainda mais divertido, mesmo que a gente não tenha taanta energia assim).

        5)      Estimule a independência.

Muitas vezes, crianças com TDAH se sentem incapazes, principalmente pela baixa autoestima. Separe um tempo para ensiná-lo pequenas tarefas, como (dependendo da idade, claro) arrumar a cama, separar as roupas para a laundry ou até te ajudar a preparar uma refeição para a família. Ter autonomia melhora a autoestima, a autoconfiança, desenvolve a independência e deixa as crianças mais felizes com elas mesmas.

    Bem pessoal, por hoje é isso!
    
    Espero que este texto responda as perguntas de vocês e ajude quem já está cuidando de uma kid TDAH! Não é um bicho de sete cabeças e pode ser um aprendizado para a vida toda!

    Aguardo vocês no próximo mês!
    Abraços,

Júlia B Benedini  -  Psicóloga
CRP:08/14965


Nenhum comentário:

Postar um comentário