quinta-feira, abril 08, 2010

Primeiro post por: Natalia Silverman

Olá meus queridos! Como alguns de vocês já sabem, eu sou ex au pair e participei do programa em 2007.

Cheguei nos USA pra ser au pair de uma família de Clarksville - Maryland.

Eu tinha 4 kids pra cuidar, de 2, 3, 5 e 10 anos (2 boys, 2 girls).

Os pais eram médicos, o pai oftalmologista e a mãe pediatra. Porém, a mãe recentemente havia descoberto que estava com uma doenca no sangue, e por isso tinha se afastado da profissão pra cuidar da saúde dela. Eu não sabia nada disso quando estava falando com eles. Só soube depois quando cheguei e a ex au pair do México que ainda estava na casa me contou que, algumas semanas antes da minha chegada, a host ficou internada por algumas semanas.

Ela nunca comentou isso comigo, era muito fechada. Aos poucos o host foi explicando a doença dela e pelo que ele me falou era algo muito sério.

Minha pequena de 2 anos nunca conseguiu se adaptar a nenhuma au pair/nanny antes. Quando a mãe saia de casa, ela chorava e esperneava que não queria ficar com ninguém senão a mãe.

A bonequinha se apegou demais comigo. Na verdade quando eu ficava off e ia pro quarto ela descia correndo atrás de mim e não queria desgrudar. Ela é uma linda, fofa demais. Meu xodó. Quatro crianças é um trabalho danado, mas eu já tinha me adaptado e estava até me divertindo com os pestinhas.

Minha vizinha de frente era uma brasileira, muito querida, fizemos amizade instantaneamente. Amigas de infância. A gente fazia tudo junto! Logo na primeira semana que eu cheguei ela me convidou pra sair, ir num bar com ela e as outras meninas. Eu não quis ir, porque tinha acabado de chegar e estava meio grilada de ja ir pra balada.

Nessa noite, ela conheceu um moço. Trocaram telefones e comecaram a sair juntos... Finalmente, depois de uns 10 dates, viraram namorados.

Um certo domingo, ele nos convidou pra ir na casa dele assistir um filme. Ele morava em Baltimore com mais 3 roomates. Eu aceitei o convite e fomos.

Chegando lá, conheci os roomates dele e logo que entrei na sala estava o Matt (meu marido hoje) deitado no sofá esperando a gente. Ele levantou, me cumprimentou e comecamos a ver o filme. Se não me engano era "Hostel", terrorzinho pra tirar a vergonha! rs

Enfim, o filme terminou. Hora de ir embora, afinal nosso curfew de domingo era às 11pm. Quando fui me despedir de todos, o Matt me pergunta se podia me ligar qualquer dia desses. Eu disse YES! Passei meu número pra ele e me despedi.

Na semana seguinte, ele me manda uma text puxando conversa. Foi aí que começamos a nos relacionar... Todos os dias a gente se falava e toda a sexta a gente se encontrava nos barzinhos da vida.

Começamos a sair... Mas como toda brasileira, eu não tinha certeza se a gente tava namorando ou saindo... Até que combinei com minha amiga de ela perguntar pra ele como funcionam as coisas nos USA, já que ela também não sabia se tava namorando o moço dela ou não. Ele disse que eles não têm o costume de pedir em namoro e ela explicou que no Brasil a gente tem o costume de pedir, sim, senão não é namoro. No nosso próximo encontro ele vem e me diz: "Do you wanna be my girlfriend?" E do resto voces ja sabem... rs

3 meses se passaram, minha host com muito ciúmes da menininha ser tão apegada comigo. Um certo dia, sexta à noite, eles me chamaram pra conversar... E aí detonam a bomba: "Nós não precisamos mais de au pair". Meu mundo caiu! Logo agora que eu tava namorando e já tinha me matriculado na escola. Tinha meu círculo de amigos feito e não queria me mudar pro outro lado do país. Fiquei arrasada, liguei pra minha LCC e ela disse que já sabia e que a minha família resolveu sair do programa, porque a host decidiu contratar uma nanny que não morasse na casa e que não ficasse todo dia lá. Só queria usar os serviços de babysitting pra quando realmente precisasse. Traduzindo, ela me mandou embora porque morria de ciúmes da menininha de 2 anos.

Logo na segunda-feira a LCC já me ligou, dizendo que tinha uma família pra oferecer. Eles moravam em Columbia (15 min da casa onde eu estava) e tinham 2 meninos gêmeos de 11 meses.

