sábado, abril 10, 2010

Qual é a hora certa de pedir rematch? - Sandra :)

Meninas, mulheres e moças, aqui quem posta é a Sandra - todo dia 10 eu estarei com vocês. Sejam muito bem-vindas a este blog, esperamos que prospere e dure para sempre!

Pois bem, a vida de Au Pair é uma eterna espera. Espera ter tudo que precisa para poder ir até a agência. Espera pra ficar on line. Espera o contato das famílias, decisão da família, visto, embarque etc etc etc.

Quando fechamos com a host family e estamos no Brasil, tudo parece lindo, incrível e dos sonhos. E é mesmo. Este é o momento da consagração do novo, do sonho alcançado. Não pode ser melhor.


Vem o treinamento, a primeira semana, a segunda semana, o primeiro mês, o segundo e por aí vai. Algumas meninas vêem o sonho da host family perfeita desmorando e muitas vezes nós não sabemos o que fazer e acabamos, por medo e inexperiência, aguentando humilhações e descasos totalmente desnecessários.

Se você está passando por problemas, o mais importante é não deixar que isso vire rotina e que a host family malvada pense que você aceitará tudo porque você é uma pobre coitada mão de obra barata vinda da "rain forest". NÃO FAÇA ISSO! Por você e pelas meninas que virão depois de você. Essas famílias que não respeitam o ser humano devem ter seu acesso as au pairs DIFICULTADOS. E isso só acontecerá se você meter a boca no trombone!

E não, você não está sozinha nem desamparada. Existem leis e departamentos para assegurar sua segurança além da agência que te dá suporte!

PRIMEIRO PASSO - IDENTIFICAR O PROBLEMA

Pois bem, primeiramente, se você está passando por um problema precisa saber separar o que é bom senso do que é abuso.

Ajudar com a louça na máquina de lavar e alguns outros afazeres domésticos não é abuso. Trabalhar alguns finais de semana ou a noite também não. E o acordado não é caro se você concordou com alguns termos antes de vir pra cá (como curfew ou não ter carro), tenha em mente que durante a vivência esses termos podem se tornar insuportavéis, mas que sim, você concordou com isso. O que também não quer dizer que você não possa mudar de ideia e pedir rematch.

Gritos e inconstâncias de host mom/dad. Trabalhar mais de 45 horas semanas ou 10 diárias frequentemente sem razão ou motivo aparente. Humilhação em relação ao uso dos espaços comuns da casa, falta de comida, falta com as regras básicas do programa. Isso é abuso. E você não está nos EUA para ser abusada, física ou psicologicamente.

Muitas famílias exigem que a au pair seja também a faxineira, a cozinheira, o cachorro que eles chutam quando tão estressados depois do serviço, e não você não é paga pra isso. Portanto, se você vem enfrentando esse tipo de abuso, é hora do...

SEGUNDO PASSO - CONVERSAR COM LCC

Muitas - na verdade a maioria absoluta - das LCC não faz nada além de coçar a parte baixa e sorrir. Mas ao contrário do que se pensa, elas estão, sim, lá pra nós ouvir, então mande e-mail - o que é geralmente mais fácil. Ligue, deixe recado, mas fale. Fale tudo desde o começo. Não guarde tudo e deixe pra falar tudo quando não tiver mais concerto ou você não estiver aguentando mais. O que você vai ouvir é um - mas você nunca reclamou disso antes, e ficar com cara de ânus. Reclame pra sua LCC. Com jeitinho, sempre. Diga o que te incomoda e por que e como você sente em relação a isso e, muito importante...

TERCEIRO PASSO - O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO PARA MUDAR ISSO

Não se tranque no seu quarto e fique chorando até morrer, isso faz mal pro seu coração e pra sua pele, além de borrar a maquigem. Também não resolve problema nem leva a lugar algum.

Se a host mom grita com você, não saia correndo como a Cinderella escurraçada. Espere a poeira baixar e chame ela pra uma conversa, conte como você se sentiu e como está sendo difícil para você se adaptar a tudo isso. Ressalte que a diferença cultural é imensa e que você está tentando se adaptar o mais rápido possível, que as coisas não são bem assim. Tente fazê-la ver como esse tipo de relação atrapalha seu desempenho com as crianças.

Se o caso é abuso em relação às regras do programa, sente e converse com as regras claras. Mostre qual é a real do programa é o que está acontecendo na realidade.

Se, mesmo depois de tudo isso, nada mudou, você está pronta para o...

QUARTO PASSO - REMATCH!

Não dói, não mata e ensina a viver. É difícil. É, muito. Eu sei, já passei, parece que nada vai dar certo. Mas dá!

Fica tranquila que dá. 99,99% das meninas em rematch acham família. Sim, você vai achar uma nova e linda family - ou não! (risos). Tenho uma amiga que pediu rematch 4 meses antes do SEGUNDO ANO acabar e conseguiu família.

Você vai achar outra família. As dúvidas são muitas e o medo é imenso.

Mas tente pensar nisso como uma mulher que tem o sonho de se casar. Ela se casa e todo dia o marido desce a mão na cara dela. Aí você questiona por que ela continua casada e a resposta é: eu não posso desistir é meu sonho!


Bacana, não é? Pois a situação é a mesma que ficar aguentando humilhação de host family.

Se você não aguentaria porrada do marido, não vai ficar aguentando porrada de host family, isso é babaquice, não vai te fazer mais forte, nem as pessoas vão te respeitar mais por isso.

Peça rematch antes que a familia peça. Saia de cabeça erguida e convicta que você está fazendo o melhor pra si.

Você deve desistir? Não enquanto for SAUDÁVEL e você tiver OPÇÕES para se salvaguardar.

Rematch resolve, não tenha medo! Se joga!

Minha história de rematch está aqui!

E você, já passou por rematch? Como foi? Deixe sua história nos comentários!

9 comentários:

  1. Sandra, post super válido! De grande ajuda para todas nós, principalmente porque colocou o passo a passo do rematch. Parabéns e obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Eu comentei antes mas nao to vendo aqui...

    Eu to encantada com as historias, q coisa linda viu essa garra, essa força que vcs tem!!!!

    Sandra sabias palavras parabens !!!!

    ResponderExcluir
  3. Nossa arrasou demais!!! Vai ser MUITO util pra muitas!! Pra mim ja esta sendo! =] brigada.

    ResponderExcluir
  4. minha chefe... que tbm foi aupair... tava conversando comigo ontem sobre o assunto de rematch... ela disse que não é pra ter medo...

    ResponderExcluir
  5. aah, adooorei o post. Li o do seu blog falando do rematch também.
    Concordo que as pessoas não devem se submeter a tudo, ter autoconfiança e autonomia é fundmental nessas horas

    ResponderExcluir
  6. Post super válido Sandra! Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Excelente idéia falar sobre Rematch pois é o medo de todas as au pairs!!

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post...tava precisando mtoo disso...

    Bju

    ResponderExcluir
  9. Devia ter lido isso antes. Não reclamei desde o início, ouvi tudo em silêncio e não demonstrei minha insatisfação, agora pedi rematch e tão me descendo o cacete pq eu nunca demonstrei que não estava feliz com a situação. Agora já foi, me ferrei.

    ResponderExcluir