No dia seguinte fui lá na casa deles pra me apresentar. Adorei! Eram super jovens e tranquilos. Todas as "regalias" inclusas e sem curfew. Yay!

Ela me disse na hora que queria fechar comigo e eu disse que daria a resposta no dia seguinte. Fiquei alucinada com eles, eram ótimos!! No dia seguinte falei com minha LCC e oficializamos o match.

Me mudei pra casa deles, o Matt me ajudou com a mudança. Estava aliviada e pronta pro novo desafio.

Os gêmeos eram otimos. Ainda são! Eu os amo do fundo do meu coração! Claro que depois de algum tempo vivendo com a família toda aquela excitação passa e os dias ficam mais difíceis.

Agosto de 2008. Eu e Matt embarcamos de férias para o Brasil. Ficamos na minha casa por 6 dias e mais 4 no RJ. Essa era as minhas primeira férias. Nos divertimos muito e ele conheceu toda minha família.

Voltamos pros USA e logo em Outubro acabava o programa. Aquela dúvida de que decisão tomar... Extendo o programa (já não aguentava mais), troco pra estudante, troco pra turista?

O Matt ainda morava com os roomates dele. Nessa altura a minha amiga já tinha até terminado o namoro com o mocinho dela e se mudado pra California em rematch.

Resolvemos alugar um apartamento juntos e trocar pro visto de turista. Arrumei um emprego de nanny e às vezes ainda fazia babysitting pra minha ex-host (dos gêmeos), porque aproveitava pra matar a saudades deles e ganhar um dinheirinho extra.

Minha mãe veio nos visitar e ficou um mês com a gente. Como eles já se conheciam do Brasil (quando fomos de férias), não tivemos nenhum grilo. Ainda levei ela pra casa dos pais do Matt pra conhecê-los. Foi ótimo!

Assim o tempo passou e em Outubro de 2009 eu e o Matt nos casamos!

Meu conselho pra todas as meninas que estão na dúvida se ser au pair é uma boa ou não. Meninas, metam a cara! Eu tinha um ótimo emprego no Brasil, ganhava bem, meu inglês já era razoável, já era formada e mesmo assim decidi ser au pair pra conhecer uma nova cultura e aprimorar o idioma.

Claro que cada experiência é única, mas com certeza isso vai te trazer muitos benefícios e, claro, várias histórias pra contar e relembrar.

Boa sorte a todas e espero que minha experiência tenha ajudado vocês de alguma forma =)

Um grande beijo,

Nat =)

10 comentários :

  1. Nat sempre ajudando com suas experiências! :)

    ResponderExcluir
  2. Nat, fantastica sua historia!
    Adoreei de verdade, vai ser de grande ajuda pras futuras aupairs! =)

    ResponderExcluir
  3. Aiiii que história legal... adorei =)

    ResponderExcluir
  4. Adorei saber da 'história toda', pois já sabia algumas partes :)

    O que eu sempre admirei na Nat foi ela tentar botar os dois pés das meninas no chão, sempre. Afinal, ela já passou por tudo isso, sabe bem como é, na prática. Mesmo quando as meninas falam besteira, por pura ignorância, desconhecimento de causa, ela está sempre disposta a ajudar quem quer ser ajudado.

    ResponderExcluir
  5. Meninas obrigada pelos comentarios! Voces sao show!! Fico mto feliz em participar desse blog. Obrigada mais uma vez pelo convite!
    Um beijaooooo =)

    ResponderExcluir
  6. Nossa Nat, emocionante viuuu

    ResponderExcluir
  7. nossa
    adorei a historia ds vida real..parece novela nathy..vc como sempre escrevendo mto bem...
    aproveitando ..adorei tbm a descrição do perfil das meninas pricipalmente da tomie
    bjus!

    ResponderExcluir
  8. Adorei sua história Natalia! E você escreve muito bem!

    ResponderExcluir
  9. Muito bom...sem dúvida é uma forma de incentivo para quem já está por aí pasando por alguma dificuldade ou para quem ainda vai como eu...
    Parabéns Nat por ter sido guerreira e superado os obstáculos!!!!

    ResponderExcluir
  10. Tu tens o tipo de história que eu amo ler! Foi bem resumido, mas se tivesses um blog, seria aquele que eu leria todo dia.

    ResponderExcluir